quinta-feira, 29 de março de 2012

A ÁGUA DA VIDA.

No princípio, criou Deus os céus e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.

E disse Deus: Haja uma expansão no meio das águas, e haja separação entre águas e águas. E ajuntem-se as águas debaixo dos céus num lugar; e apareça a porção seca. E chamou Deus à porção seca Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares.

E produza a terra erva verde, erva que dê semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nela sobre a terra. E produzam as águas abundantemente répteis de alma vivente; e voem as aves sobre a face da expansão dos céus, e Deus os abençoou.

A Palavra do Senhor revela que desde o princípio, a água foi designada para dar origem a vida, e a terra que fora formada no meio da água, no meio da água subsiste, porque a água é a fonte da vida.

A formação orgânica do homem também tem origem na água, o qual sendo fecundado, é gerado numa bolsa d’água (líquido amniótico), onde a minúscula semente tem o desenvolvimento natural até a constituição completa do embrião, e o momento exato para vir à luz, receber a alma vivente (fôlego de vida) e agregar a sociedade humana.

Assim também, o nascimento espiritual do homem pecador, tem origem na água. Não a água natural de símbolo químico H²O, mas a água que tem a consistência de Espírito e Vida. A água que fluiu do ventre de Jesus, quando dependurado na cruz, sendo traspassado por uma espada pelos seus executores, verteu sangue e água (João 19.34).

E na primeira carta de João 5.6, a palavra relata que o Filho de Deus é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo; não só por água, mas por água e por sangue. Porque Cristo morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para a nossa salvação.

O NOVO NASCIMENTO

A palavra do Senhor no Evangelho de João 3.2 a 7, narra que um certo príncipe judeu chamado Nicodemos, foi ter com Jesus a noite, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.

Respondeu-lhe Jesus: Aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Perguntou Nicodemos: Mestre como pode um homem nascer sendo velho? Por ventura poderá entrar novamente no ventre de sua mãe e nascer? Jesus lhe respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, o que é nascido do Espírito é Espírito. Necessário vos é nascer de novo.

Nicodemos entendeu a advertência do Senhor Jesus Cristo numa visão material, perguntando-O como seria possível um homem já formado, tornar a entrar no ventre da sua mãe, mas o Senhor lhe falava das coisas espirituais; o nascer da água é o arrependimento para herdar à vida eterna, e o nascer do espírito é a conversão, a fé para crer verdadeiramente no sacrifício de Cristo na cruz, para remissão dos pecados, crer na sua ressurreição para a salvação da vida eterna. Fé suficiente para receber a Cristo como Senhor e Salvador da sua vida, porque em nenhum outro há salvação.

A palavra do Senhor nos dá a certeza e a segurança que pelo arrependimento e conversão, o velho homem sendo crucificado com Cristo, ao descer as águas na semelhança da sua morte, os pecados são sepultados assim como Ele ressuscitou, também seremos ressuscitados. Imergiu o homem pecador, ressurgiu a nova criatura lavada e remida pelo sangue de Cristo.

Mas nos últimos tempos, até mesmo os pregadores, tem trazido a água, fonte da vida, para o plano material. Há alguns anos quando ouvíamos programas evangélicos, geralmente no final da pregação, no momento da oração, os pregadores pediam aos ouvintes que apanhassem um copo com água e colocasse-o sobre o rádio para que aquela água fosse abençoada, e, bebida por pessoas enfermas ou que sofressem de qualquer mal, recebessem a cura e a benção do Senhor.

Hoje, alem do rádio, essa prática também é usada nos programas de televisão e o processo é o mesmo. No momento da oração, o pregador, com um copo d'água, manda que os telespectadores também tomem em suas mãos um copo com água, e depois da oração, os orientam para tomar a água e receber as bênçãos do Senhor.

Mas afinal, esse procedimento é bíblico, há fundamento na palavra para abençoarmos água para a libertação dos atormentados?

Vamos buscar na palavra do Senhor, Evangelho de João 4.13-14, estando o Senhor Jesus Cristo no poço de Jacó, conversando com a mulher samaritana, disse-lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede; mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der, se fará nele uma fonte d'água que salte para a vida eterna.

Jesus não deixou dúvida, a água que cura, liberta, transforma vidas e salva, não se trata dessa água material. Porque essa água natural satisfaz apenas as necessidades básicas e orgânicas. Os irmãos vão tomar desta água e continuarão a ter sede, isto é, continuarão com as mesmas necessidades espirituais.

Mas quando tomamos da fonte da água da vida, nunca mais teremos sede, porque a graça do Senhor Jesus Cristo vai abundar em nós até a consumação dos séculos, se fizermos aquilo que seja da sua vontade. Assim como a água visível é uma fonte de vida orgânica, o Senhor Jesus Cristo também é a fonte de água da vida eterna.

Porque Ele mesmo disse: Se alguém tem sede , venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a escritura, rios d'água viva correrão do seu ventre. Isso disse Ele, do Espírito que haviam de receber os que nele cressem, porque o Espírito Santo ainda não havia sido manifestado, por ainda Jesus não ter sido glorificado (João 7.37-39). Mas agora Cristo ressuscitou, e o seu Espírito Santo e a sua copiosa graça habita em nossos corações e manifesta em todo aquele que n'Ele crê, para perdão dos pecados e esperança da vida eterna.

No Evangelho de João 19.32-34, a palavra afirma que estando Cristo dependurado na cruz, foram pois os soldados, a Jesus, e vendo-o já morto, não lhe quebraram as pernas, contudo um dos soldados lhe furou o lado com uma lança, e logo jorrou sangue e água.

A palavra descreve que Jesus teve o ventre traspassado por uma espada e verteu sangue e água. Cristo com o seu sangue, comprou para Deus povos de todas as tribos línguas e nações. O sangue do Cordeiro inocente, para remir o homem do pecado e da morte. E a água é a ressurreição de Cristo para a salvação da vida eterna.

Portanto amados, essa água tratada pelo homem, não tem virtude alguma, a não ser para atender as nossas necessidades básicas e orgânicas, mas em Cristo encontramos a Fonte da Água da Vida que nos transforma em uma nova criatura, e nos dá o arrependimento, a conversão e a promessa de uma vida eterna.

E na revelação do Apocalipse (7.17) relata João, que o Cordeiro está no meio do Trono e os apascentará, e lhes servirá de guia para a fonte da águas da vida, e Deus limpará de seus olhos toda lágrima.

E ainda em Apocalipse (capítulos 21 e 22), João revela que foi lhe mostrado o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro. E disse Jesus: Quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida.