terça-feira, 27 de março de 2012

Missões uma Responsabilidade de Todos.





Texto: “Havia na igreja de Antioquia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, por sobrenome Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes, o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram” (Atos 13.1-3).

Introdução: Porque será que quando nos encontramos com Cristo, isto é, graciosamente recebemos a salvação, não fomos levados para casa, o céu? Porque o Pai nos manteve aqui com o propósito de implantar o seu Reino! Eu e você somos os instrumentos, os vocacionados por ele para o seu projeto na terra. Por isso a Palavra de Deus levando salvação precisa ser pregada em toda a terra.

Vejamos quatro perguntas importantes sobre missões:

“Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas!” (Rm 10.14,15). 

1. Como invocarão Aquele em quem não creram?

a. Precisam conhecer o Pai – “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (Jo 3.16,17).

b. Necessitam conhecer o filho – “E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (Jo 1.14).

c. Devem ser convencidos pelo Espírito Santo – “Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo” (Jo 16.7,8).

d. Precisam ser atraídos pelo Salvador – “E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo” (Jo 12.32).

2. Como crerão naquele de quem nada ouviram? 

a. Jesus nos enviou a anunciar a Palavra da Salvação – “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mt 28.19,20).

b. Ele nos ordenou a pregar – “Então, designou doze para estarem com ele e para os enviar a pregar” (Mc 3.14). Veja também as instruções de Paulo a Timóteo: “E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros” (2 Tm 2.2).

c. É nossa a tarefa de testemunhar de Jesus - “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra” (Atos 1.8).

3. Como ouvirão se não há quem pregue? 

a. Cada filho de Deus é um enviado – “Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo” (Jo 17.18). Veja o que diz o profeta Isaias: “Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina!” (Is 52.7).

b. A nós foi confiado o ministério da reconciliação – “Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus” (2 Co 5.18-20).

c. Fomos ordenados por Jesus a pregar o evangelho – “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc 16.15).

4. Como pregarão se não forem enviados? 

a. São formosos os pés dos enviados – “E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas!” (Rm 10.15).

b. Somos chamados seus mensageiros ou enviados – “Enviados, pois, pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre” (At 13.4). Como João Batista, fomos enviados para preparar o caminho para a vinda de Jesus: “Este é aquele de quem está escrito: Eis aí envio diante da tua face o meu mensageiro, o qual preparará o teu caminho diante de ti” (Lc 7.27).

c. Fomos chamados a seguir os passos de Jesus – “O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados; a apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória” (Is 61.1-3).

Conclusão: Precisamos nos mover, sair da paralisia e anunciar as verdades do Reino de Deus para todos os povos. A ordem, o comando já foi dado a cada um de nós, e que o Espírito de Deus nos instrua e fortaleça nessa importante tarefa.