segunda-feira, 16 de abril de 2012

PRECISA-SE DE PREGADORES CORAJOSOS COMO CALEBE


INTRODUÇÃO: Texto bíblico: Número 13:25-33; 14:1-10, 24
1. Hoje em dia, tanto quanto nos dias de Calebe, as pessoas aceitam com mais facilidade as pregações daqueles que não tem o Espírito de Deus, que contam historinhas e piadas “santas”; do que daqueles que corrigem, exortam e repreendem com amor no poder do Espírito Santo.
2. Hoje em dia, tanto quanto nos dias de Calebe, a maioria dos pregadores fala daquilo que lhe convém, daquilo que agrada ao pecador e não ao Senhor, que causa prazer e não tristeza pelo pecado, seduzindo o povo a ignorar a voz profética e a desprezar os planos de Deus.
3. Hoje em dia Deus quer pregadores cheios do Espírito Santo, fiel às Suas promessas, comprometidos com Sua vontade revelada na Bíblia, corajosos e ousados como Calebe quando pregava ao revoltado povo de Israel.

I.  SOMENTE QUEM CONHECE BEM A VONTADE DE DEUS EXPRESSA NA BÍBLIA PREGARÁ COM CLAREZA DIANTE DE UMA MULTIDÃO INCRÉDULA – Números 13:25-14:1-4
Josué e Calebe estavam à frente do povo com outros dez espias. Todos os doze espias viram as mesmas coisas e concordaram no que viram, mas discordaram quanto à interpretação e na maneira de pregar. Então, Calebe levantou ousada e poderosamente sua voz e faz calar o povo. Deste fato destacamos as seguintes lições:
1. Há dois tipos de pregadores da Palavra: Há o verdadeiro e o falso pregador. Ambos veem as mesmas coisas, possuem a mesma Bíblia e falam em nome do mesmo Deus; porém, um fala o que Deus quer, outro torce e manipula o que Deus falou.Os pregadores verdadeiros falam com autoridade levando o povo ao silêncio; os falsos pregam para produzir barulho e alvoroço na congregação.
2. Há duas formas de interpretar a Bíblia: Os pregadores verdadeiros se aproximam da Bíblia com humildade de espírito; por meio da oração e estudo interpretam-na com fidelidade; os pregadores falsos manipulam a Bíblia para manipular o povo, usam a Bíblia em vez de serem usados por Deus, regem a Bíblia ao invés de serem regidos por ela.
3. Há duas maneiras de pregar as Sagradas Escrituras: Os pregadores falsos pregam aquilo que convêm a fim de agradar o povo; já o pregador fiel prega a fim de agradar a Deus, mesmo que desagrade o povo. Os verdadeiros são aqueles que pregam a Bíblia, os falsos pregam sobre a Bíblia.

II. SOMENTE QUEM TEM MAIS MEDO DE OFENDER A DEUS DO QUE AS PESSOAS PREGARÁ COM CORAGEM O QUE DEUS QUER, NÃO O QUE O POVO QUER – Números 14:5-10
Como Josué e Calebe estavam mais interessados em agradar a Deus do que ao povo (v.8), eles enfrentaram com coragem e ousadia aos pregadores charlatães e ao povo que chorava com as palavras dos falsos pregadores. Consequentemente, toda a congregação desejou apedrejar os fieis representantes de Deus. Deste relato aprendemos que:
1. A primeira preocupação do pregador deve ser conhecer a vontade de Deus: Josué e Calebe conheciam a Deus, Seus planos e Suas promessas. O pregador deve conhecer a vontade de Deus antes que a vontade do povo, pois a voz do povo nunca foi e nunca será a voz de Deus.
2. A segunda preocupação do pregador deve ser a de fazer a vontade de Deus: Josué e Calebe se posicionaram firmes e impolutos diante da rebeldia e ameaça do povo porque eles estavam mais dispostos a morrer do que a ceder à pressão da multidão.
3. A terceira preocupação do pregador deve ser a de apresentar a vontade de Deus ao povo: Mesmo que o povo seja rebelde, incrédulo e revoltado, Josué e Calebe ousaram erguer a voz e apontar-lhe a vontade de Deus.

III. SOMENTE EM QUEM HÁ O VERDADEIRO ESPÍRITO SANTO PREGARÁ COM OUSADIA A VONTADE DE DEUS SEM SE IMPORTAR COM AS CONSEQUÊNCIAS – Números 14:24
Deus mesmo declara o que havia de diferente em Calebe: “Porém o meu servo Calebe, porque nele ouve outro espírito, perseverou em seguir-me...”. Calebe era servo (humilde), era perseverante e tinha um espírito diferente. Esse Espírito diferente era a ação do Espírito Santo em sua vida que o tornou servo perseverante de Deus.
1. O Espírito Santo capacita o pregador para ser servo de Deus e não servo da vontade do povo: Quem deseja sucesso, aplausos e glamour faz a vontade do povo, mas por pouco tempo (Números 14:37). Por outro lado, quem faz a vontade de Deus tem a Pátria Celestial como alvo, onde a alegria e a vida jamais passarão.
2. O Espírito Santo faz o pregador ser mais preocupado com recompensa do Céu do que com consequência na Terra: O fiel servo de Deus sabe que a vida na Nova Jerusalém vale mais que a preservação de alguns anos da vida aqui no mundo aplaudido pelo povo. Por isso, o pregador fiel não tem medo de falar o que Deus quer para aqueles que não querem ouvir.
3. O Espírito Santo habilita o pregador a perseverar nas promessas de Deus mesmo ameaçado de morte:Viver na contramão do mundo e da vontade humana é perigoso, há riscos até de perder a vida. Porém, Deus toma conta e protege aos pregadores como Calebe. Dos doze espias, apenas Josué e Calebe foram preservados com vida para entrar em Canaã, a Terra Prometida (Números 14:38).

CONCLUSÃO:
1. Somente os pregadores que se rendem ao verdadeiro Espírito Santo pregam com clareza e ousadia toda a Palavra que sai da boca de Deus.
2. Somente os pregadores vazios de si e cheios do Espírito Santo vivem para agradar a Deus e não à vontade carnal das pessoas.
3. Somente os pregadores dependentes do poder do Espírito Santo são preservados por Deus e conduzidos à Canaã Celestial para ali habitar para sempre.

APELO:
1. Pregador(a), pregue a Palavra pura, sem rodeios, sem desviar do que está escrito mesmo que fira à vontade e o gosto dos ouvintes.
2. Pregador(a), pregue a Palavra, o que Deus quer; não sobre a Palavra, o que o ser humano quer; agrade a Deus e não os rebeldes.
3. Pregador(a), pregue a Palavra de Deus dependendo do Espírito Santopara não cair na tentação de depender da aprovação pecaminosa.