segunda-feira, 4 de junho de 2012

AMOR VERDADEIRO.

 

O VERDADEIRO AMOR

Muitos dizem que hoje no mundo está faltando amor, porém, tudo o que o mundo menos precisa hoje é do amor falso, do amor romântico, choroso, amor passageiro; nem daquele tipo de amor incondicional que impõe: “Ah se você fizer isso ou aquilo, então eu posso amá-lo”. Nem é o amor tipo retribuição, que o mundo precisa: “Como você me deu isso, agora posso amá-lo”. Não!
O que o mundo precisa hoje é do amor forte e rijo: O Amor Verdadeiro!
Ele é o cerne do relacionamento franco. É esse tipo de amor que faz com que eu me interesse por uma pessoa o suficiente para buscar o confronto, e que me torna forte o bastante para perdoar.

FALTA DE AFEIÇÃO

Nosso mundo é um lugar muito estranho, onde nunca se pode agradar a todos ao mesmo tempo. Quantas vezes os homens (sexo masculino), se mantém distanciados uns dos outros só para provar sã fortes, e no entanto todos sabemos que a maioria não é nada disso. Mas se quisermos ter uma amizade mais chegada com outro homem, os outros poderão achar que somos homossexuais. Então nos escondemos atrás de uma máscara de machão, adotando uma falsa regra de conduta que poderia ser denominada “Os Mandamentos da Masculinidade”:
I. Homem Não Pode Chorar
II. Não pode demonstrar Fraqueza
III. Não precisa de afeição, nem de carinho, nem de calor humano.
IV. Pode consolar outros, mas não precisa de consolo.
V. Podem precisar dele, mas ele não precisa de ninguém.
VI. Deverá fazer tudo sem ajuda dos outros

Aqueles que seguem essas regras nunca conhecerão o amor verdadeiro. Nunca! O que o mundo precisa hoje não é de uma falsa e barata imitação de amor, mas do amor genuíno.

A QUEM VOCÊ AMA?
Vamos aplicar essas realidades a nós. A quem você ama? A respeito de quem você poderia dizer: “Tenho grande afeição por você...”? Talvez quando se fala em amor fiquemos um pouco na defensiva, dizendo: “Eu gosto de muita gente.... não tenho ódio de ninguém...” Mas não é disso que estamos falando. Aliás, o contrário do amor não é ódio: é indiferença! Quando tratamos uma pessoa com frieza, indiferença, quando damos aos outros a impressão: “Não me interessa”, na verdade estamos emitindo sinais altos e claros sobre nossa maneira de ser. E é claro que não significam: “Gosto de você!”.
Então vamos fazer a pergunta de outra forma: Quem lhe é indiferente?
O fato é que o amor verdadeiro está sempre tentando criar pontes de ligação entre os indivíduos, procurando diminuir as distâncias, estendendo a mão, arriscando-se, demonstrando interesse, falando sem rodeios, revelando afeto.

CUIDADO COM ARMADILHAS FALSASAntes de olharmos as dimensões positivas do amor, vamos nos livrar primeiro do entulho negativo.
Existem certos erros que precisamos conhecer e evitar nessa questão de amor, dentre eles estão três armadilhas nas quais podemos cair com facilidade se não nos cuidarmos.

1 – O Falador

É aquele que sai esguichando toneladas de palavreado bonito sobre os outros, com um doce e “xaroposo” sorriso. Logo se percebe que aquilo não passa de mera bajulação, sem sentimento e sem nenhuma profundidade. O verdadeiro amor diz a verdade, seja ela doce ou dura, mas sempre diz a verdade.

2 – O Manipulador

O manipulador é o tipo de pessoa que age assim: “Já que eu fiz isso por você, faça aquilo por mim”.
O amor nunca deve ser usado como um cordel para manipularmos os outros. O amor autêntico é espontâneo e sem segundas intenções. O amor autêntico liberta, e não sufoca!

3 – O Rolo Compressor
Essas pessoas caminham numa via de mão única, sem se preocupar com as reações dos outros. Esses não conseguem se preocupar com os sinais de aprovação ou reprovação que as pessoas emitem num relacionamento. O amor é sempre sensível, e toma cuidado para não sair por aí abrindo caminho com um facão, como faz um selvagem na mata fechada.

O VERDADEIRO AMOR
Bem, basta de dizer o que não é amor, e vamos nos ater no restante desse estudo a entender o que é o verdadeiro amor com base no texto de 1 Cor. 13, que é a maior porção bíblica escrita sobre este assunto.
(Leia o Texto de 1 Cor 13:1-8)

1 – O amor Não é Opcional, é Essencial (1 Cor.13:1-3)

1 Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine.
2 Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei.3 E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.
Vemos neste trecho do texto que o amor não é opcional, é imperativo! Paulo cita a frase “se não tiver amor” três vezes, e em seguida mostra o resultado: nada... nada... e nada. Se retirarmos das nossas ações o amor, que é o elemento essencial de tudo, elas se tornam semelhantes a um carro sem rodas, um trem se locomotiva, um avião sem asas, uma casa sem alicerces. Removendo-se o amor, nada mais resta.

2 – O Amor não é uma Inclinação, é uma Demonstração.Quando falamos do mor como demonstração, queremos dizer que ele é ação, envolvimento, movimento, expressão. “O amor é... o amor faz...”. O amor não fica sentado, cochilando, não é apático e nem passivo. O amor não passa pela vida bocejando. O verdadeiro amor está sempre disposto, e pronto a agir.
O verdadeiro amor não é uma mera inclinação, é uma demonstração. Fale menos e aja mais!!

3 – O Amor é Como um Imã Que nos AproximaNos versículos 7 a 14 de 1 Cor.13, aparecem quinze definições específicas de amor, e cada uma delas é como uma força magnética que atrai as pessoas umas para as outras, vejamos:
O amor é: paciente; benigno; não arde em ciúmes; não se ufana, nem é arrogante; não se conduz inconvenientemente; não procura seus próprios interesses; não se exaspera; não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça; regozija-se com a verdade; tudo sofre; tudo crê; tudo espera; tudo suporta; jamais acaba.
Quem de nós poderia resistir a atitudes tão magnéticas como essas? Quem não gostaria de viver perto de alguém que reúne todas essas qualidades do verdadeiro amor?
Poderíamos tentar resumir essas quinze afirmações da seguinte maneira:
“ Eu aceito você como você é.”
“Creio que você tem muito valor”
“ Se você estiver sofrendo eu me preocupo”
“Desejo apenas o que é melhor para você”
“Cancelo todas as suas ofensas”

4 – O Amor Não é Um Empréstimo de Retorno ImediatoO verdadeiro amor é duradouro, é autêntico e forte.Não sede a tentação de procurar saídas fáceis. O verdadeiro amor sempre resolve trabalhar o problema até solucioná-lo (Mateus 18:15-17).
Quando o mar fica agitado e bravio o verdadeiro amor não pula do barco! Enquanto o mundo ao nosso redor nos aconselha a fazer exatamente o contrário, o amor nos diz: “abaixe essa bandeira branca e permaneça firme”.
O verdadeiro não é um empréstimo de retorno imediato, é um investimento de longo prazo!