sábado, 9 de junho de 2012

Ele correu ao encontro de Jesus Cristo.


      
Um mendigo chamado Caetano

Nos tempos áureos que todos os seres viventes passam aqui na terra, existe aquele momento que atingimos o pico da plenitude. Todos os atletas sabem o que significa isso. Aquele dia estratégico em que tudo vai colidir em resultados satisfatórios e gratificantes como se fosse o eclipse lunático que o encontro se dará num exato e perfeito momento. 

Por que falar do Caetano? Conheci-o tempo atrás, ele é um mendigo, não sei em pequenos detalhes. Excelente pessoa, amável em suas palavras e comedido. Mas, existe o lado desconhecido da sociedade em geral. Todos o enxergam apenas como um mendigo qualquer no meio povo. Caetano, um verdadeiro e autêntico atleta, corredor de meia-maratona e corrida de fundo. Um anônimo no meio dos ilustres e elitizados corredores. Participamos juntos, em três corridas de São Silvestre, na cidade de São Paulo. Surgiram forças dele, que me incentivou, após ter caído no meio asfalto, e sendo pisoteado pelos corredores, suas palavras foram: Levanta e vamos adiante ! 

Sabe que , ás vezes pensamos que um mendigo, não tem nada a oferecer a ninguém . Todavia, desconhecemos o que há no coração, sofrido, amarguroso que a vida lhe oferece. Mas, não posso esquecer que a sua palavra de coragem, e de motivação para quem estava caído e ferido, fora como um bálsamo , um unguento. Sua expressão de alavanque foi tão forte, que terminei a corrida mesmo arranhado, machucado. Sempre que o vejo, ele sorri espontaneamente toda vez que me encontra. Gosto de parar, pelo menos alguns minutos, para conversar e dialogar com ele. 

Tal qual Caetano, eu também fui um corredor de meia-maratona, e corrida de fundo. É preciso, além do preparo, numa corrida de fundo: como a maratona, muitíssima perseverança. Uns correm devagar, outros moderamento, e ainda velozmente. Nem sempre o que larga em primeiro é o que ganha. correr todos correm, ganhar apenas um. 

A corrida física, sem dúvida, proporciona um bem-estar salutar, que os sedentaristas relegam. Outro corredor, que gostaria de lhes contar, é o Zaqueu. Um personagem de posição social respeitável, que nos registros históricos conta que: Ele correu uma velocidade à moda Ben Johnson, meu caro, não atrás dos prêmios, como Caetano e eu corríamos, todavia para ver o Salvador passar. Sim, aquele que mais tarde seria o seu intercessor junto ao Pai. Ele correu ao encontro de Jesus Cristo. Ele estava passando por Jericó. Ele não ganhou nenhum troféu, como já ganhei, e nem bastante medalhas como ganhou Caetano. Contudo, o prêmio, gratuito de Deus está sendo concedido aquele que o achou, e novamente o "correr", é ainda sua disposição de fazê-lo. 

Um grande abraço.

No Senhor Jesus.