sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Mundo Muçulmano em Colapso ou Intervenção de Allah!

Toda pessoa com formação básica sabe que a palavra Alah quer dizer Deus em Árabe. Basicamente é o mesmo Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Três das grandes religiões mundiais monoteístas concorrem para esses três personagens bíblicos sem divergência.
Preocupante se diria o que sempre ocorreu em nome de Allah, bem como em nome de Jesus – pense um pouco na idade média… Mas assim como os tempos chegaram a sua plenitude em meio ao cristianismo, creio que esse Deus poderoso, que está acima das questiúnculas humanas, está fazendo a sua obra em meio a um povo que oprimido em nome de Allah, quer experimentar a liberdade que Allah sempre quis oferecer.
O mapa da virada enche o mundo com preocupação, pois no início ninguém sabe de que se trata. É de novo uma erupção do vulcão fanático, iletrado, ignorante que quer impor sua vontade por meio de bombas-homem em ônibus e metrôs de grandes cidades ocidentais? É de novo apenas uma versão do antigo? Trata-se talvez da repetição enfadonha das esquisitices culturais que o ocidente não quer entender?
Parece que desta vez se trata de um “up side down”, uma virada de verdade… Esperança? Veja no mapa a cadeia de acontecimentos e como estão se espalhando pelo corredor 10/40*…
Economistas vêem oportunidades para negócios (foco no dinheiro e no mercado consumidor). Os seculares vêem ali uma abertura para estados democráticos (foco ideológico). Os filhos de Deus que têm visto a queda da cortina de ferro e a abertura para a liberdade e igualdade entre as religiões, vêem a mão de Deus guiando a história nos rumos que abram espaço para o diálogo e a oportunidade de compartilhar o Deus maravilhoso que mandou Seu Filho para salvar todos aqueles que vivem sobre a terra, cada tribo, nação, língua e povo (Ap. 14:6-7).

Qual é o grito do povo desses países? O que eles desejam? Ninguém sabe se lhes será concedido, mas o gosto de liberdade que a democratização das mídias trouxe a estas partes do mundo, abriram o apetite para o banquete democrático maior: o direito de ir e vir, de pensar e falar, de crer e decidir sem a ingerência de outro ser humano. Liberdade!!! Liberdade de consciência, liberdade de expressão, liberdade de escolha… Será concedido?
Tudo isso está muito crú para ser julgado e entendido.


Tendências podem ser previstas, mas será sempre surpreendente.
O que não pode ser surpreendente para nós cristãos do tempo do fim é que o nosso Deus nos ordenou para irmos a todo mundo para fazermos discípulos de todas as nações. Se em épocas de maior perigo ficamos aguardando sem a coragem paulina de pregar onde é inóspito e pode custar vidas, logo, logo não teremos mais essa ressalva…
E se realmente entregássemos a nossa vida, como se espera de um cristão, e deixássemos Deus usá-la como Ele o quer, mesmo que Ele escolha sacrificar uma vida no altar da missão? E se com essas vidas – salvas por Jesus, diga se de passagem – pudessem ser impressionadas milhares de outras vidas – ainda não salvas por Jesus?… E se deixássemos o excesso de seguros e segurança que parece que virou uma adicção entre os cristãos do fim da história e corrêssemos os riscos de naufrágios, açoites, prisões, salteadores e apedrejamentos?
(cf. 2 Co. 11:23-27 – a descrição que Paulo faz de seu ministério).
É bem provável que o mundo árabe, na busca de liberdade, pegue o pacote todo, incluindo a liberdade religiosa – ah, minhas orações, você se une a mim? – será que vai haver heróis evangelistas preparados? Pessoas no domínio da língua Árabe para poder pregar da maneira como as pessoas ali conseguem entender? E se realmente houver a tão esperada queda da cortina de areia? E se realmente houver a abertura para a pregação do evangelho?

*Janela 10/40 é a área delimitada por missiólogos que compreende o quadrado entre a latitude 10° Norte e 40° Norte do extremoocidente da África até o extremos oriental da Ásia.