domingo, 5 de agosto de 2012

RUDIMENTOS DE OBRAS MORTAS!!!


ESTUDO BÍBLICO
 
TEMA: RUDIMENTOS DE OBRAS MORTAS
 
TEXTO: Rm 7:4
 
PENSAMENTO: A igreja atual está baseada em ordenanças e rudimentos da
carne que a tem impedido de chegar à perfeição. Estas ordenanças têm sido
motivo de conflitos e múltiplas divisões através da história da Igreja. Tudo isso
tem ocorrido por falta de conhecimento.
 
O velho sistema ou as velhas regras, a chamada tradição religiosa, estabeleceu
ensinamentos torcidos que transformaram a pregação de boas novas num
catecismo de medo.
 
O nosso ministério está levando o povo de Deus ao conhecimento, para que
através deste conhecimento sejam pessoas livres e pessoas confiantes. A
tradição emperra o progresso e o crescimento. Toda tradição é enferma e
impede o progresso.
 
O que nós temos que fazer como trabalho da última reforma protestante é
dizer ao povo de Deus que nós não temos mais que seguir o Cristo nos dias da
sua carne. Jesus nos dias da sua carne passou por toda a sorte de sofrimentos
para cumprir a lei. Nós sabemos que o Jesus de hoje não é o Jesus nos dias da
sua carne. Hoje, Ele é o ressuscitado!
 
1. PAULO NOS FAZ UM CHAMADO A DEIXAR OS PRINCÍPIOS ELEMENTARES DA
DOUTRINA DE CRISTO (RUDIMENTOS) E CAMINHAR PARA A PERFEIÇÃO.

 
a) Hb 6: 1-3 - Há doutrinas superiores e mais profundas do que as doutrinas de Cristo
estando em carne, no cumprimento da lei.
b) Gl 5:1 - Cristo nos trouxe para a liberdade.
 
2. JESUS, NOS DIAS DE SUA CARNE, CHAMOU JUDEUS.
 
a) Mt 10: 5,6 - Judeus pregam para judeus.
 
3. JESUS RESSUSCITADO CHAMA GENTIOS.
a) At 22, 21 - Para os gentios, Deus levantou alguém específico.
 
4. OS RUDIMENTOS ERAM UMA SOMBRA DO QUE VIRIA ATÉ O TEMPO DA
REFORMA DE TODAS AS COISAS.


a) Hb 9:10 - Comidas e ordenanças somente até o tempo da reforma.
b) Cl 2:16,17 - Ninguém pode julgar por causa de rudimentos.
c) Cl 2: 20 - 23 - Morremos com Cristo para os rudimentos do mundo.
d) Hb 6:1 - Devemos deixar os princípios elementares da doutrina de Cristo e avançar
para o que é perfeito.
 
5. O RUDIMENTO DO BATISMO NA ÁGUA ERA SOMBRA DO VERDADEIRO
BATISMO NO ESPÍRITO SANTO.

 
a) Mc 1:4 - O batismo na água era para remissão de pecados.
b) 1 Pe 2:24 - Rm 6:1-14 - O batismo no Espírito Santo coloca o crente morto ao
pecado.
c) Jo 3:25-36 / Mt 3:11, 12 - O batismo na água era uma sombra que desapareceria.
d) Jo 4:2 - Jesus não batizava na água.
e) 1 Co 1:17 - Deus não chamou Paulo para batizar. 
f) Gl 3:27 / 1 Co 12:13 - Todos os crentes foram batizados em Cristo pelo Espírito Santo. g) Ef 4:5 - Paulo descartou o batismo na água da lista da Igreja.
 
h) 1 Jo 2:20, 27 - A unção que dEle recebemos permanece para sempre.
Cl 2:20 - “Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que,
como se vivesseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças?”
 
JEJUM - Durante anos nós fazíamos do jejum motivo e arma para fazer pedidos
a Deus. O espírito que caracteriza o jejum é a lei; ele veio da igreja católica,
apostólica, romana, porque faz parte da igreja romana o sacrifício, as novenas,
a abstinência de alguns alimentos, etc.
 
A tradição evangélica absorveu o espírito sacrificial, o espírito monasteísta, a
vida monástica, em que as pessoas ficam isoladas, passam horas de joelhos, se
privam de facilidades, de bem estar, sacrificam-se muito com votos de pobreza,
de celibato, etc. Este não é o espírito da Bíblia Sagrada.
 
Nós não acreditamos no jejum da carne como fonte de poder ou
aperfeiçoamento espiritual.
 
Hoje em dia os crentes jejuam para criar experiências espirituais, fábulas e
histórias fantasiosas, e, dizem que o jejum é a arma contra satanás. Mas a
arma contra satanás foi o sacrifício de Jesus no calvário.
 
Os fariseus também jejuavam para terem experiências espirituais e para terem
motivos de se ufanar.
 
6. O JEJUM ERA UM COSTUME JUDAICO.
 
a) Lc 5:33 - Os discípulos de Jesus não jejuavam.
b) Lc 5:34 - Jesus responde aos fariseus.
c) Mt 9:14 - Os discípulos de João Batista seguiam os ritos da lei.
d) Mt 9:15 - Jesus vinculou o jejum à tristeza, ao lamento, ao luto, à dor e à crise. Esses
eram os motivos pelos quais os judeus jejuavam.
e) Mt 9: 16, 17 - Não se pode misturar o velho sistema de judaísmo com a graça de
 
Deus. O velho pacto não aguenta a força do novo pacto, e o novo pacto não aceita
mistura com o velho. Ou estamos na lei ou estamos na graça. Não há lugar para os dois
ao mesmo tempo.
 
7. O JEJUM QUE NÓS ADOTAMOS É O JEJUM BÍBLICO.
 
a) Is 58:5-7 - Jesus quer que rompamos com tudo que aflige a nossa alma. Este é o
verdadeiro jejum que o Senhor decretou.
 
8. A FALTA DE REVELAÇÃO FAZ PENSAR QUE EXISTE UMA ESPÉCIE DE
DEMÔNIO QUE SÓ SAI COM ORAÇÃO E JEJUM.

 
a) Mc 9:29 - Jesus ainda não havia derrotado e amarrado o diabo, nem posto os
demônios em cadeias para o juízo do grande dia final. A palavra jejum não aparece no
original grego.
 
9. OS JEJUNS DO APÓSTOLO PAULO FAZIAM PARTE DOS SEUS SOFRIMENTOS
POR AMOR DO EVANGELHO.

 
a) 2ª Co 11:21-33 - Paulo foi preso, açoitado, fustigado com varas, apedrejado,
naufragado, trabalhou forçadamente, vigiliou, passou fome e sede, jejuns, frio e nudez.
Outros versículos: Tt 1:14 1ª Tm 1:4 1ª Tm 4: 8,9 Gl 3:10 Hb 13:9 Gl 2:16 Rm
14:23 Rm 11:6
2ª Co 5:16 - “Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos
segundo a carne; e, se antes conhecemos a Cristo segundo a carne, já agora
não o conhecemos deste modo.”
 
Vamos evidenciar aquilo que a Bíblia chama de obras mortas -
obra morta é toda aquela ação desprovida de vida e que, por isso, nada
acrescenta ao cristão, porque é produto da carne.
· Sábado - é o dia do descanso do povo judeu. O nosso shabatum, o nosso
descanso é Jesus. Cl 2:16, Hb 4:9,10.
· Comidas e alimentos - Cl 2:16 - No mundo só há uma coisa digna de ser
buscada: o conhecimento de Deus. Hb 9:10
· Cerimoniais judaicos.
· Lava pés como prova de humildade - Jo 13: 1-20
· Paramentos e colarinhos clericais
· Roupas eclesiais e com estolas
· Unção de enfermos
· Imposição de mãos
· Ritos e sacrifícios (pagar votos, raspar a cabeça, purificações) - At 21:23, 24
· Exercícios corporais (vigílias, jejuns, subidas aos montes, horas de joelhos) Cl
2:16-23
· Dias de festas (natal, páscoa, pentecostes, festas judaicas) - Cl 2:16
· Luas (cria superstições)
· Cruz com símbolo de Cristo
· Extrema unção (não tem valor espiritual, é um ritual romano)
· Fitinhas (superstições)
· Rosas ungidas, óleos, balas, arrudas, flores, vassouras, sabonetes, roupas
ungidas,
· enxofre, sangue, correntes, sal, pétalas, lenços, água do rio Jordão,
semanas de Gideão, Isaque, Josafá, Moisés, Davi - tudo isso são formas
espúrias de fazer comércio com o povo de Deus, anulando a graça de Deus e
indignificando o sangue da Nova Aliança.
· Mandamentos de homens (proibir corte de cabelo, pintura nas unhas, maquiagem, depilação
nas mulheres, etc.)
 
PALAVRA FINAL - O nosso ministério está levando o povo de Deus ao
conhecimento, para que através deste conhecimento sejam pessoas livres e
confiantes. É por isso que cada culto celebrado aqui proporciona ao povo de
 
Deus crescimento na graça e no conhecimento.
Ao abrirmos a Bíblia para receber ensinamentos do Senhor, nós estaremos
sedimentando a nossa vida espiritual, que nos leva à maturidade.
 
É importante lembrar que o judaísmo era uma religião de coisas elementares.
Mas o cristianismo é muito mais profundo do que a lei judaica, e os
ensinamentos de Paulo vieram imprimir um caráter de maturidade espiritual,
ultrapassando os princípios legalistas.