quarta-feira, 26 de setembro de 2012

As religiões usam a fé como um bom negócio, diz Edir Macedo









Será que ele não faz o mesmo?

O bispo da Igreja Universal questiona a diferença entre a fé natural e a sobrenatural.

O blog do bispo Edir Macedo publicou na última sexta-feira (21) um texto questionando a fé natural e a fé sobrenatural, explicando as diferenças entre elas e a acusando a primeira de ser superficial, sendo por esse motivo, usada pelas religiões como um bom negócio.

O texto recebeu o nome de “Fé e religião”, e foi compartilhado mais de 4 mil vezes pelas redes sociais. O religioso critica o fato das religiões usarem a fé natural que não tem ligações com Deus e por isso separam as pessoas criando preconceitos. “As religiões têm se aproveitado da fé natural como um bom negócio. Essa é a razão de milhares de religiões, milhões de deuses e bilhões de religiosos. E o pior, ninguém se entende.”

A critica é referente ao que ele chama de fé natural que na opinião do fundador da IURD é inerente à natureza humana. Defendendo a fé que é pregada na Igreja Universal, Macedo explica que a fé correta é a fé sobrenatural.

“Ao contrário da fé natural, que vem de berço, a fé sobrenatural vem do Alto. É dom de Deus aos humildes de espírito. Está infinitamente acima da natural. É o único canal direto com Deus, sem intermediários”, escreve ele.

No texto ele explica que na IURD é ensinado a ter a fé sobrenatural que promove o relacionamento entre o Criador e a criatura, sem precisar de intermediários. “A fé sobrenatural livra o ser humano das imposições religiosas, de sofismas e de tudo o mais que engessa a capacidade de raciocinar para fazer a melhor escolha”, afirma.

Leia na íntegra:

Fé e religião não combinam.

Não combinam quando se trata da fé sobrenatural.

Como os céus são mais altos do que a Terra, assim é a fé sobrenatural em relação à religião.

Mas se tratarmos de fé natural, então a fé anda de mãos dadas com a religião.

Quando o ateu ignora a fé, na realidade, e inconscientemente, fala da fé sobrenatural.

Nesse caso, tem toda a razão.

Mas tratando-se de fé natural, todos têm. Inclusive o mais cético.

É impossível viver sem ela, já vem de berço.

Quem trabalha sem a certeza de receber seu salário?

Quem semeia sem a certeza de colher seus frutos?

Quem estuda sem a certeza de um futuro melhor?

Essa certeza é a fé natural, inerente à natureza humana.

As religiões têm se aproveitado da fé natural como um bom negócio.

Essa é a razão de milhares de religiões, milhões de deuses e bilhões de religiosos.

E o pior, ninguém se entende.

Se fossem de Deus, não separariam as pessoas e não promoveriam o preconceito.

Ao contrário da fé natural, que vem de berço, a fé sobrenatural vem do Alto.

É dom de Deus aos humildes de espírito.

Está infinitamente acima da natural.

É o único canal direto com Deus, sem intermediários.

Como Escola da Fé, a IURD tem ensinado esse tipo de fé…

Que estreita o relacionamento da criatura com o Criador, sem intermediários;

Que materializa os sonhos de quem a possui;

Que transforma o ser cruel, nocivo à sociedade, numa criatura do bem;

Que restaura as feridas físicas e espirituais dos que creem;

Que “faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor”. Isaías 40.29

Que promove qualidade de vida diferenciada dos que não creem.

A fé sobrenatural livra o ser humano das imposições religiosas, de sofismas e de tudo o mais que engessa a capacidade de raciocinar para fazer a melhor escolha.

Livra dos enganos do coração, dos sentimentos fúteis e vãos, que têm escravizado a mente humana.

Enfim, a fé sobrenatural traz de volta a imagem e semelhança do Altíssimo, já que através dela o Espírito da Criação opera.

“E então, vereis outra vez a diferença entre o justo e o perverso, entre o que serve a Deus e o que não O serve.” Malaquias 3.18

fonte: Gospel Prime