terça-feira, 4 de setembro de 2012

Os mortos-vivos na bíblia.


Veio sobre mim a mão do SENHOR, e ele me fez sair no Espírito do SENHOR, e me pôs no meio de um vale que estava cheio de ossos.(Ez. 37:1)


Quando li esta passagem, a do profeta Ezequiel no vale de ossos secos, muito me chamou a atenção, já que o profeta fora levado por Deus em uma visão a um tipo de cemitério. 

O que me chamou atenção também, é que muitos interpretes, alguns até de nome renome, afirmam de forma veemente que tal passagem se refere à nação Israel.

Em reuniões de avivamento espiritual, os chamados pentecostais, são repelidos a que não entreguem no meio da igreja algum tipo de visão ou revelação, que obtenham o mesmo teor que a da profecia do vale de ossos secos. Alguns lideres, até mesmo de forma inconsciente, acabam por blasfemar quando dizem que tal visão, ou que tal revelação não é da parte de Deus. 

No entanto, neste estudo, quero apresentar a forma de como vejo a interpretação desta passagem, a de Ezequiel, no capítulo 37.

Vejamos: 

     ... me pôs no meio de um vale que estava cheio de ossos. (Ez. 37:1)

Observe que foi o próprio Deus que colocou o profeta no meio daquele lugar mórbido, e não outra pessoa.

Muitas nos dias de hoje, são ensinados de que Deus não as colocará em situações difíceis, e que viver na miséria é coisa do maligno. Será? Eu aprendi que nem sempre é assim.

Enquanto escrevo este estudo, lembro-me, que certa vez, quando ainda novo, morava eu, minha esposa e mais três filhos em uma vila de casas, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e em determinado tempo, certo irmão veio a me convidar para ser o preletor da noite em um culto público na  igreja a qual congregava. 

Quando o mesmo chegou à minha casa, eu e minha família o recebemos como nos manda as Escrituras Sagradas, no entanto, dias depois, fiquei sabendo que o mesmo havia confidenciado a alguns irmãos, que achava ele, que em mim havia algum tipo de pecado diante de Deus, já que eu morava em uma vila de casas, e que Deus jamais iria permitir isso.


Pois é; às vezes Deus nos coloca bem no meio de um vale de ossos secos, e posso afirmar ainda, quando ele nos coloca no meio do vale, não é para o nosso mal, mas sim, para o nosso bem. 

Como saberemos que Deus realmente salva, se nunca o vimos fazer algo
extraordinário em nossas vidas? Lembra-se do caso de Jó?

Jó somente conhecia Deus apenas de ouvir falar. 

Seus pais certamente o ensinaram a obedecer a Deus em todos os sentidos, e a seguir a Deus de forma plena. No entanto, isso não significava que Jó tinha alguma experiência com Deus. Foi preciso de que Jó passasse pelo que ele enfrentou, para que pudesse conhecer a Deus de fato. (Jó 42:5)

E me fez passar em volta deles; ... (Ez 37:2)

O que podemos notar aqui nesta passagem, é que o profeta foi levado por Deus a observar o estado que se encontravam aqueles ossos. Vede que ele, o profeta, caminhou no meio dos ossos (Isso me faz lembrar uma coisa: como tem crente que tem medo de entrar em cemitério.), e por um grande espaço de tempo, já que o profeta a seguir faz duas observações:

  
Primeiro:

...e eis que ERAM MUI NUMEROSOS sobre a face do vale, ... (Ez 37:2)

Na visão de Ezequiel, imagine você, era como se ele estivesse chegado a um país que fora arrasado por algum tipo de guerra, e a seus moradores, não fora dado o direito de ser enterrado.

No passado, esse tipo de barbárie era muito comum nas guerras, os vencedores faziam questão de deixar os mortos à exposição, numa forma de exemplificar o tamanho de seu poderio.

No entanto, o profeta deixa bem claro: ... ERAM MUI NUMEROSOS ...

Isso me faz lembrar a igreja de Cristo, como ela é numerosa no meio da terra, porém, dividida como se encontra, ela não é nada.

Enquanto a igreja viver em divisão, haverá sempre reuniões na busca de avivamento espiritual. Avivamento espiritual somente acontece, quando a igreja realmente se une. Não há avivamento sem união! É por isso que quando uma igreja começa a receber o “avivamento”, e com isso, ela deixa a vaidade por ter sido avivada entrar, e outras não, a queda acaba por ser inevitável.

Pense um pouco e me diga: onde estão aqueles trabalhos de avivamento espirituais (consagrações, vigílias e etc.) que surgiram a anos atrás, e hoje já não existem mais? E quando existem, são como antes?

Segundo:

 ...e EIS QUE ESTAVAM SEQUÍSSIMOS. (Ez 37:2)

Agora o profeta nos apresenta uma segunda observação: ... ESTAVAM SEQUÍSSIMOS ... Você sabe qual é o estado de um osso quando ele está sequíssimo? Vou lhe dizer como é; o osso quando esta no estado sequíssimo, ele é leve e poroso. É como a pedra hume. Aquelas pedras que se usam para esfregar os pés.


Voltando ao nosso estudo, o estado dos ossos não era apenas seco, mas, sequíssimo. Isso nos leva a uma observação do estado que o profeta viu, e era um estado crítico.

Vejamos em outra passagem, a do profeta Habacuque:

Ouvi, SENHOR, a tua palavra, E TEMI;... (Hab. 3:2)

O que o profeta ouviu da parte de Deus, que fez com que ele tivesse medo? Certamente que o Senhor Deus revelou algo particular ao profeta, que o deixou estarrecido. Não foi uma revelação para os seus dias, mas uma revelação futurística. Tal revelação, levou o profeta Habacuque a fazer o seguinte apelo a Deus:

...AVIVA, ó SENHOR, a tua obra no meio dos anos, ... (Hab. 3:2)
Isso é uma coisa séria! Observe que lá atrás, nos dias de Habacuque, o profeta viu também, o estado crítico da igreja atual.

Infelizmente, o que vivemos nos dias de hoje, — e olhe que para eu dizer isso é muito difícil, mas a verdade tem que ser dita: vivemos dias, em que a maioria das igrejas, são corruptas, adulteras, amante do mundo moderno com sua conscupciências, das riquezas (que o diga os próprios mercenários, já que rondam as igrejas cobrando fortunas para pregar, vendem bíblias a R$ 900,00 prometendo prosperidade, ou até mesmo quando vão cantar) entre outras coisas.

...no meio dos anos faze-a conhecida;... (Hab. 3:2)

Quando a igreja for realmente de fato avivada, aí então ela não será apenas conhecida, mas reconhecida de fato, como um sinal da presença de Deus na terra. No entanto, para que isso aconteça, é necessário que continuemos a conhecer a passagem do profeta Ezequiel, capítulo 37.

E me disse: Filho do homem, porventura viverão estes ossos? ...(Ez. 37:3)

Ora, Se Deus sabe muito bem o que pode ou não acontecer, então porque ele fez ao profeta tal pergunta? 

Certamente que Deus iria ensinar algo ao profeta que iria mudar sua vida. 

Observe que esta pergunta, na realidade, esta relacionada ao aumento, se assim posso dizer, da fé de Ezequiel em Deus. Ainda que o profeta já tivesse visto Deus fazer tantas coisas, e ter sido ensinado em toda história judaica, observe a seguir qual foi a sua resposta a Deus: “...Senhor DEUS, tu o sabes.

Ainda que o profeta, ou nós mesmos, tenhamos "feito" grandes coisas na obra de Deus, muitas das vezes, “bate” em nosso interior dúvidas com respeito a determinadas coisas. Se o Senhor Deus fará ou não, isso ou aquilo. Se Ele pode ou não fazer.

Então me disse: Profetiza sobre estes ossos, ... (Ez. 37:4)

A ordem dada ao profeta agora, era a de criação da vida. Era a palavra criadora, construtora, curadora, eficaz, ...

Observe que foi Deus que mandou o profeta vaticinar (profetizar), e não homem algum.

Nos dias de hoje, há uma doença espiritual que ronda a maioria das igrejas, que são chamadas pentecostais, em que o preletor da noite, ou até mesmo os seus dirigentes, que acreditando serem as reencarnações do profeta Elias, mandam que os membros de suas igrejas “profetizem” a cura, a benção, ou seja, lá o que for. Isso é muito perigoso, já que os dois cargos específico que podem levar o homem ao inferno, é o de pastor (Heb. 13:17) e o de profeta (Jer. 23:26 - 29:9 – Mat. 7:22,23 - II Ped. 2:1)

Exemplo: Se um desses, lhe mandar profetizar a sua benção, e se você achar de profetizar com base em suas ordens, um carro 0 km na garagem de sua casa, e se quando você chegar a sua casa não encontrar o tal carro, por certo que, tal homem não é de Deus, e nos próximo cultos você poderá cobrar deles o cumprimento de tal profecia, já que, quando é Deus que nos manda profetizar, ele cumpre. Então quem te ordenou, também tem que fazer cumprir. Fazendo isso, o falso profeta será desmascarado.

Quando tais homens tomam tais atitudes, mandando seus membros profetizarem, ainda que de forma inconsciente, estão querendo tomar o lugar de Deus (Is. 14:14), e isso queridos, Deus não dividirá sua glória com ninguém (Is. 48:11). Veja o que aconteceu com satanás por querer o lugar de Deus (Is. 14:14 ao 19 – Apoc. 12:7 ao 10).

Olhem a vida do profeta Elias e a vida destes, que se dizem serem homens de Deus nos dias de hoje. Há uma grande diferença! 

Elias, o profeta, andava dia e noite na presença de Deus. Era uma vida santa, separada, no altar de Deus (2 Re. 1:1 ao 8). O profeta não vivia preso a nenhum tipo de serviço material, era totalmente a serviço do Reino.

Ainda que hoje em dia, tenhamos homens e mulheres que largaram os afazeres da vida secular para se dedicarem “exclusivamente” a Deus (ou será ao dinheiro?), ainda assim, suas vidas deixam muito a desejar, só por acreditarem no chamado “tempo da graça”. 

Não sabem eles que a graça, por certo, é pior que a lei? Na realidade, eles são uma vergonha para o evangelho.

Quando Deus mandou que o profeta vaticinasse, Ele, Deus, queria que o profeta obtivesse uma experiência exclusiva, a da vida, da criação, da renovação. 

Nem tudo aquilo que parece estar acabado, é de fato o final. Deus na maioria das vezes, sempre tem uma nova história. Você crê nisso?

...e dize-lhes: Ossos secos, OUVI a palavra do SENHOR. (Ez. 37:4)

Então, o que observamos aqui? Como poderão os ossos ouvir, já que são restos mortais de um corpo? Então nos leva a seguinte “visão”: Deus quando mandou o profeta vaticinar aos ossos, eram aqueles ossos, pessoas, que naquele momento eram vistos como tal (Mc. 8:24).

A palavra de Deus é que dá vida. É ela que liberta o homem de seus erros, de suas transgressões (Jo. 8:32).

Nos dias de hoje o que mais se vê dentro dos templos, sejam eles evangélicos ou católicos, são os “louvores”. A igreja é ensinada a cantar, que cantar faz bem, que Davi expulsou os espíritos malignos de Saul através de suas músicas e etc. Agora, observemos o que o texto abaixo encontrado nas Escrituras Sagradas nos diz:

Mas os cânticos do templo, naquele dia, serão uivos, diz o SENHOR Deus; multiplicar-se-ão os cadáveres; em todos os lugares,... (Amós 8:3)

Entre outras palavras; o que está matando a igreja ainda mais, nos dias de hoje, são os muitos cânticos. Ouvem-se muito mais cânticos dentro dos templos, do que a própria palavra de Deus.

Na maioria das igrejas, há um maior período de louvor do que para a pregação. E como ha nos dias de hoje, festivais de músicas gospel.

Você já viu algum tipo de festival de pregação da palavra de Deus, que não seja em Camburiu- SC, no evento dos Gideões, Missionários da Última Hora – G.M.U.H. todos os anos?

Busquemos a palavra de Deus ela liberta, cura, batiza e renova a sua Vida...