segunda-feira, 1 de outubro de 2012

É necessário que ele cresça e que eu diminua.


João 3:30 - É necessário que ele cresça e que eu diminua. 
O ministério de João Batista foi bem definido pelo Senhor: “preparar o caminho”. Por isso, quando falou da sua alegria, ao saber do começo da obra de Jesus, afirmou: “É necessário que Ele cresça e que eu diminua”. (João 3:30).
Não faltam igrejas, hoje em dia, as quais crescem e onde Jesus diminui. Não faltam líderes religiosos que se auto-promovem, às custas de uma pregação aguada, sem o temor do Cristo. Líderes e igrejas que crescem, ao mesmo tempo que diminuem Jesus.
O plano divino para os cristãos é que “cresçam na graça e no conhecimento da verdade”. Dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço, ao mesmo tempo. Paulo diz que em nós habita o “homem velho”, sujeito ao pecado, e a “nova criatura” que recebemos pela fé em Cristo.  Diminuir nossa natureza do pecado não nos humilha – ela abre caminho para o aperfeiçoamento dos “filhos de Deus”. Que Ele cresça e eu diminua.
Cantamos hinos com letras inspiradas na palavra de Deus, mas que não refletem o que o nosso coração sente. Não refletem nossos atos perante a sociedade.
Queremos notoriedade, fama, bajulação. Está na hora de rever nossos conceitos e atitudes, para o que sai da nossa boca sejam vistas também em atitudes.
“Eu não preciso ser reconhecido por ninguém
A minha gloria é fazer com que conheçam a ti
E que diminua eu, Pra que tu cresças  Senhor  mais e mais.
E como Serafins que encobrem o rosto ante a ti
Escondo o rosto pra que vejam tua face em mim
E que diminua eu, Pra que tu cresças  Senhor  mais e mais.
No Santo dos Santos a fumaça me esconde só teus olhos me veem
Debaixo de tuas asas é o meu abrigo, meu lugar Secreto.
Só tua graça me basta e tua presença é o meu prazer.”
João 3:30 - É necessário que ele cresça e que eu diminua. 

O ministério de João Batista foi bem definido pelo Senhor: “preparar o caminho”. Por isso, quando falou da sua alegria, ao saber do começo da obra de Jesus, afirmou: “É necessário que Ele cresça e que eu diminua”. (João 3:30).
Não faltam igrejas, hoje em dia, as quais crescem e onde Jesus diminui. Não faltam líderes religiosos que se auto-promovem, às custas de uma pregação aguada, sem o temor do Cristo. Líderes e igrejas que crescem, ao mesmo tempo que diminuem Jesus.
O plano divino para os cristãos é que “cresçam na graça e no conhecimento da verdade”. Dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço, ao mesmo tempo. Paulo diz que em nós habita o “homem velho”, sujeito ao pecado, e a “nova criatura” que recebemos pela fé em Cristo.  Diminuir nossa natureza do pecado não nos humilha – ela abre caminho para o aperfeiçoamento dos “filhos de Deus”. Que Ele cresça e eu diminua.
Cantamos hinos com letras inspiradas na palavra de Deus, mas que não refletem o que o nosso coração sente. Não refletem nossos atos perante a sociedade.
Queremos notoriedade, fama, bajulação. Está na hora de rever nossos conceitos e atitudes, para o que sai da nossa boca sejam vistas também em atitudes.
“Eu não preciso ser reconhecido por ninguém
A minha gloria é fazer com que conheçam a ti
E que diminua eu, Pra que tu cresças  Senhor  mais e mais.
E como Serafins que encobrem o rosto ante a ti
Escondo o rosto pra que vejam tua face em mim
E que diminua eu, Pra que tu cresças  Senhor  mais e mais.
No Santo dos Santos a fumaça me esconde só teus olhos me veem
Debaixo de tuas asas é o meu abrigo, meu lugar Secreto.
Só tua graça me basta e tua presença é o meu prazer.”