quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Origem do Mal.


             DEFINIÇÕES

                   Mal - Aquilo que é nocivo, prejudicial, oposto ao bem, à virtude, à honra, moléstia, enfermidade, calamidade, sofrimento, infelicidade, dano, estrago, imperfeição, algo contra o direito, contra a moral, contra a justiça e as boas normas, ausência do bem.


                   Teologicamente, mal é tudo o que é contrário à natureza de Deus.

                   Filosoficamente, mal é o uso incorreto de algo bom. Nada é mal em si mesmo. Uma faca pode ser usada para o bem ou para o mal. A água é indispensável à vida, mas pode ser usada para o mal


                   CLASSIFICAÇÃO

                   O mal pode ser moral ou físico


                   ANÁLISE  FILOSÓFICA


                   O mal não existe. O mal acontece. O mal não é um ser ou uma coisa. Não é concreto mas abstrato. Portanto, não é uma criatura ou uma criação. O mal é uma característica ou estado de um ser, coisa ou fato. É como um apêndice que precisa de um suporte. O “mal” é um título que damos para algo mau. Se eliminarmos o “algo”, não sobrará nenhum mal, pois este está condicionado à existência de seu portador ou hospedeiro.
                   Ec.8:11 - O coração do homem está disposto a praticar o mal. A prática do mal é condição essencial à sua ocorrência.


                   DEUS NÃO CRIOU O MAL


                   Deus é onipotente. Isto significa que ele pode fazer todas as coisas, exceto aquilo que for contrário à sua natureza.

                   Gn.1:31 - Deus viu que tudo o que ele fez era  muito bom.
                   Jó 34:10 - Longe de Deus a impiedade e a perversidade.
                   Dt.32:4 - Todas as suas obras são perfeitas.
                   Mt.7:17-18 - A árvore boa não produz maus frutos.
                   Mt.12:33-35 - A árvore má não produz bons frutos.
                   Sl.34:8 - Provai e vede que o Senhor é bom.
                               Sendo bom, ele não criaria o mal
                   Sl.5:4 - Com Deus não subsiste o mal.     
                   Sl.15:1-3 - Quem não faz mal ao próximo habitará com o Senhor.
                   Sl.23:4 - Não temeria mal algum porque tu estás comigo.
                   Is.11:9 - Não se fará mal algum... porque o conhecimento de Deus dominará.
                   Gn.50:20  - Deus transformou o mal em bem na vida de José.
                   Jr.29:11 - Deus tem pensamentos de paz e não de mal        
                   Am.5:14 - Buscai o bem e não o mal e o Senhor estará convosco.
                   Sof .3:15 - O Sr.está no meio de ti e não verás nenhum mal.         
                   João 3:20-21 - Quem pratica o mal não vem para a luz. (Contrário a Deus).
                   Sl.13:6 - O Senhor tem feito bem.
                   Hab.1:13 - Deus não pode ver o mal. Não poderia também criá-lo.       
                   II Tim.2:13 - Deus não pode negar a si mesmo. Não poderia criar o mal.
                   Tg.1:13 - A tentação não vem de Deus. O mal também não viria.
                   I Jo.1:5 - Deus é luz e nele não há trevas.
                  
                   Se Deus tivesse criado o mal, ele não poderia condenar quem o pratica.

                   Jz.2:11-14 - Julgamento de Deus contra os males praticados por Israel
                   I Rs.11:6 - Julgamento de Deus contra os males praticados pelos reis.
                   Sl.34:12-16 - Julgamento de Deus contra os que praticam o mal
                   I Pd.3:12 - Julgamento de Deus contra os que praticam o mal.

                   Se Deus tivesse criado o mal, sua luta contra o mal seria incoerente, uma contradição.
                   I Jo.3:8 - Jesus se manifestou para desfazer as obras do Diabo.
                   III Jo.11 -Quem faz bem é de Deus. Quem faz mal não tem visto a Deus.

                   Se Deus tivesse criado o mal, Jesus não oraria para que fôssemos guardados do mal e nós não oraríamos para que Deus nos livrasse do mal. (Mat.6:13  Jo.17:15).           
                   Algumas pessoas não admitem que exista algo sem que Deus tenha criado. Se pensarmos assim, atribuiremos a Deus a existência do pecado.



                   DEUS PERMITIU O SURGIMENTO DO MAL


                   ORIGEM DO MAL   (ASPECTO MORAL)


                   Para afirmarmos que Deus criou o mal antes do pecado angelical, precisaríamos apresentar algum indício desse fato. Evidentemente, não podemos. A Bíblia não nos diz isto. Nenhum mal ocorreu antes do pecado de Lúcifer. Portanto, nada mais justo do que atribuir a ele os “direitos autorais” do mal.
                   Deus criou os seres angelicais perfeitos. Eles, porém, deixaram o seu estado original (Jd.6). Por exemplo : Deus criou a galinha com a capacidade de botar ovos e assim se multiplicar. A galinha botou os ovos. O homem veio e quebrou os ovos e fez uma omelete. Podemos dizer que Deus criou a omelete ? De modo nenhum. A omelete foi feita pelo homem usando o que Deus havia criado.
                   Lúcifer foi criado perfeito e assim foi até o momento quando quis ser maior que Deus. Esse foi o primeiro mal. Daí em diante, Satanás personificou o mal e trabalha para que ele continue acontecendo, pois acontecer é essencial à sua realidade e inerente ao seu significado.
                  

                   Is.14:12-16  Ez.28:1-19  Entendemos que tais textos fazem menção ilustrada ao pecado de Lúcifer.
                   Jo.8:44 - Satanás é o pai da mentira. Nisso vemos sua originalidade maligna. A mentira não existiria se ele não a tivesse inventado. Assim também o mal.


                   EXTENSÃO DO MAL  (ASPECTO FÍSICO)

                   Todo mal físico iniciou-se no jardim do Éden como uma extensão do mal moral. Sua primeira manifestação foi na serpente. Daí podemos até supor que os próprios animais têm, ou tinham, algum tipo livre-arbítrio. Caso contrário, Deus não amaldiçoaria a serpente pela sua participação na tentação do homem. Depois da queda do homem, o mal físico tornou-se uma realidade. A própria natureza tornou-se contrária ao ser humano. A terra passou a não corresponder ao seu trabalho e nasceram cardos e abrolhos.


         AS RELAÇÕES ENTRE DEUS E O MAL NO VELHO TESTAMENTO

        
                   Algumas menções que o Velho Testamento faz vinculando o mal a Deus são evidências do nível de revelação teológica que eles tinham. Assim como disseram que o sol parou, quando, de fato, a terra é que teve seu movimento interrompido.
                   Satanás atacou Jó e ele atribuiu o mal a Deus. O Senhor permitiu que aquele mal acontecesse, mas ele não foi seu idealizador. Jó 2:7-10.
                   Davi recenseou o povo. O autor de II Samuel disse que foi ordem de Deus (24:1). O autor de I Crônicas disse que foi incitação de Satanás (21:1). Os dois textos concordam entre si na seqüência do episódio. Ambos relatam que Deus castigou Davi por causa do senso. Daí concluímos que Deus não havia mandado que ele contasse o povo. Foi um mal e sua origem foi Satanás. A visão de II Samuel é a de que Deus está no controle soberano de tudo. Deus permitiu a ação de Satanás. Entretanto, não foi o Senhor o idealizador daquele mal.
                   I Sm.16:23 - Espírito mau da parte de Deus
                   I Rs.22: 19-23 - Espírito de mentira enviado por Deus


                   DEUS SE UTILIZA DO MAL PARA DESTRUIR O MAL


                   Deus usa o mal como seu próprio antídoto assim como fazemos o soro antiofídico com o próprio veneno da serpente. (Sl.18:25-26).
                   O que o homem semear isso também ceifará (Gl.6:7).
                   Deus canaliza o mal para sua auto-destruição. Aqui nos referimos ao mal físico ou no sentido de calamidade, infelicidade ou castigo. O mal físico é conseqüência e castigo contra o mal moral. Nesse sentido se enquadra o texto de Isaías 45:7. Tal versículo não poderia se referir ao mal de forma geral porque, se assim fosse, o mais coerente seria o verbo criar no passado : “Eu criei o mal”.
                   Is.45:7 - Is.47:11 - Mal feito por Deus = castigo (calamidade).
                   I Sm.28:10 - Mal feito por Deus =  castigo
                   A morte é um mal. Deus usou a morte de Cristo para vencer a própria morte. Jesus tomou sobre si o pecado para vencer o pecado. (Rm.8:3).