segunda-feira, 11 de março de 2013

Para onde iremos após a morte?




Deus Jeová, o criador dos céus e da terra, deu inicio a criação, conforme está registrado no livro de Gênesis. Ele sendo um ser invisível, criou todas as coisas visíveis e invisíveis e o homem, um ser material e visível, que é a obra máxima de sua criação, conforme a sua imagem e semelhança.

Em Gen 2:7, lemos assim: ?... E formou o Senhor Deus o homem do pó da terra, e soprou em seus narizes o fôlego da vida; e o homem foi feito alma vivente...?. Quando Deus tinha acabado de formar o homem do pó da terra, ele estava inerte, caído e nele não havia a vida. Porém Deus lhe soprou em suas narinas e ele teve vida, abrindo os seus olhos e se levantando. Se isso tudo estivesse registrado numa fita de vídeo e agora voltássemos esta mesma fita, veríamos o fôlego de vida, e não um ser, saindo do homem, retornando a Deus e o homem sendo desfeito e retornando ao pó donde saiu.

Deus assim fez o homem; constituído de corpo (físico), alma (psique) e espírito (fôlego de vida). Agora pergunto o seguinte e, é necessário que você medite sobre esta pergunta: Antes de Deus ter formado o homem do pó da terra e lhe soprado nas narinas o fôlego de vida, já existia um ser espiritual nos céus e Deus o introduziu dentro do homem para que ele vivesse? ? Claro e evidente que não. Deus é o dono da vida e a deu ao ser formado do pó da terra.

O primeiro homem criado por Deus, era imortal, material, mas não era revestido da incorruptibilidade, diferença esta que; após sermos ressuscitados na volta de Jesus, seremos revestidos da incorruptibilidade e novamente da imortalidade (I Cor 15).

Os estudiosos da palavra, alegam que o conteúdo de Eclesiastes 9, onde destaco os versículos 3 ,5 e 10 - ?...Este é o mal que há entre tudo o que se faz debaixo do sol: Que a todos sucede o mesmo: Que também o coração dos filhos dos homens está cheio de maldades; que há desvarios no seu coração, na sua vida, e que depois se vão aos mortos... Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tão pouco eles têm jamais recompensa, mas a sua memória ficou entregue ao esquecimento...Tudo o que te vier a mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças. porque na sepultura para onde tu vais, não há obra, nem industria, nem ciência, nem sabedoria alguma ...?, faz menção ao homem fisicamente quando da sua morte apenas, e não do homem espiritual. Para tanto, analisemos ainda Sal 115:17 ?...Os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio...?. Jesus, conforme está registrado em João Cap 11 Vers 11, após saber que Lázaro morrera, disse que ele dormia, mas que ia despertá-lo do sono. A Bíblia nos fala de muitas outras ressurreições, mas me atenho no momento ao caso de Lázaro para lhes perguntar o seguinte: Ele estava morto há quatro dias. Na visão dos que acreditam que a morte é o desprendimento do ser material do espiritual, ele já deveria ter ido para ?algum? lugar. Quando Jesus mandou-lhe que saísse do túmulo, ele ressuscitou ou reencarnou? Pois se ele tivesse desencarnado, tornou a encarnar. Eu creio que Lázaro reviveu, ressuscitou.

Quando o homem foi tentado pelo diabo, ele disse que se comessem do fruto da árvore, eles não morreriam e seriam iguais a Deus; conhecedores do bem e do Mal. Ao contrário disso, Deus havia advertido ao homem que; se comesse, morreria. E o que se deu então? Adão e Eva comeram do fruto proibido e não tiveram morte instantânea, mas perderam a imortalidade e Deus lhes disse: ?... No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes a terra; porque dela fostes tomado; porquanto és pó, e em pó te tornarás...? (Gen 3:19). Quando o homem morre, ele não tem nenhum destino senão o silêncio da sepultura até que Jesus o ressuscite na sua volta. Eles ensinam que a alma sai do homem e vai para o céu ou para o inferno, mas o que está escrito é: ?...E o pó volte a terra, como era, e o espírito volte a Deus que o deu...?. Ecl 12:7. Vale a pena ressaltar também o conteúdo de Ecl 3:19 a 20 (leia todo o capítulo) que assim nos diz: ?...Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo sucede aos animais; a mesma coisa lhes sucede; como morre um, assim morre o outro, todos tem o mesmo fôlego; e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade. Todos vão para um lugar; todos são pó, todos ao pó tornarão...? . A Bíblia diz que é o fôlego de vida do homem que volta para Deus, e não um ser espiritual como muitos acreditam, pois o homem foi feito por Deus uma alma vivente, e ele não tem uma alma (psique), ele é uma alma. 

Certo dia à tarde, o rei Davi levantou-se do seu leito e passeava pelo terraço da casa real, quando do terraço, viu uma mulher que estava se lavando, e era uma mulher mui formosa a vista. Então o rei, enviando alguns para saber quem era, ficou sabendo que era Bate-Seba, filha de Eliã e mulher de Urias. Depois disso, o rei Davi enviou mensageiros e a trouxeram e ele deitou-se com ela. 

Bate-Seba veio a engravidar de Davi que, ao ficar sabendo, deu um jeitinho para que Urias morresse, escrevendo uma carta a Joabe, para que ele colocasse Urias na frente da maior frente de peleja e, em seguida; se retirassem de trás dele, para que fosse ferido e morto, e assim aconteceu.

E agora como conscientizar do pecado, um rei e homem de Deus? 

Deus usou o profeta Natã e o enviou até a presença do rei, tendo-lhe contado uma parábola: - Havia numa cidade dois homens; um rico e o outro pobre. O rico tinha muitíssimas ovelhas e vacas; mas o pobre não tinha coisa nenhuma, senão uma pequena cordeira que comprara e criara; e ela tinha crescido com ele e com seus filhos igualmente. Da sua comida comia, do seu copo bebia, e dormia em seu regaço, e a tinha como filha. E vindo ao homem rico um viajante, deixou este de pegar das suas ovelhas e das suas vacas para guisar para o viajante que viera a ele, e tomou a cordeira do homem pobre e a preparou ao homem que viera a ele.

O rei, ao ouvir o profeta, a sua ira ascendeu-se em grande maneira contra aquele homem e disse ao profeta Natã que o tal homem que tinha feito aquilo, tinha que morrer. Porém o rei foi surpreendido pelo profeta, que lhe disse que o tal homem era ele, referindo-se ao que tinha feito com Urias. (II Sam 12).

Deus usou o profeta Natã, que fazendo uso de uma parábola, fez com que o rei Davi compreendesse a gravidade do seu pecado. Não era uma história literal, mas ela ilustrava a atitude do rei com relação a Bate-Seba e a Urias, o seu marido.

Jesus Cristo quando aqui esteve, também fez uso de parábolas para ilustrar o que queria dizer, conforme está escrito em Mat 13:34 ?...Tudo isto disse Jesus por parábolas à multidão, e nada lhes falava sem parábolas....?, e ainda mandou, conforme Mat 10:27, ensinar em luz, aquilo o que Ele dizia em trevas, e assim, além de facilitar o entendimento, só as entendia aqueles que as ouvia de bom grado, e de coração aberto.

Quando Jesus contou a parábola do semeador, os discípulos não a entenderam e perguntaram-no por que lhes falava assim? Por que não lhes dizia abertamente? Porém, Ele lhes disse que a eles era dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas aos outros não lhes era dado. Ele disse que era para que vendo não vissem e ouvindo não compreendessem, pois neles se cumpria a profecias de Isaias, que diz: Ouvindo ouvireis, mas não compreendereis e vendo, vereis mas não percebereis. Porque o coração deste povo está endurecido, e ouviram de mal grado com seus ouvidos, e fecharam seus olhos; para que não vejam com os olhos, e ouçam com os ouvidos, e compreendam com o coração, e se convertam, e eu os cure (Mat 13).

De igual modo, Ele nos contou a parábola do rico e Lázaro (aquele a quem deus ajuda), que está registrada em Lucas 16, e, se esta não for uma parábola, ela entra em contradição com as Escrituras Sagradas, pois mostra um morto intercedendo por um vivo, dando assim, razão aos que rezam a Maria e demais ?Santos?, e a doutrina do purgatório e a da desencarnação, e além do mais, o rico, segundo o texto Bíblico, não cometeu nenhum pecado e não fez nenhuma injustiça, mas simplesmente recebeu os seus bens em vida. Quanto a Lázaro, também não é mencionado que praticara o que era reto aos olhos do Senhor, mas sim, que recebera apenas males. Pregamos e sabemos que ninguém herdará o reino de Deus por Ter recebido bens ou males na terra, mas somente aqueles que lavarem as suas vestiduras no sangue do Cordeiro. Por outro lado, se for uma parábola, o que ele realmente queria dizer? ? O Rico representava o povo de Israel. Povo este, que era rico da graça e Favor de Deus. O Povo escolhido de Deus. Tinham todas as graças aos olhos do Pai e, para quem o seu Filho foi enviado. Mas os seus não o receberam.

Lázaro representava, os gentios. Comíamos das migalhas que caiam da mesa de nosso Senhor. Em Mat 15: 22 a 27, lemos assim: ? ...E eis que uma mulher Cananéia, que saíra daquelas cercanias, clamou dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada. Mas ele não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, chegando ao pé dele, rogaram-lhe dizendo: Despede-a, que vem gritando atrás de nós. E Ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão as ovelhas perdidas da casa de Israel. Então chegou ela, e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me. Ele porém, respondendo disse: Não é bom pegar no pão dos filhos e deita-los aos cachorrinhos. E ela disse: Sim, Senhor, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa de seus senhores...?. A mulher Cananéia era grega, siro-fenícia de nação (Mar 7:26). Com a morte de Jesus, agora Israel deixou de ser o Povo escolhido. Após Jesus ter morrido e ressuscitado, caiu a parede da separação e nós, que antes mendigávamos os favores de Deus, agora somos consolados em Cristo Jesus. Pois todos que creram no seu nome, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus e, eles agora, se quiserem também a salvação, tem a Lei e os profetas que de cristo testificam.

Jesus, após ser ressuscitado por Deus, apareceu para Maria, que ao tentar detê-lo, ele lhe disse: Não me detenhas porque ainda não subi para meu Pai (Jo 20:17). Jesus só ascendeu aos céus, quarenta dias após a sua ressurreição (At 13). Então como explicar Luc 23:43, onde Jesus disse a um dos ladrões na cruz: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso, ou: Em verdade te digo, hoje mesmo estarás comigo no paraíso? Vai depender da versão que você usar, estará escrito um desses textos ou outro parecido. Na língua em que o texto original está escrito, não existe nenhum sinal de pontuação ou seja, está escrito assim: ?...em verdade te digo hoje estarás comigo no paraíso...?. Dependendo de onde eu encaixe a vírgula, eu mudo totalmente o sentido do texto (em verdade te digo hoje, estarás comigo no paraíso), mas ao examinar os outros pontos, percebo claramente que naquele mesmo dia Jesus não poderia estar com ele, pois ambos morreram. No entanto, fica a impressão, de que mudamos a Bíblia, e para não deixar esta idéia, te pergunto o seguinte: Se os que já morreram em Cristo, estão lá nos céus com Ele, como o pode vir ressuscitar os mortos para leva-los para o céu? Se eles já estivessem lá em cima, como ele viria buscar um povo que já está com ele e onde diz que ele os enviará de volta para terra, os ressuscitará para depois leva-los de volta para os céus? Em Dan 12:2, diz-nos assim: ?...E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vergonha eterna e outros para desprezo eterno...?. E ainda, em I Cor 15:51 lemos: ?...Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados...?. Sim, sabemos que nem todos dormiremos no pó da terra e que os que ficarem vivos para o dia do Senhor, serão transformados e arrebatados.

Solicito-vos, que leia todo o capítulo 37 de Ezequiel (os versículos finais, de 25 a 28, estão de acordo com Apoc 21, de 1 a 8),o vale de ossos secos, e veja do que ele trata, pois nós vemos que depois de estarem os corpos totalmente inteiros, não havia vida neles, então Deus deu ordem ao profeta para que profetizasse ao espírito e ele profetizou e, o espírito entrou neles (e não os espíritos, no plural, entraram neles), e viveram e tornaram-se um exercito numeroso pois entrou neles o fôlego de vida.

O homem julga segundo o seu coração e não segundo Deus pois eles não admitem o pecador escarnecer de Deus, afronta-lo e rejeita-lo e depois, simplesmente morrer de novo depois da segunda ressurreição. O homem é vingativo e esquece que o salário do pecado é a morte, por isso todos nós morreremos e, quando o ímpio morre, ele teve o seu salário. No juízo final ele receberá a sua recompensa pelos seus atos quando viveu aqui na terra, pois tudo está registrado nos céus e nunca mais existirá para todo o sempre. A misericórdia do Senhor dura para sempre, não a sua ira.

Ignoram o que diz em Apocalipse que a morte é um estado físico e não um ser. Ela será lançada no lago de fogo e enxofre, nunca mais existirá. O inferno também não é um ser, mas será igualmente lançado no lado de fogo, deixará também de existir. O lago de fogo é a segunda morte e todo aquele que não for achado inscrito no Livro da Vida, também será lançado ali, morrerá pela segunda e última vez, para sempre.

Está escrito em Mateus 16:18, que as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja. Para que possamos entender este versículo, primeiramente devemos entender o que significa hades, Seol ou inferno, pois têm basicamente o mesmo significado: Lugar onde estão os mortos, sepultura, abismo etc... O que Jesus estava dizendo, é que a morte para o crente não é o fim, pois temos a promessa de ressurreição e, Ele tem as chaves da porta do inferno e da morte (poder para fazer isto), ou seja, na sua volta, ele nos ressuscitará e nos levará para os céus, nós reviveremos. Ele disse em João Cap 14, que onde ele estiver, estaremos nós também, porque seremos levados para o céu, na sua volta e, quando tudo estiver cumprido e se fizerem nova todas as coisas, a Nova Jerusalém descerá do céu para a terra e Jesus também vem, na função eterna de Sumo Sacerdote, e nós também estaremos na terra com Ele.

Sodoma e Gomorra, sofreram a pena do fogo eterno (Jud 1:7) e no entanto, não estão queimando até hoje, concorda? Há pontos difíceis de se entender, pontos esses, que os indoutos e inconstantes, torcem para sua própria perdição. Fogo eterno, significa Justiça Eterna.

Temos na Bíblia, espírito significando ministério, como o espírito de Elias, com o moral, estado de espírito. Temos também alma, exemplificando muitas outras coisas. É como se eu estivesse na fila de um banco, e encontrasse uma pessoa amiga e lhe contasse um sonho que tive. No sonho, eu traíra a minha mulher. Mas na metade da conversa, enquanto eu contava o sonho ao amigo, uma terceira pessoa pouco conhecida, pegou a história pela metade e se escandaliza achando que adulterei e, vai-se embora. Quando chego em casa ou na Igreja, todos estão sabendo que pequei, pois aquela pessoa não acompanhou o início e nem o término do diálogo, ficando apenas com o meio. O mais interessante, é que ela não mentiu, realmente ela me ouviu dizer aquilo, mas se houvesse examinado todo o teor da conversa, o resultado seria outro. Assim também com a Bíblia, muitos se detém apenas em versículos isolados e que dão sustentação as suas idéias, é por esta razão que existem tantas denominações evangélicas.

Maria, Paulo, Pedro e os demais apóstolos, não podem fazer nada pela Igreja, por vários motivos, e um deles é que também estão mortos aguardando a ressurreição.

O Salário do pecado é morte e o dom Gratuito de Deus é a vida eterna. Jesus veio para que tenhamos vida, e a tenhamos em abundância, caso a Alma ou o espírito do ímpio fosse imortal, eles também teriam a vida eterna. Se estar em espírito é o estado do homem após a morte, Deus é espírito e seria estranho compara-lo a situação de um morto. Entretanto, Deus é vivo.

A Bíblia diz que quando o povo de Deus destruía outros povos, eles eram proibidos de copiar os seus modos de cultuar a seus deuses e, na maioria das vezes, nem das jóias e dos animais daqueles povos eles podiam aproveitar. Quando Constantino declarou o cristianismo como sendo a religião oficial de Roma, ele misturou os cultos pagãos ao cristianismo e formou uma Igreja Universal (casa de todos, católica), por favor, examinem o livro de Daniel e o comparem com a História, que aprendemos nas escolas.

A teoria Espírita, teoria essa que eu não domino e nem quero dominar, diz que o homem morre e, após isso, desencarna e vai para um determinado lugar. De lá, ele reencarna numa outra pessoa para atingir uma determinada purificação e pagar em outra vida, coisas pendentes nas vidas anteriores.

Roma sofreu a influência da cultura grega quando a conquistou. Conforme a história, essa influência foi na arte (greco-romana), na religião e na filosofia (os pensamentos gregos). Mais tarde, Constantino ao oficializar o cristianismo como a religião oficial de Roma, o fez com a influência da cultura grega, que cria na vida após a morte e na imortalidade da alma, ou seja, os mortos não estavam mortos, mas haviam desencarnado e estavam num outro ?plano físico?, numa outra dimensão. Nasceram então os ?santos? da Igreja Católica Apostólica Romana (casa de todos, universal). Atualmente muitos acreditam que o homem quando morre desencarna, sendo que isso foi uma doutrina dos gregos e, mais tarde, filosofada por Hippolyte Léon Denizard Rivail, mas conhecido como Allan Kardec, que criou o que conhecemos como ?espiritismo?, Ciência Espiritualista que tem sua bases referenciadas pela filosofia, segundo a sua interpretação particular e sem nenhum fundamento bíblico. Mas o que a Palavra de Deus nos diz; é que os mortos estão na sepultura, inconscientes, dormindo no pó da terra até a ressurreição dos mortos.

Alguém trouxe parte desta doutrina para as doutrinas evangélicas e dizem que o homem quando morre, desencarna e vai para o Céu ou para o inferno (purgatório) e Jesus na cruz do calvário, após Ele render e entregar o espírito a seu Pai, baseado nessa doutrina, o corpo ficou lá na cruz pendurado e o espírito/alma dEle saiu e foi para o inferno. No Domingo pela manhã, o seu espírito/alma veio novamente, entrou no sepulcro, deparou-se com o corpo inerte e sem vida caído lá, e tornou a entrar nele. Foi realmente isso que aconteceu? Não, claro que não. Jesus nem desencarnou e nem reencarnou, mas ressuscitou ao terceiro dia. Se os que morreram sem Cristo estivessem no inferno, como poderia se ainda não houve julgamento? Eles acreditam que somente o corpo físico volta ao pó. No entanto, afirmam que Jesus lhes dará um corpo novo para que novamente a sua alma ou espírito habite (reencarnarão?), o que seria totalmente diferente do conceito da ressurreição, como exemplificado em Ezequiel 37 e demais referências