segunda-feira, 27 de maio de 2013

A Volta de Jesus Cristo Está Próxima.

A Volta do Senhor A Bíblia ensina que Jesus voltará. Esta volta deveria interessar a todas as pessoas. Quando Jesus voltará? E como? E o que acontecerá, quando Cristo voltar? Estas perguntas têm respostas simples na Bíblia, mas tornaram-se complicadas e confusas por causa do acréscimo de especulações e doutrinas humanas. Este livreto, primeiro, examinará o que a Bíblia claramente ensina e depois mostrará as falhas das teorias humanas mais ensinadas. 

Quando? "Mas a respeito daquele dia e hora, ninguém sabe nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão o Pai. Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem" (Mateus 24:36-39). "Mas a respeito daquele dia ou da hora ninguém sabe; nem os anjos no céu, nem o Filho, senão o Pai" (Marcos 13:32). "Irmãos, relativamente aos tempos e às épocas, não há necessidade de que eu vos escreva; pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o Dia do Senhor vem como ladrão de noite. Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão" (1 Tessalonicenses 5:1-3). Ninguém sabe quando Cristo voltará. 

O próprio Cristo não sabia. Sabemos somente que ele voltará inesperadamente, sem aviso. Quem quer que se proponha a marcar uma data para a volta do Senhor pensa que sabe algo que nem Jesus, nem os anjos sabiam. Sempre temos que permanecer preparados para a volta do Senhor. "Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa. Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do homem virá" (Mateus 24:42-44). Desde que nunca sabemos quando o ladrão pode chegar, temos que manter nossas casas sempre fechadas. Desde que não sabemos quando o Senhor voltará, temos que sempre viver fielmente. A natureza imprevista da volta do Senhor significa que é impossível olhar em volta buscando sinais, numa tentativa de calcular uma data aproximada. Ninguém tem qualquer idéia de quando o Senhor pode voltar. Ele pode voltar antes que você termine de ler isto; ou poderiam se passar outros 2000 anos a partir de hoje. 

Que possamos estar sempre prontos! Como? "Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor" (1 Tessalonicenses 4:16-17). Quando Jesus retornar, todos saberão. A idéia de uma volta secreta do Senhor para, em silêncio, carregar uns poucos, é desconhecida nas Escrituras. A voz do arcanjo e o som da trombeta, com certeza, não são sinais silenciosos e secretos. O Quê? Já vimos que os mortos ressurgirão quando Cristo voltar. Em João 5:28-29 Jesus disse que todos os mortos (os justos e os ímpios) ouvirão sua voz, ao mesmo tempo, para saírem de suas tumbas. 1 Coríntios 15:50-55 indica que aqueles que ainda estiverem vivos, no retorno de Cristo, serão transformados de modo que possam herdar o reino de Deus, com corpos glorificados e incorruptíveis. Quando Cristo voltar, o mundo será destruído pelo fogo. "Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas. Visto que todas essas cousas hão de ser assim desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em santo procedimento e piedade, esperando e apressando a vinda do Dia de Deus, por causa do qual os céus incendiados serão desfeitos e os elementos abrasados se derreterão" (2 Pedro 3:10-12). Muitos estão esperando que Cristo volte e fique na terra por muitos anos; mas isto será impossível, desde que a terra será destruída quando ele voltar. 

Quando Cristo retornar, ele levará todos os homens para encontrá-lo no julgamento. Mateus 25:31-46 descreve o julgamento, minuciosamente. Aqui, Jesus disse que isso acontecerá quando ele voltar (v. 31). Paulo, também, falou do julgamento que acontecerá, na volta de Cristo. "E a vós outros, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder, em chama de fogo, tomando vingança contra os que não conhecem a Deus e contra os que não obedecem ao evangelho do nosso Senhor Jesus. Estes sofrerão penalidade de eterna destruição, banidos da face do Senhor e da glória do seu poder, quando vier para ser glorificado nos seus santos, e ser admirado em todos os que creram, naquele dia (porquando foi crido entre vós o nosso testemunho)" (2 Tessalonicenses 1:7-10). Quando Cristo voltar, ele devolverá o reino a Deus. "Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na sua vinda. E, então, virá o fim, quando ele entregar o reino ao Deus e Pai, quando houver destruído todo principado, bem como toda potestade e poder. Porque convém que ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo dos seus pés. O último inimigo a ser destruído é a morte" (1 Coríntios 15:23-26). Cristo está reinando agora. Ele reinará até que o último inimigo seja destruído. 

Então ele devolverá o reino ao seu Pai. O último inimigo é a morte. Cristo destrói a morte pela ressurreição. Portanto, quando Cristo voltar e levantar todos os homens, ele estará destruindo o último inimigo e entregará, então, o reino ao Pai, para que ele reine eternamente. Cristo voltará visível, em tempo inesperado e desconhecido. Quando ele voltar: - Todos os mortos serão ressuscitados. - Os viventes serão transformados. - A terra será destruída. - Todos os homens serão julgados. - O reino será devolvido ao Pai. Estes pontos são simples e claramente vistos nas passagens anotadas. O problema começa ao tentar reconciliar estes ensinamentos bíblicos básicos com as doutrinas produzidas pelos homens. As anotações seguintes examinam várias objeções freqüentemente levantadas contra estas claras verdades da Bíblia. Objeções e Perguntas E sobre o estabelecimento do reino de Cristo? O Velho Testamento predisse a vinda do reino de Cristo. "Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos debaixo dos teus pés. O Senhor enviará de Sião o cetro do seu poder, dizendo: Domina entre os teus inimigos" (Salmo 110:1-2). 

É interessante que o Novo Testamento cita esta passagem muitas vezes e mostra que ela foi cumprida quando Cristo subiu de volta ao Pai. "Exaltado, pois, à destra de Deus, tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vedes e ouvis. Porque Davi não subiu aos céus, mas ele mesmo declara: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por estrado dos teus pés. Esteja absolutamente certa, pois, toda a casa de Israel de que a este Jesus, que vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo" (Atos 2:33-36). Deus já instalou Cristo como rei. Estude também Mateus 28:18; Efésios 1:20-23; e Apocalipse 19:16. Os cristãos já estão no reino de Cristo. "Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor" (Colossenses 1:13). "E nos constituiu reino, sacerdotes para o seu Deus e Pai, a ele a glória e o domínio pelos séculos dos séculos. Amém. . . . Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulalção, no reino e na perseverança, em Jesus. . ." (Apocalipse 1:6,9). Freqüentemente, Apocalipse 20 é citado para tentar provar um futuro reino de Cristo, de 1000 anos, aqui na terra. Mas, de acordo com o contexto de Apocalipse 20, são os mártires descritos em 6:9-11 que estão ressuscitados, para sentarem-se em tronos e reinarem com Cristo no céu. Apocalipse 20 não discute um reino com Cristo fisicamente presente na terra. Às vezes, algumas pessoas argumentam que Cristo não pode estar reinando sobre a terra agora, porque muitas pessoas o desobedecem. 

Mas a desobediência não é prova de que Cristo não está reinando. Um rei pode reinar sobre um reino físico na terra e, entretanto, alguns podem desobedecê-lo. No fim, Cristo punirá a desobediência (estude a parábola em Mateus 13:24-30,36-43). Jesus nunca teve a intenção de estabelecer o tipo de reino material que alguns pensam que vai acontecer (João 18:36). E sobre as promessas de Deus aos judeus? Deus prometeu dar a Abraão e seus descendentes, os judeus, a terra de Canaã. Ele cumpriu essa promessa completamente (Josué 21:43-45; Neemias 9:7-8). Se os judeus conservariam essa terra ou não, isso dependeria de sua fidelidade ao Senhor (Deuteronômio 28:58,63). Por causa de sua infidelidade os judeus perderam seu direito à terra prometida. Deus também prometeu abençoar os judeus e todas as nações com a vinda de Cristo. As bênçãos espirituais em Cristo não foram destinadas a todos com sangue de Abraão em suas veias, mas àqueles que compartilham a fé de Abraão (Romanos 2:28-29; 4:16-17; 9:6-8; 11:1-5; Gálatas 3:6-9). O Velho Testamento tinha predito claramente que os gentios fiéis também seriam trazidos para partilhar igualmente as bênçãos dos judeus fiéis (Gênesis 12:3; Isaías 2:1-4; 11:10-12; Zacarias 8:23). 

Paulo disse que atualmente: "Não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus" (Gálatas 3:28). Muitas das promessas dos profetas do Velho Testamento são mal entendidas e, portanto, mal aplicadas a algum tipo de reino material de Cristo na terra. Muitas das profecias do Velho Testamento descrevem o reino de Cristo em um tempo de paz e prosperidade. Há pessoas que compreendem mal e imaginam que elas estão falando de uma paz e uma fartura material; mas não estão. Estas profecias do Velho Testamento têm que ser espiritualmente entendidas. Passagens como Isaías 11:1-10 e Amós 9:11-15, que são freqüentemente aplicadas a algum futuro reino material de Cristo, são ditas por escritores do Novo Testamento como tendo sido cumpridas espiritualmente no reino de Cristo agora (Romanos 15:12; Atos 15:13-18). É muito importante que permitamos que a revelação que Deus fez no Novo Testamento tenha prioridade na explicação do que ele pretendia nas profecias do Velho Testamento. E sobre os sinais dos tempos? Em contraste com o ensinamento de Jesus em Mateus 24:37-44, que o tempo de sua volta seria um período comum, sem sinais especiais, há muitos que ensinam hoje em dia que podemos saber que a volta de Jesus está próxima se olharmos para os sinais dos tempos. Este ponto de vista está baseado num mau entendimento de "E, certamente, ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; vede, não vos assusteis, porque é necessário assim acontecer, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e terremotos em vários lugares; porém tudo isto é o princípio das dores" (Mateus 24:6-8). 

Observe o assunto desta passagem. Em Mateus 24:1-2, Jesus falou sobre a destruição do templo e de Jerusalém, o que ocorreu 40 anos mais tarde, em 70 d.C. Os discípulos no versículo 3, perguntaram quando estas coisas aconteceriam e também sobre sua última volta. Jesus, primeiro, respondeu à pergunta sobre a destruição de Jerusalém. Ele advertiu, nos versículos 4-14, que muitas coisas aconteceriam, mas que não ficassem alarmados. Estes não seriam ainda os sinais do fim de Jerusalém. Então, ele lhes contou o que o sinal realmente seria, no versículo 15, e advertiu-os para que fugissem quando o vissem. No versículo 34 Jesus disse: "Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que tudo isto aconteça" (Mateus 24:34). Tudo, até o versículo 34 deste capítulo, tinha que acontecer antes que aquela geração terminasse. Muitas pessoas olham para achar os sinais da volta de Cristo neste trecho do capítulo que está falando sobre a destruição de Jerusalém, e até mesmo no trecho que mostra as coisas que não foram sinais desta destruição. 

Quando as pessoas citam os acontecimentos de Mateus 24:6-8 como sinais da volta do Senhor, elas ignoram o contexto. É no versículo 35 que Jesus começa a falar sobre sua segunda volta, e não antes. E sobre as duas ressurreições? A Bíblia ensina que todos os mortos ressurgirão ao mesmo tempo. "Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão: os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo" (João 5:28-29). Veja também Atos 24:15. De fato, aprendemos em João que a ressurreição e o julgamento ocorrerão no mesmo dia (João 6:54; 12:48) Algumas pessoas tentam provar que haverá duas ressurreições da matéria, citando Apocalipse 20. Mas esta passagem não trata de ressurreições da matéria. O assunto central do Apocalipse é a pergunta de 6:10. Neste versículo, as almas daqueles decapitados por amor de Cristo estão em baixo do altar do céu, perguntando por quanto tempo ainda esperariam até que fossem vingados e quando aqueles que os mataram seriam julgados. É dito a eles que esperem um pouco mais. 

Quando o livro se abre, vemos o julgamento de Deus sobre aqueles que mataram os primeiros cristãos. Finalmente, no capítulo 20, vemos esses mártires sendo levantados e saindo debaixo do altar do céu, para se assentarem nos tronos da vitória. Esta ressurreição não tem nada a ver com a ressurreição de nossos corpos da cova, mas é uma ressurreição das almas no céu. As passagens que tratam da ressurreição dos corpos mortos da terra (João 5:28-29, etc.) ensinam claramente que todos serão ressuscitados ao mesmo tempo. E sobre a grande tribulação? Está na moda ensinar que Jesus voltará secretamente e arrebatará seus fiéis, e que o mundo então passará por um período de 7 anos de sofrimentos. A idéia desse período de 7 anos de tribulação, quando o Senhor voltar, não é nem sequer sugerido na Bíblia, muito menos ensinado. A Bíblia certamente ensina que os cristãos sofrerão tribulação (João 16:33; Atos 14:22; 2 Timóteo 3:12). E há períodos de tribulação ainda maior, tal como o que ocorreu quando Jerusalém foi destruída (Mateus 24:21) ou como aquele que as igrejas do Apocalipse sofreram (Apocalipse 1:9; 2:9-10; 7:14). 

Mas nenhuma passagem da Bíblia menciona um período especial de 7 anos de tribulações na volta de Cristo. E sobre o anticristo? A palavra anticristo é mencionada em 3 capítulos da Bíblia: "Filhinhos, já é a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos anticristos têm surgido, pelo que conhecemos que é a última hora. Eles saíram de nosso meio; entretanto não eram dos nossos; porque se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos. . . . Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho" (1 João 2:18-19,22). 

"E todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem, e presentemente já está no mundo" (1 João 4:3). "Porque muitos enganadores têm saído pelo mundo fora, os quais não confessam Jesus Cristo vindo em carne; assim é o enganador e o anticristo" (2 João 7). A idéia moderna do anticristo é a de um futuro líder político, que se levantará dentre os incrédulos para se empenhar em um conflito militar contra Cristo. Mas estes textos bíblicos falam de muitos, não de um só. Eles falam de anticristos que estavam presentes, não de futuros. Eles dizem que eles se levantam dentre os cristãos, não dentre os incrédulos. As escrituras mostram que os anticristos são falsos mestres, e não líderes políticos. E falam de um conflito espiritual, e não militar, contra Cristo. É notável que uma idéia, tão completamente oposta ao que as Escrituras ensinam, possa ter sido tão largamente aceita. Em qualquer estudo sério da Bíblia, temos que deixar as idéias humanas e as especulações de lado e voltar a um exame cuidadoso das Escrituras em contexto. Quando fazemos assim, o ensinamento sobre a volta de Cristo fica bem claro

sábado, 25 de maio de 2013

G12: POISON THE GREATEST CHRISTIAN THEOLOGICAL HISTORY


"I recommend, brethren, beware of those who cause divisions
and put obstacles to education you have received.
Avoid it. For such people are not serving Christ in the ... View more. and fellowship with Jesus Christ (John 14:26). It is the Holy Spirit who convicts us of sin (John 16:18), reveals the truth about Christ (John 14:16-17), holds the new birth (John 3:5-6) and makes us members of the body of the Lord Jesus (I Corinthians 12:13).

By sight, Pastor Caesar is involved in a bubble of vanity, or the crowd of his dreams, and in its many words (Ec 5-7).

But God said: "I have heard what the prophets have said who, prophesying lies in my name, saying, I have dreamed, I have dreamed. Till when shall this be in the heart of the prophets that prophesy lies, and who are only prophets of the deceit of their own heart (Jer. 23.25-26)? ". It is worth remembering that this was the last prophet was John the Baptist (Luke 16:16) and it was Christ himself who said. What then of the prophets, apostles, and now even the patriarchs of today?

Reading the book of Pastor Caesar, on p. 88, we find the statement that Abraham, age 99, had many untreated wounds. This claim is unfounded and lacking in truth to proclaim such a freak, distorting Biblical facts. What the Bible tells us is that Abraham was obedient to the call of the Lord and was a man of great faith in God. (Gen. 12.4 and Rm4.12).

To Pastor Caesar, only after participating in the "Meeting", is that the believer receives the inner healing and is free from any curse that has prevailed in your life and experience true repentance and the new birth. The "Encounter", he says, is more important than baptism in water and the Holy Spirit and is equivalent to an entire year of faithful service to the Church (book cited, p. 91). This statement would have more than enough to arouse the repudiation of any Christian with respect to the Gospel and with average knowledge of the Scriptures.


He also states that any "rejection" of a person that has occurred during pregnancy, childhood or adolescence, is the topic of most treatment given during the "Meeting" and cut all the curses that come by descent and understand exactly who is God is a major theme. (P. 92). Biblically there is no basis for such heresies of Colombia. Had he, Joseph, son of Jacob, would have passed for a treatment, promoting a "meeting" to get rid of everything that happened at the hands of his brothers, and when he was imprisoned in Egypt. And what about Job, who lost everything he owned in a single day, including his children? The Apostle Paul also need this "Meeting" to break the curses, because besides having persecuted the Church of Christ, also consented to the death of Stephen. So there is no biblical support for such rituals.

It's amazing the story that Pastor Caesar is on page 113, where he says that to free a woman possessed by the spirit of lesbianism, had to pray for her since she was in the womb of his mother. Did a regression on all past life from conception. This is based, he says, in Ephesians 1:4. Cause us such awe narrative! And we ask: what is about the liberation of that woman with the passage cited? Let us see what the Bible tells us in the verse quoted: "He chose us in Him before the foundation of the world, that we should be holy and without blame before Him in love." Where Pastor César Castellanos learned this practice? Based on the Bible, certainly not! There is not a single verse that gives us room for "regression". This practice is part of your personal view, based on psychotherapeutic techniques and spiritualists. See regression in spiritual centers and offices of hypnosis for many years previous to the teachings of Castellanos. The word of God tells us quite clear how the believer should proceed in such cases: Matthew 17:21 (prayer and fasting) and Mark 16:17 (in Jesus name). This, rather, is the correct way of dealing with biblical and evil personified, and not making survey of the past life of the person afflicted. It is, therefore, a serious and blatant distortion of the Word of God.

And the freaks are not only there. For him the "Pastor of the Church is the Holy Spirit," while he (Pastor Caesar) "is just the employee" (cited book, pág.107-108). But that inversion of values! The Holy Bible tells us that the Pastor is the "SHEPHERD of the flock of God" (Acts 20:28) and responsible for "preaching and teaching of the Church" (II Timothy 4:1-4), while the Holy Spirit is dwelling in all saved believer (John 14:16-17 and I Co3.16) and the Church warns against apostasy (I Tim 4:1-2), and other attributes. Nowhere in the sacred writings we find Jesus, the apostles, or God himself saying who pastors the church is His Holy Spirit. Are men, but chosen by God (Allah) to take care of His flock, the shepherd saved by his Son Jesus (Eph 4:11-12). This statement certainly Castellanos denotes its artful plan gives spiritual legitimacy to their delusions, assigning them the status of "orders of the Holy Spirit."

Also says Pastor Caesar what "he has studied the Bible more" is the life of Jesus Christ (book cited, p. 103-104). We do not think this statement true. Where he found in the New Testament Jesus or his apostles teaching about hereditary curse, curse-breaking and regressions from intrauterine life? Where he found Jesus taught that the person who received the Lord as Savior and was part of a "meeting" in order to be born again? Were the "Visions" revealed to him? If it were, it should be emphasized that views do not supplant the Scriptures.
However, the daydreams of Pastor Caesar, which for him were words of God addressed to it, were not what we have reported. He says in his book mentioned on p. 83, that "we won and we won crowds in a way unprecedented in Colombia, but many of them were not in the church. On several occasions I met with some of the converts in different places, I said, 'Pastor, I met the Lord in mission, but I'm bringing in such a church. 'I said,' Amen, Glory to God, this soul is not lost, is being built!. "However, the day came when God got my attention, telling me: ' You are wrong: that soul I brought to your church, if he had wanted to send her to another church would have it done. I sent it to you so that you take care of it and hopefully answer me. '" For those who know God and His Word, we believe that it is not here any comment on the report of the Colombian pastor. First, because God is no respecter of persons, nor to the church, because for him there is only one Church, nor any church belongs to this or that pastor. The Church is the Lord Jesus Christ, regardless of human labels.

As stated initially, the movement was born in Colombia, in Brazil is one of his strong arms National Church, which is pastored by Valnice Milhomens. This written a book entitled "Strategic Plan for the Redemption of the Nation." In it, she described in great detail what the "cell church" adopted by it in our country, and how the model of 12. Mean that the plan for the redemption of Brazil and the world is not of God, in Christ, but the G-12?

BRIEF AND REFLECTING

All we have seen so far suggests a minimal reflection. Would not be the origin and teachings of the G12 reason enough for atentássemos more carefully for obvious dangers caused to the spiritual health of the church by this movement?

But even if it seems small, please do not miss the final part of this study.

domingo, 19 de maio de 2013

OS VERDADEIROS ADORADORES ADORARÃO O PAI ! PALAVRAS DITAS POR JESUS !



Jesus é o caminho não o destino !

Será que estamos fazendo isso ? Será que não colocamos Jesus no lugar do seu Pai na hora da adoração ? Será que a ICAR na tentativa de colocar Jesus como Deus não obscureceu a maior revelação do novo testamento que é a revelação do Deus Pai ? 

O Deus que Jesus seguiu e segue é o Deus Pai .

Jesus nunca disse que ele era Deus e muito menos que deveríamos adora~lo , veja o que ele Jesus diz depois de ressuscitado. Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para MEUS IRMÃOS, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, MEU DEUS e vosso Deus. 
João 20:17

Está claro como a neve que Jesus diz que ele é nosso irmão e não nosso Deus , ele sobe para o Pai que é seu Deus , em João 17;3 , ele fala que o Pai , e ele só , é o único Deus.verdadeiro digno de adoração . 

Fizeram do filho o objetivo e da igreja o caminho, quando o filho se fez caminho para se chegar ao Pai. Isto só pode ser desvendado quando nós afastamos do sistema religioso e começamos a nos relacionar com Deus sem os dogmas das igreja.

Veja o PAI de Jesus , não faz parte do velho testamento, embora a maioria pense que o deus mencionado no velho testamento , o deus que deu a leis do Sinai ,seja o mesmo Pai de Jesus o que é uma mentira facilmente descoberta .

Esse montagem foi feita com pleno sucesso pelos teólogos da ICAR do primeiro século através da tradução do velho testamento do hebraico e agregado ao novo testamento , ainda mais pela caneta através de interpolações e enxertos , conseguiram fazer o deus do velho testamento se encarnar se tomar , Jesus .Absurdo !.

Acreditar que Jesus é Deus nos remete a ter a seguinte premissa , Jesus é Deus , O Pai é Deus , Jeova é Deus , se há um só Deus , então o resultado é que Jesus é Jeová , que Jeová é o Pai e Jesus é o Pai 

O que não é verdade ;

Jesus não é Deus ,então, se ele assim fosse ficaria sendo o seu próprio Pai ,” ele ora para ele mesmo “, “ele se auto ressuscitou ,” quando ele ora ao PAI no céu é pura encenação , etc.
Ele lista um monte de coisa que ele é , a porta , a verdade , o bom pastor , etc ,porem ele nunca disse e nem seus apóstolos disseram que ele é Deus , pelo contrário ele diz que a vida eterna esta vinculada a se conhecer que seu PAI ,” ele sim” é o verdadeiro Deus , ele nos ensina a orar para seu Pai João 17;3.

Dizer que Jesus é Deus é dizer uma coisa que nem Jesus e nem seus discípulos disseram , acredito que Jesus não gostaria de ouvir alguém dizendo que ele é Deus .

Infelizmente a igreja valoriza mais o filho do que o Pai , fizeram de Jesus tudo , Jesus é sim o caminho que nos leva ao Pai ,este é o criador de todas as coisas ,o Pai deu poder a Jesus criar o mundo espiritual Jesus é total dependente do Pai ., Jesus mesmo disse que ele não pode fazer nada de si mesmo , ainda diz que o Pai que estava nele é quem faz as obras.

O Pai , colocou Jesus no lugar de Jeová no senhorio da humanidade , hoje Jesus é o nosso Senhor , nosso dono, antes éramos propriedades do Senhor YHWH , mas o Pai o exaltou Jesus pelo seu sacrifício na cruz , e o colocou como o Senhor para toda a humanidade

sábado, 18 de maio de 2013

THE DOCTRINE OF THE TRINITY...


The doctrine of the Trinity says that God is one, but it exists in three distinct persons, but with the same core (omnipotence, omniscience and omnipresence).
The same features that are in the Father are the Son and the Holy Spirit.
Did this study to counter a statement from someone who used to say that John 14:28 Jesus is less than God the Father, and that the doctrine of the Trinity is unbiblical. He said that there is the word Trinity in the Bible, it is true that there is, but the Bible shows both the Old and New Testament, there are three divine persons, who have the same essence, so they are called the Trinity Santa, are three people with the same characteristics. But where are they in the Old T. ? see: in Genesis. have the possessive pronoun our, and God said, Let us make man in our .... this pronoun indicates that God spoke to another or others of the same image to him, because the pronoun is plural.
The only being made in the image of God is the human being, for this, he was not talking to angels, when he said he would make man in his image and likeness for this, God was speaking to other beings similar to him, and these beings were the 2nd and 3rd person of the Trinity, that is: Jesus Christ and the Holy Spirit. So here we have the second person of the Trinity. And where it appears the third? see: Ge. 1:2.
In Ge. 1:26, we have the 1st and 2nd person, and Ge. 1:2, we have the 3rd person.
In Psalm 104:30, we see that God the Father sends God the Holy Spirit, to renew and care for creation.
The three people, though they have the same power and holiness, in the role of creating each of them plays a role, and therefore submits to one another and dare not run the job that belongs to another, and that by mutual consent.
The three people worked in the role of creation.
But because one is called Father, another of the Son, and another of the Holy Spirit? is precisely because of their distinct roles in the creation and the plan of redemption.
The work of creation, each exercised their work, and the plan of redemption, the same way; example: The three people planned to create everything created, and they are omniscient, knew the choice that man, endowed with what would be done free will, would.
This man, done with the power of choice (free will) the three people already knew that he would choose to disobey his order will, so before executing the plan of creation, the three persons of the Trinity developed the plan of salvation. Apoc. 13:8. They agreed that both the act of creation as the act of redeeming creation, each would perform a specific job, and the implementation of these papers, one is called Father, another of the Son, and another of the Holy Spirit. And why? is because of the three persons of the Triune God, his role was to strip of his glory, for some time, and come to earth, take a human body, living with the same weaknesses of humans (except sin) and living in human form, without sin, could, like a sinner, die in the place of sinful humanity, thus paying the price demanded for the redemption of sinners.
So, as a human, Jesus, the 2nd person of the Trinity, he underwent the first person as Father and the earthly authorities, so worthy to be called the holy Son of God. Philippians 2: 5-10. Luke 2:51.
Therefore, the 2nd person of the Trinity is only called a Son of God, because of his humanity, the second person took human form and lived on earth as a human, which is why he said: "The Father is greater than I. . "
There are passages that seem to contradict each other, because now says that Jesus is like the Father, and now says that the Father is greater than Jesus, but there is no contradiction. To understand, we must know that Jesus lived and spoke as God and man. As a man he said the Father is greater than I, but as God he said: I and the Father are one.
John 14:28. John 10:30.
There are people who use John 14:28 and John 13:16, Jesus said that for C. is less than the Father, and therefore does not have the same essence of God, but if we examine the context, we will see that your interpretation is wrong; example: Jesus said in John 14:28 that the Father is greater than he, but see: he said the Father .. Then it is clear that at that time did not speak as God but as Son. Jesus as the Son to the Father was undergoing as human as he humbled himself and became a servant.
Every time that Jesus identified himself as less than God the Father was speaking as a human, and not as a pre-existent with God the Father be called, because the biblical context, especially the remote, it says that Jesus is one with the person called the Father, in the sense that it has the same essence. Incidentally, as God, Jesus is not the Son of God. Calm! I'll explain: What made it the Son of God was simply his humanity, because as God, Jesus C. Son has never been, as it is not created by God, it is not creature but Creator.
Jesus is before all things created, and was the 1st person of the Trinity in the act of creation.
John 1:1-5,10. Al.1: 16-17. John 8:58. Ex: 3:14. Heb. 1:1-12.
There is no sound basis in the text of John 10:29, Jesus said that for C. is less than God the Father
They say that Jesus is less than God the Father, because he said that the Father is greater than all, and therefore, according to them, Jesus is part of this all, because everyone wants to say the totality of living beings.
But when Jesus said the word all, he did not occluded all this, because in the context he claims to be equal with the Father John 10:28-30. Also, if we use the word all to interpret that God the Father is greater than Jesus Christ, and then we can find scriptures that say Jesus is greater than God the Father, because Jesus said, asserting that the Father is greater than all, was saying that God the Father is greater than himself, because everyone, I mean everyone, including the speaker himself, Jesus C. , But this interpretation is out of context.
Why? because we have a text that says that Jesus is the Eternal God, and upon all, and, if the word all in this text means all without exception, then God the Father is part of all, because this was the interpretation to affirm that God Father is greater than Jesus Christ.
It is not fair to use the word all of John 10:28, in the sense that all means all without excepting even the divine person (Jesus) and not use it with the same sense Rom. 9:5. Then, applying the same interpretation, we affirm basis for unlike them, because in Rom. 9, 5 says Jesus C. Eternal God is over all. But the truth is: Rom. 9:5 means that Jesus C. Eternal is God over all, except to God the Father, and John 10:28, mean that God the Father is greater than all, except Jesus C., and, of course, the Holy S., in the sense of its existence with and as God, before the foundation of the world.
In fact, when Jesus said that the Father is greater than all, is like a son said that his father is greater than all, and then claimed that he is the father's height. It's like if someone said: the guy is taller than everyone except me, namely: Joseph is higher than all but is not taller than me.
So we conclude that the 2nd person of the Trinity is called Son, because he took on human form, the plan of salvation.
We also conclude that one of the reasons that the 1st person is called of God the Father, because it is assumed the position of the Father to send the Spirit S., to form the body of Jesus C., in the womb of Mary.
The 1st person is also called the Father, in that He created living beings and all that is, but at this point, the three persons are Father, because, as we have seen, the three worked in the act of creation.
But, the third person of the Trinity? that is called God the Holy Spirit? well, if you prefer you can call it the Spirit of God only, because: Father, Son and Holy S. , Only nouns are used to identify them in their roles in the creation and the plan of redemption. Incidentally, are the only things that make them different, because out of nouns, they are equal in their attributes.
(Omniscience, Omnipotence and Omnipresence).
And the noun, Spirit, and the adjective, Ghost? Spirit indicates your Divinity, and Santo, its perfection; Incidentally, three persons are Santas, or Santo because they are God, not gods. Three persons and one God: This is the true doctrine concerning the Holy Trinity, or Triune God and Holy. (The Triune God is Spirit and is holy).
John 4:24. Leviticus 11:44-45. 1st ped.1 :14-15. Leviticus 19:2. Leviticus 20:7. 5:48.
Dear Reader: we will not delve much on the subject on the different roles of the three persons of the Trinity, because this is not the purpose of this study, the objective of the study contained in this book is to prove that Jesus Christ Vomo God is not greater, nor Couco smaller than the other persons of the Trinity, and that, although there is this word in the Bible is no basis to teach that God is one, but it exists in three persons. There are three people, but have the same divine attributes. Three persons, but one God, worthy of honor and glory forever. Amen!
The call of this teaching: The doctrine of the Trinity. See some texts in the New Testament, which confirm the doctrine of the existence of the three persons of the Trinity: Luke 3:21-22. John 14:16,26. John 16:5-15. John 15:24. 1 John 5:6-8. Luke 24:49. Acts 1:8. Acts 2:4.
Those who teach that Jesus Christ is less than God the Father say that when Jesus said that he and the Father are one, was speaking of his union with the Father in purpose, agreeing with one another in all aspects, but to be a the Father, is very different from just agree with him
Two people to be one, must be a unity beyond unity of thought and purpose, because: what is the individual? is to be different and still is, even though the union of purpose and agreement on the way of thinking and acting.
This is very different from being with one another because although they are in agreement, are different.
So if Jesus was united with the Father in this sense only, it would be a divine person different and a different "God", if he is less than God the Father
Therefore, Jesus Christ not only agrees with God the Father, but is equal to Him, because the verb is used, indicating that He is equal with the Father He said: I and Father are ... He said that He and the Father like a agreed, but said that He and the Father are one. Glory God!??
In 1 John 5:6-8, John says that there are three witnesses in heaven, and these three are one; also states that there are three that bear witness in earth, and these three agree in one, or a.
See the difference: vesso 7: three are one; vesso 8: three agree in one. Noticed? not? notice that when he speaks of the Father, Son and Holy Spirit, uses the verb to be, he said, are one: not only agree on one, but they are one. But in speaking of the Holy S., of águam and blood, John said: These three agree in one; did not use the verb to be, but said they mutually agree. The water, the Holy Spirit and Blood are not one, just agree on one, are very different.
So, John used the same word that the Lord Jesus Christ used to talk about his union with the Father, He said: I and the Father are one. John said: Father, Son and Holy Spirit are three persons, but they are a ...
A God who exists in three persons.
This is the wonderful Triune God. Hallelujah! Praise Him, because He is the Lord. Glory to the Triune God!

Amen

God Bless All ...!!

"SHARE OUR PAGE AND enjoy it"
Recommend ► ⋙ ⋙ ⋙ https://www.facebook.com/valni.borges ⋘ ⋘ ⋘ ☜ ═ ㋡ ᔭ 9 (͡ ๏ ̯͡ ๏) 6

(¯ `v '¯) Help
 `·. ¸. · 'Our
☻ / page
/ ▌ God bless ...
/ \ Meet ► Blog: http://pastorvalniborges.blogspot.com.br/ ☜ ═ ㋡ ᔭ ♔

Join the Blog and get updates very uplifting for your Life ...

YHWH “O CRIADOR DO MAL”


Eu formo a luz, e crio as trevas; eu faço a paz, E CRIO O MAL; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas. 
Isaías 45:7

A idéia de mal geralmente se refere a tudo aquilo que não é desejável ou que deve ser destruído. O mal está no vício, em oposição à virtude.
Quando pensamos no mal , de pronto nos vem a mente o diabo , o anjo que veio para matar , roubar e destruir .

Então começamos a estudar o velho testamento e nos deparamos, com uma revelação assustadora ; que foi o deus do v.t , YHWH , quem criou o mal 

Talvez seja por isso que há só uma ou duas menções do diabo ,no v.t , se o deus do v.t , é o criador do mal, então a figura do diabo é totalmente desnecessária ,porque todo o mal relatado no velho , YHWH, chama para si a sua autoria .

Então começamos a entender quem esta por detrás dos massacres do velho testamento:

E tudo quanto havia na cidade destruíram totalmente ao fio da espada, desde o homem até à mulher, desde o menino até ao velho, e até ao boi e gado miúdo, e ao jumento. 
Josué 6:21

Imaginem a cena , in loco , bebes dilacerados, grávidas, mortos com seus filhos na barriga , idosos mortos no chão , animais mortos em todos os lugares , fumaça por todos o lado , causada pela queima de toda a cidade , uma cena totalmente arrepiante 

O pior e quando descobrimos que esse massacre foi a ordem do deus do v.t ,então esse deus não tem nada de diferente dos piores conquistadores sangrentos do passado, que conquistavam e ficavam com os tesouros dos despojos de guerra, esse deus também faz isso e pior os saques de tesouros era levado para seu templo , também concorda que em determinadas guerras as virgens sejam poupadas e distribuídas como troféu para os soldados Israelitas . 

Lendo o velho testamento, o deus do v.t , YHWH , prova ter a mesma natureza em todo esses livros , ele firma o seu caráter de egoísta , vingativo , racista , fazedor de limpeza étnica através da execução dos seus inimigos , assassino de crianças, um deus guerreiro ,prerrogativas dignas de autor do mal. , ele é um matador por excelência ele mata tanto os seu povo escolhidos como também os inimigos do seu povo 

É difícil ou talvez impossível de achar uma passagem que denegra o seu titulo de criador do mal .

Temos a passagem da libertação dos judeus ,escravos dos egípcios , aqui é forte o seu declínio para o mal , ele enche o povo do Egito de pragas horrenda , tudo isso para o Faraó , libertar os judeus. E quando ele decide fazer isso, ele endurece o seu coração , para poder jorrar mas sangue de criança , fato esse que poderia ter sido resolvido com a única morte de Faraó.,
No mais essa promessa de libertação do povo ´´e um fiasco “, ele faz seu povo sofrer tanto no deserto que chegaram a morrer todos menos duas pessoas. 

Na busca da purificação da humanidade , ele resolveu refazer a raça humana , através de Noé e sua família , com isso ele matou a todos milhões de pessoas, para purificar a raça , a salvação da família de Noé também foi um fiasco porque todos também depois morreram e o pecado entrou de novo na própria família de Noé .
Ficando provado que seu método de resolver o problema do pecado matando o pecador não resolve.
No ultimo capitulo da Malaquias , ele se gaba em dizer eu sou o Senhor e não mudo ., então ele será sempre o criador do mal.

Agora como alguém pode crer que esse criador do mal , seja o mesmo PAI de Jesus que diz que é o Deus do amor , o amor que por definição não suspeita e nem maquina o mal , que diz para amar seus inimigos

Para os que acreditam que o deus criador do mal do v.t , sofre uma metamorfose radical e se transforma no n.t , no Deus do amor , no qual não há sombra de variação , ou seja , ele só ama e faz só o bem .

São obrigados a então admitir o mais inaceitável em um Deus “que minta”, pois ele se gaba em dizer que não muda.

" A LIÇÃO DA BORBOLETA"


Um dia, uma pequena abertura apareceu num casulo. Um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.
Então pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais.
O homem então decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta então saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho, era pequeno e tinha as asas amassadas. O homem continuou a observá-la, porque ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar a tempo.
Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar. O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar não compreendia, era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo pelo qual Deus fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para as suas asas, de forma que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.
Algumas vezes, o esforço é justamente o que precisamos em nossa vida. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, ele nos deixaria aleijados. Nós não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar.
“Eu pedi forças… e Deus deu-me dificuldades para fazer-me forte.
Eu pedi sabedoria… e Deus deu-me problemas para resolver.
Eu pedi prosperidade… e Deus deu-me cérebro e músculos para trabalhar.
Eu pedi coragem… e Deus deu-me obstáculos para superar.
Eu pedi amor… e Deus deu-me pessoas com problemas para ajudar.
Eu pedi favores… e Deus deu-me oportunidades.
Eu não recebi nada do que pedi… mas eu recebi tudo de que precisava.”

quarta-feira, 15 de maio de 2013

A Verdadeira Fé Vem Pelo Ouvir !!!


Romanos 10:16-21

“Mas nem todos obedeceram ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem acreditou na nossa pregação? E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo. Mas pergunto: Porventura, não ouviram? Sim, por certo:

Por toda a terra se fez ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo.
Pergunto mais: Porventura, não terá chegado isso ao conhecimento de Israel? Moisés já dizia: 
Eu vos porei em ciúmes com um povo que não é nação, com gente insensata eu vos provocarei à ira.
E Isaías a mais se atreve e diz: 
Fui achado pelos que não me procuravam, revelei-me aos que não perguntavam por mim.
Quanto a Israel, porém, diz: 
Todo o dia estendi as mãos a um povo rebelde e contradizente.”

O versículo 17 diz, “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo”. De onde vem a fé que liberta uma pessoa de todos os seus pecados? A verdadeira fé vem pela pregação da Palavra de Deus.

Eu gostaria de continuar testificando o evangelho da justiça de Deus através da Sua Palavra. Vamos começar olhando Romanos 3:10-20:

“como está escrito: Não há justo, nem um sequer,
não há quem entenda, não há quem busque a Deus;
todos se extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há nem um sequer.
A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua, urdem engano, veneno de víbora está nos seus lábios,
a boca, eles a têm cheia de maldição e de amargura;
são os seus pés velozes para derramar sangue,
nos seus caminhos, há destruição e miséria;
desconheceram o caminho da paz.
Não há temor de Deus diante de seus olhos.
Ora, sabemos que tudo o que a lei diz, aos que vivem na lei o diz para que se cale toda boca, e todo o mundo seja culpável perante Deus, visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.”

Como nós devemos entender e crer nestas passagens para receber a salvação? Desde o início, não havia justo nem quem buscasse a Deus, mas todos éramos pecadores. Suas gargantas eram como sepulcros abertos; suas línguas como peçonha de uma serpente venenosa, enganosa e cheia de maldição e amargura. Seus pés eram velozes para derramar sangue. Eles não conheciam o caminho da paz, ou não temiam a Deus diante dos seus olhos, e só andavam no caminho da sua própria destruição e miséria. Todos eram pecadores antes de conhecerem e crerem na justiça de Deus, e a forma como eles descobriram que eram pecadores diante de Deus foi pela lei.

Como poderíamos, sem a lei, conhecer nossos pecados? Como nós conheceríamos a Deus? Romanos 3:18 diz, “Não há temor de Deus diante de seus olhos”. Nossos olhos da carne já O viram? Nós talvez pudéssemos ter uma leve consciência da existência de Deus, mas não O víamos nem O temíamos. Como, então, poderíamos descobrir que éramos pecadores? Nós viemos a conhecer sobre a existência de Deus ouvindo a Sua Palavra escrita. É por isso que o ouvir vem da Palavra de Deus.

Nós sabemos que Deus criou o mundo porque isso está escrito na Bíblia, “No princípio, criou Deus os céus e a terra” (Gênesis 1:1). É pelo ouvir da Palavra de Deus que nós conhecemos e cremos em Sua existência, e cremos que Ele é o Criador do universo inteiro. Se não fosse pela Palavra de Deus, não haveria ninguém que O conhecesse ou que O temesse. Nem nós poderíamos conhecer os nossos pecados sem a Palavra de Deus – ninguém poderia.

Em outras palavras, somos fundamentalmente ignorantes sobre Deus, adorando coisas fúteis, e sem conhecermos os nossos pecados. Mas Deus nos deu a lei, e é assim que conhecemos os nossos pecados diante Dele. Foi pelo ouvir da Sua Palavra da lei como os Dez Mandamentos e os 613 artigos detalhados da lei que viemos a conhecer nossas fraquezas e pecados.

Ninguém pode conhecer nem mesmo um dos seus próprios pecados, senão pela Palavra da lei. Quase todos os presidiários dizem que não sabem que crime cometeram ou porque estão presos. Muitos deles dizem ser inocentes e que foram enviados para a prisão errônea e injustamente. Sem conhecer a lei de Deus, nós não podemos conhecer os nossos próprios pecados, dizendo, “Eu sempre agi dessa forma, todos fazem isso. Como isso pode ser pecado?”.

Apenas olhando e ouvindo a lei de Deus nós percebemos os nossos pecados. Temos que saber que adorar a outros deuses, clamar o nome de Deus em vão, não observar o sábado, matar, adulterar, furtar, mentir, cobiçar, em resumo, todos são pecados, porque a lei de Deus diz isso. É assim que percebemos e reconhecemos que nós éramos pecadores diante de Deus, pela Palavra da lei. Antes desta lei, nós nem mesmo conhecíamos os nossos próprios pecados.

Tendo descoberto que somos pecadores, o que devemos fazer diante de Deus? Precisamos perguntar como nossos pecados são perdoados. É pelo ouvir da Palavra de Deus que conhecemos os nossos pecados e percebemos que precisamos da salvação. Assim como a fome é o sentimento de que precisamos de comida, aqueles que reconhecem que quebraram a lei de Deus e sabem que são pecadores percebem que precisam de salvação. É assim que olhamos para Deus e reconhecemos nossa necessidade em crer na Sua justiça por meio de Jesus Cristo, a quem Deus enviou para nós. Assim como “a fé vem pelo ouvir”, nós conhecemos os nossos pecados pelo ouvir da Palavra de Deus.

Nós agora sabemos que somos pecadores. O que devemos fazer para sermos libertos de nossos pecados? 

A salvação vem pela fé na Sua Palavra que permanece no centro dos nossos corações, assim que percebemos os nossos pecados pelo ouvir e aprender a Palavra de Deus. Como está escrito em Romanos 3:21-22, “Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem; porque não há distinção”.

Nos dando a Sua lei, Deus nos permitiu saber que somos pecadores diante Dele e que falhamos em viver pela Sua Palavra. Nós consequentemente temos duas necessidades diferentes: queremos viver pela lei, mas ao mesmo tempo, nós buscamos desesperadamente a nossa salvação do pecado. Mas porque “...agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus”,aqueles que são libertos dos seus pecados devem buscar a redenção pela sua fé na justiça de Deus, não na lei. Nós sabemos que esta libertação não vem pela obediência à lei, mas pela crença na salvação dada por Deus, na justiça Dele que nos salvou através de Jesus Cristo.

O que, então, é a justiça de Deus e a Sua salvação? É o evangelho da água e do Espírito, revelado no Antigo e no Novo Testamento. O evangelho da água e do Espírito aparece no Antigo Testamento como salvação pela fé no sistema sacrificial, e no Novo Testamento como a fé no batismo de Jesus e na Sua cruz. Romanos 3:21-22 diz, “testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem; porque não há distinção”.

Então, como podemos receber a justiça de Deus? Nós podemos receber a justiça de Deus conhecendo, através da Palavra de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas, que Jesus é Deus e o nosso Salvador, sendo salvos de todos os nossos pecados através da nossa fé Nele.

Em outras palavras, nós recebemos a justiça de Deus pela crença em Sua Palavra, testemunhada pela lei e pelos profetas no Antigo Testamento. Nos primeiros capítulos de Romanos e Hebreus é mostrado que a lei e os profetas testemunharam a Palavra de Deus.

A salvação prometida para nós por Deus foi o fato de Jesus vir nos libertar. Esta promessa para salvar os pecadores que estavam sob a lei e prestes a serem destruídos, foi feita a milhares de anos atrás por Deus. Ele repetidamente reiterou esta promessa e revelou como Ele pretendia guardá-la através de muitos dos Seus servos que vieram antes de nós.

Vamos ver como exemplo uma passagem. Levítico 16:21 diz, “Arão porá ambas as mãos sobre a cabeça do bode vivo e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, todas as suas transgressões e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem à disposição para isso”. A passagem de Romanos 3:21-22 que a justiça de Deus foi testemunhada pela lei e pelos profetas, significa que a salvação completa de Jesus foi revelada através dos sacrifícios do tabernáculo do Antigo Testamento e por meio de profetas como Isaías, Ezequiel, Jeremias e Daniel.

Em outras palavras, Deus já tinha revelado, através da Palavra do Antigo Testamento, como Ele cumpriria a Sua promessa da salvação – que Ele faria enviando Jesus Cristo, para que levasse sobre Ele todos os pecados do mundo com Seu batismo, morresse na Cruz em nosso lugar e pagasse o salário de todos os nossos pecados com o Seu próprio sangue, tudo para a nossa libertação do pecado através da justiça de Deus. A nossa salvação não é, portanto, pela lei, mas pela nossa fé na justiça de Deus, o próprio Jesus Cristo, como foi testemunhado pela lei e pelos profetas.

Deus nos fala que somos salvos de nossos pecados pela crença em Sua justiça, que foi cumprida por Jesus Cristo. Nossa fé vem pelo ouvir desta Palavra de Deus, a Palavra de Jesus Cristo. Como nós podemos conhecer e crer que Jesus é o nosso Salvador? Sabemos e cremos que Jesus é o nosso Salvador pelo ouvir da Palavra de Deus falada pelos Seus servos, que Ele prometeu salvar segundo o Seu plano, e que Jesus veio para nos salvar segundo este plano e promessa. Como está escrito em Daniel 9:24, “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, para expiar a iniqüidade, para trazer a justiça eterna, para selar a visão e a profecia e para ungir o Santo dos Santos.”

Deus preparou setenta semanas para o nosso povo 

Continuamos com a passagem acima do Livro de Daniel. O que a passagem descreve é a queda de Israel pela Babilônia, quando Deus determinou que os Israelitas, por causa da sua idolatria, seriam levados para a Babilônia como prisioneiros e viveriam por setenta anos como escravos. Como determinado por Deus, Israel foi atacado e vencido pela Babilônia, e incapaz de resistir à devastação, terminou se rendendo aos invasores, que levaram muitos Israelitas como prisioneiros e os fizeram seus escravos. Entre os prisioneiros levados também estavam os sábios, como Daniel, a quem o rei da Babilônia fez seu conselheiro.

Então Deus puniu os Israelitas desta forma por seus pecados, mas, porque era misericordioso, Ele não manteve a Sua ira para sempre, mas em vez disso planejou libertá-los em setenta semanas.

Quando Daniel, se arrependendo diante de Deus por causa do seu povo, orou pela Sua misericórdia e libertação, Deus enviou um anjo que falou o seguinte: “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, para expiar a iniqüidade, para trazer a justiça eterna, para selar a visão e a profecia e para ungir o Santo dos Santos”. Esta passagem é a promessa de Deus para Daniel de que Ele perdoaria todos os pecados do Seu povo em 70 semanas, quando suas transgressões acabariam. Ela também nos revela a libertação prometida por Deus através de Jesus Cristo.

Porque os Israelitas cometiam muitos pecados, Deus tinha que puni-los, e pelo preço de 70 semanas de escravidão, Deus perdoou todos os seus pecados passados. Quando a transgressão foi redimida e foi dado um fim aos pecados, todos eles estavam mais lá. Quando a reconciliação pela iniquidade é realizada, a justiça eterna é trazida, e a visão e profecia são seladas, e todas as Palavras faladas para Jeremias seriam cumpridas. Através dos 70 anos de escravidão, tudo isso se cumpriria, e na 70ª semana, os Israelitas retornaram para sua terra natal.

Foi isso que Deus falou para Daniel através do Seu anjo. Esta promessa foi uma promessa feita para os Israelitas, mas também tem um significado espiritual – assim como Deus preparou 70 semanas para o povo de Israel e sua cidade santa, Deus preparou para todos nós que cremos Nele a nossa Cidade Santa do Céu, nosso Reino de Deus.

Em Romanos está dito, “Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem”. Quando Jesus veio a esta terra, foi batizado e morreu na Cruz, todas as nossas transgressões foram eliminadas, nossos pecados acabaram, a justiça eterna foi revelada e a visão e a profecia foram seladas. A passagem de Daniel termina com, “para ungir o Santo dos Santos”. O que isso significa? O Santo dos Santos se refere a Jesus Cristo, que viria a esta terra para ser ungido.

O que significa ser ungido? Significa que Jesus receberia as três posições de Rei, Sumo Sacerdote do Reino de Deus e profeta. Como nosso Rei, Sumo Sacerdote e profeta, Jesus cumpriria a vontade de Deus para nos libertar de todos os nossos pecados. Assim como foi profetizado pelo anjo que falou para Daniel, Jesus Cristo levou todos os nossos pecados sobre Si e foi julgado em nosso lugar, vindo a esta terra e sendo batizado.

“A fé vem pela pregação”. Como então ouvimos e cremos neste evangelho da justiça de Deus? Como podemos crer que Jesus Cristo é o Salvador? Nós podemos ouvir e crer pela Palavra de Deus falada no Antigo e no Novo Testamento, pelas palavras faladas pelos profetas de Deus e Seus servos. É por isso que Paulo disse que a fé vem pelo ouvir e esta fé vem pelo ouvir da Palavra de Cristo.

Os profetas do Antigo Testamento, como Daniel e Isaías, profetizaram sobre a vinda de Jesus Cristo. Isaías, em particular, profetizou, “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si;” e “como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca” (Isaías 53:4,7).

Quem na época de Isaías creria que Jesus Cristo viria nascer de uma virgem para vir a esta terra como o mais comum de todos, viver por 33 anos, ser batizado, crucificado e ressuscitar da morte ao terceiro dia? Mas Isaías viu e profetizou, cerca de 700 anos antes da vinda de Jesus, que todas estas coisas aconteceriam. Ele testificou sobre o fato de que Jesus iria carregar a nossa tristeza e todos os nossos pecados.

É por isso que Paulo usava a Palavra do Antigo Testamento freqüentemente quando escreveu o Livro de Romanos, para explicar como os servos de Deus testificaram como Jesus se tornou o nosso Salvador – vindo a esta terra, levando todos os nossos pecados e nos salvando com a justiça de Deus.

Pois todos pecaram 

Romanos 3:23-24 diz, “pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus”. Porque nós nascemos no pecado e pecamos contra Deus, carecemos da Sua glória e do Seu Reino. Mas fomos justificados gratuitamente pela graça de Deus através da redenção em Jesus Cristo. Nossa justificação foi gratuita, sem preço. Nós não tivemos que pagar o salário pelos nossos pecados, porque Jesus levou todos os pecados e pagou este salário com a Sua própria vida na Cruz, tudo para libertar aqueles que ouviriam e creriam Nele.

O que queremos dizer com a fé na salvação de todos os pecados? Simplesmente queremos dizer que é a fé na justiça de Deus. Crer na justiça de Deus não tem nada a ver com obras, mas tudo a ver com nossos corações. Nós somos justificados pelo ouvir da Palavra do nosso Senhor e crendo nela com nossos corações. Para nos salvar de todos os nossos pecados, nosso Senhor veio a esta terra, tornou-se o Cordeiro de Deus, que carregou todos os pecados do mundo ao ser batizado por João Batista e morreu na Cruz. Ao terceiro dia, Ele ressurgiu da morte, e agora está assentado à direita de Deus Pai.

Jesus levou todos os pecados do mundo sobre Si, pagou o preço pela punição dos nossos pecados com a Sua própria vida e ressurgiu da morte; tudo para nos salvar de morte certa. Nós somos salvos pela crença nisso. Nossa salvação vem pela fé, e nossa fé vem pelo ouvir da Palavra escrita de Deus, e nosso ouvir vem pela Palavra de Cristo.

“A fé vem pela pregação”. Nós cremos nisso com nossos corações. Nossos intelectos são para o conhecimento, enquanto nossos corpos são para o trabalho, e é em nossos corações que nós cremos. Em que então devemos crer me nossos corações, e como? Pelo ouvir da Palavra de Deus. Nós podemos ouvir o Seu evangelho, e pelo ouvir do Seu evangelho podemos ter fé, e pela fé nós podemos ser salvos. Quando nós cremos, cremos pela Palavra de Deus – ou seja, nós cremos na Palavra escrita que proclama que Cristo levou todos os pecados com o Seu batismo, os carregou, morreu na Cruz e ressuscitou da morte.

Ter fé na Palavra de Deus é ter fé na Sua justiça. Então, a fé sem o ouvir da Palavra de Deus é fútil e inútil. Tais afirmações – de que Deus foi revelado por sonho ou uma coisa qualquer – são todas mentiras.

Nós somos salvos pela fé e somente pela fé. Vamos ler mais uma vez Romanos 3:24-26: “sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus”. Amém. Nosso Senhor foi feito a propiciação por nossos pecados. Por causa deles nós nos tornamos inimigos de Deus, mas Jesus restabeleceu a nossa relação com Deus ao se tornar a propiciação pelos nossos pecados com o Seu batismo, morte e ressurreição.

No meio de Romanos 3:25 está a passagem, “por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente”. Esta passagem nos fala que Deus aguardou com paciência por muito tempo, e que Ele irá esperar até o Dia do Julgamento. Aqueles que crêem em Jesus Cristo, aqueles que crêem na salvação através da água e do sangue, aqueles que crêem na salvação do Filho, que se tornou a propiciação para Deus Pai – todos os seus pecados foram deixados impunes por Deus. “Deixado impunes os pecados” significa que Deus deixou impunes os pecados daqueles que ouvem e crêem na Palavra de Deus e no Seu evangelho, o povo que crê no batismo de Jesus e no Seu sangue na Cruz.

Nós podemos vacilar de tempos em tempos em nossas vidas, mas isso é por causa da fraqueza da nossa carne e mente, e quanto mais não negamos a salvação de Jesus, Deus não verá todos estes pecados como pecados. Deus, em outras palavras, não olha para os pecados daqueles que são salvos pela crença na água e do sangue de Jesus Cristo em seus corações, mas os deixa impunes.

Por que, então, Deus deixou impunes nossos pecados? Como Ele pode ignorar estes pecados, quando Ele é um Deus santo e justo? É porque Cristo veio a este mundo e foi batizado. É porque Jesus destruiu todos os pecados do mundo com o Seu batismo e crucificação que Deus deixou impunes os nossos pecados passados. Os pecados passados se referem apenas ao nosso pecado original? Não, porque apesar de parecer pecado original, para o nosso eterno Deus Pai, tudo está no passado.

No ponto de vista da eternidade, o tempo neste mundo sempre aparece no passado. Este mundo tem início e fim, mas Deus é eterno, e então quando comparamos Seu tempo com o nosso tempo mundano, todos os pecados do mundo aparecem como cometidos no passado diante Dele. “Por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente”. É por isso que Deus não vê os nossos pecados. Não é porque Ele não tem olhos para ver os nossos pecados, mas Ele não os vê porque Seu Filho Jesus Cristo pagou o salário dos nossos pecados. Porque o batismo e a crucificação de Cristo limparam os nossos pecados, nós realmente aparecemos diante de Deus como pessoas sem pecado.

Como Deus poderia ver os nossos pecados quando Jesus Cristo, cujo cumprimento da justiça de Deus redimiu todos aqueles que creram nela, já levou todos eles de nós? É assim que Deus demonstra a Sua justiça, deixando impunes os pecados que nós cometemos previamente, os pecados que já foram pagos por Jesus Cristo.

A fé na justiça de Deus vem pela Palavra de Cristo porque a Palavra de Cristo por si só contém a justiça de Deus. Demonstrando a Sua justiça, Deus mostrou não apenas a Sua justiça, mas também a justiça daqueles que crêem em Jesus Cristo. Deus nos livrou de todos os nossos pecados, e nós, também, cremos em nossos corações que Jesus levou todos os nossos pecados. É por isso que nós nos tornamos sem pecados e justificados, porque fomos revestidos com a mesma justiça de Cristo (Gálatas 3:27). Porque Deus e nós somos justos, juntos somos todos uma família, e você e eu somos Seus filhos. Você crê nessas belas notícias?

Isso significa que temos algo em nós pelo que podemos nos orgulhar? É claro que não! De que nós podemos nos orgulhar em nós mesmos, se a nossa salvação só é possível pelo ouvir e crer na Palavra de Cristo? Nós fomos salvos por causa das nossas próprias obras? Do que podemos nos orgulhar? Nada! Você foi salvo porque freqüentou os cultos na igreja? Você foi salvo porque nunca perdeu um culto de domingo? Foi salvo porque ofereceu dízimos? É claro que não.

Tudo isso são obras, e a fé baseada ou completada em obras é uma fé errada. Nós fomos salvos dos nossos pecados somente pela crença na justiça de Deus em nossos corações. A fé vem pelo ouvir, e a salvação vem pela fé na Palavra de Cristo.

Tentar receber a remissão dos pecados através de orações de arrependimento, após crer em Jesus, é também uma falsa fé, pois a verdadeira fé vem apenas pela crença na justiça de Deus, não pelas obras da lei. Como a Palavra de Deus diz, “Onde, pois, a jactância? Foi de todo excluída. Por que lei? Das obras? Não; pelo contrário, pela lei da fé. Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei. É, porventura, Deus somente dos judeus? Não o é também dos gentios? Sim, também dos gentios”.

A salvação vem, para os Israelitas e Gentios, pelo ouvir e pela crença em seus corações que Jesus Cristo os salvou com Sua água e sangue. Nós somos salvos de nossos pecados quando cremos na justiça de Deus. Quando cremos nesta justiça, que é Jesus Cristo, nós somos salvos de nossos pecados. Deus se torna o nosso Pai e nós nos tornamos Seus filhos. Esta é a salvação pela fé na justiça de Deus, pelo ouvir e crer na Palavra de Cristo. Nossa fé vem pela crença na justiça de Deus.

Nossa salvação vem pela nossa fé na Palavra de Cristo. Você então crê que Cristo veio a esta terra como seu Salvador, que com o Seu batismo, Ele levou todos os pecados do mundo como propiciação para Deus, e que Ele morreu na Cruz, ressurgiu da morte ao terceiro dia, e está assentado à direita de Deus Pai? Você realmente crê nesta salvação, nesta expiação do nosso Senhor Jesus Cristo?

Existem muitas pessoas que pedem para Deus aparecer em seus sonhos, que dizem que só crerão quando O virem uma vez com seus próprios olhos. Alguns até mesmo dizem ter visto Jesus em seus sonhos, que Ele falou para eles fazerem isso e aquilo, construir uma igreja aqui, um centro de oração ali, etc, mas normalmente algo que exige dinheiro – e sendo enganados por tais afirmações, muitos são se enganam e vão pelo caminho errado. Existem muitos acontecimentos tristes neste mundo Cristão. Você deve perceber que isso não é obra de nosso Senhor, mas do próprio Diabo.

Se, por acaso, você vir Jesus em seu sonho, não leve isso muito a sério. Sonhos são apenas sonhos. Jesus não é alguém que apareceria para você dessa forma – do contrário, não haveria necessidade da Bíblia. Se Jesus aparece diante de nós mesmo uma vez, então devemos fechar a Bíblia, pois não existe mais necessidade dela. Mas isso terá um efeito devastador na obra da salvação de Cristo.

Se nós fossemos crer em Jesus sem a Bíblia, Ele teria que aparecer diante de todos. Mas não há necessidade disso, pois nosso Senhor já cumpriu todos os requisitos da salvação. É por isso que a nossa fé vem pelo ouvir e crer na Palavra de Cristo. Então todas as pessoas já ouviram sobre Jesus Cristo? Elas podem ter ouvido o nome de Jesus Cristo, mas nem todas ouviram o verdadeiro evangelho. É por isso que Paulo perguntou, “E como ouvirão se não a quem pregue?”.

Portanto, nós devemos pregar este evangelho que contém a justiça de Deus. Mas como? Por qual método ou como o evangelho é pregado não é importante; todos os métodos de espalhar as boas novas, através de palavras faladas ou material impresso, devem ser usados. A fé vem pelo ouvir, e o ouvir vem pela Palavra de Cristo. Os materiais impressos para pregar o evangelho podem também levar os leitores à verdadeira fé. Apesar deste método, você deve se lembrar que a fé vem somente pelo ouvir, e o ouvir somente pela pregação das boas novas.

“E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo”.Amém. Aqueles que crêem em seus corações pelo ouvir da Palavra escrita de Deus são aqueles que tem a verdadeira fé. Você tem essa verdadeira fé? Nosso Senhor nos libertou de todos os nossos pecados.Se você realmente tem a fé na Palavra de Deus em seu coração, então saberá que você é um verdadeiro Cristão. Eu espero e oro para que conheça isso; que você tenha sido salvo dos seus pecados. E também espero e oro para que se apegue na Palavra da água e do Espírito. Vamos, então, concluir a nossa discussão lendo Romanos 10:17 juntos.

Quão agradecidos e felizes nós somos porque nosso Senhor levou todos os nossos pecados! Sem o evangelho, as pessoas estão sempre desencorajadas, mas somente pelo ouvir que Jesus levou todos os pecados com o Seu batismo, nossos corações podem ser cheios de alegria e nossa fé pode começar a crescer.

Eu agradeço ao Senhor por nos salvar.

terça-feira, 14 de maio de 2013

"NÃO julgueis, para que não sejais julgados."

A mão que aponta é a mesma que vai aplaudir. Fases difíceis não me impedem de progredir.

"NÃO julgueis, para que não sejais julgados." (Mateus 7 : 1)

Muitos, hoje em dia, na igreja evangélica brasileira assumem a posição do politicamente correto. Onde o julgar é visto como algo desamoroso, algo que gera desunião e portanto, não deve ser aplicado nem dentro, nem fora da igreja. Erroneamente, esses distorcem o texto de Mateus 7:1 e aplicam o versículo fora do contexto. Fui acusada de julgamento algumas vezes e quero deixar uma resposta sobre isso. 

Resumidamente, a minha posição é esta: Jesus proíbe sim o julgamento, mas não todo o tipo de julgamento. Ele afirma que não devemos utilizar o 'nosso' próprio julgamento, porque assim como julgarmos seremos também julgados. Mas, temos sim o direito e o dever de apontar o julgamento de Deus a respeito de toda doutrina e circunstância. E como ter certeza sobre os julgamentos de Deus? Pelas escrituras, é claro. Lá já estão revelados todos os julgamentos de Deus.

Para falar um pouco mais sobre isso, segue o texto do Blog BEREIANOS (que foi publicado também pelo Genizah), e abaixo um video do Pastor Josemar Bessa que também aborda o mesmo tema. 

"O que mais se vê nestes “últimos dias” são heresias pregadas em muitas igrejas por aí. A cada dia ficamos mais indignados com tamanha distorção Bíblica, o Evangelho genuíno está sendo deixado de lado e sendo trocado por uma “teologia popular” voltada ao misticismo, aos modismos, as falsificações bíblicas e fetiches populares.

Apóstolos, pai-póstolos, gurus gospel tem surgido por aí trazendo um "outro evangelho". A palavra de Deus em sua essência é trocada por modismos, por hierarquias eclesiásticas, por dinheiro e por interesses particulares destes "super crentes". São tantos "shofás proféticos" que não aguento mais tanta barulheira.

É tanto "mantra gospel" que meus ouvidos já estão estourando, é tanto ré-plé-plé que meu senso de racionalidade clama por socorro! Quebra de maldições hereditárias onde o crente nunca se converte de verdade, seções de descarrego, sabonetes de arruda, rosa ungida, sal grosso... É tanto "copo d'agua consagrado" que dá até vontade de ir ao banheiro. Unções especiais, urros, gritos, histerias, regressões, encontros tremendos, etc.Diante de tudo isso, muitos Cristãos infelizmente tem se calado, pois existe um conceito errado de que não devemos julgar nada, que não é o nosso papel estar julgando o que ocorre com estas pessoas, principalmente se vamos falar de algum “líder” que esteja em um comportamento que vai contra as escrituras.Resumindo, querem nos calar mesmo!

Já não bastasse a perseguição contra os Cristãos que hoje em dia ocorre em muitos lugares no mundo, inclusive no Brasil, ainda temos que aguentar a distorção bíblica de que jamais deveremos abrir a boca de pastor x, apóstolo y, pois são os "ungidos de Deus". Nestes ninguém fala, até Davi foi repreendido pelo profeta Natan, mas estes líderes contemporâneos não podem ser repreendidos por algum erro ou heresia. É proibido pensar, é proibido julgar! Muitas mentes estão sendo cauterizadas por esta "nova doutrina".

Existem algumas passagens Bíblicas que muitos Cristãos têm interpretado erroneamente a respeito de julgamento. Meu compromisso nesta postagem é desmistificar e esclarecer ao Povo de Deus de que não devemos nos calar jamais, pelo contrário, devemos por obrigação exortar e lutar pelo Evangelho genuíno de Cristo, afinal, quem ama luta pela verdade, pois "O amor não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade". (1 Co 13:6).

“Não julgueis, para que não sejais julgados.” Mateus 7:1 Em primeiro lugar deixo claro que aqui JESUS claramente proíbe o julgamento. Mas a grande questão é se JESUS proíbe qualquer julgamento ou somente certo tipo de julgamento. O versículo 1 por si mesmo não nos dá uma resposta para esta pergunta. Por isso temos que aplicar uma regra fundamental para poder interpretar a Bíblia. Analisar sempre o contexto da passagem citada para poder saber de que se trata a mesma, pois sabemos que texto fora de contexto é um pré-texto para formar até mesmo uma heresia. 

Para sabermos de que tipo de Julgamento JESUS proibiu nesta passagem vamos analisar o contexto: “Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também. Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás claramente para tirar o argueiro do olho de teu irmão” 

Mt 7:2-5 Analisando o contexto podemos ver claramente que JESUS proíbe especificamente o “julgamento hipócrita”. Jesus diz aos judeus no versículo 1 que eles não devem julgar. No versículo 2, ele dá a razão pela qual eles não devem julgar: o padrão que eles usam para julgar os outros será o mesmo padrão que os outros usarão para julgá-los. Eles não devem ignorar seus próprios pecados, enquanto condenando os mesmos pecados nos outros. Fazer isto é julgar com um “padrão Duplo”, ou seja, julgar hipocritamente.Não é hipócrita condenar o irmão por uma pequena falta, ou mesmo tentar ajudá-lo a sobrepujá-la, quando você mesmo é culpado de uma falta maior? Esta é a grande questão que JESUS estava colocando diante do povo nesta passagem. (...)

Mateus 7:1, de acordo com o seu contexto, não proíbe todo julgamento e intolerância, mas somente o julgamento e intolerância hipócrita. De fato, ele requer de nós que, após nos arrependermos dos nossos próprios pecados, condenemos o pecado do irmão como pecado, e ajudemo-lo a se voltar dele.“tira primeiro a trave do teu olho”, diz Jesus, “e então, verás claramente para tirar o argueiro do olho de teu irmão”. Mt 7:5 Jesus ordena uma intolerância genuína, e não hipócrita, do pecado que o irmão comete. 

Outra passagem bastante utilizada é João 8:7-11. O contexto é a história da mulher que foi pega no próprio ato de adultério e trazida a Jesus pelos escribas e fariseus. No versículo 7, Jesus diz aos escribas e fariseus: “Aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire pedra”. No versículo 11 ele fala para a mulher: “Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais”. Os defensores da tolerância usam estas palavras para argumentar que ninguém deveria condenar outras pessoas, pois não é melhor que elas.Entendamos por ora que, quando alguém julga, ela dá um veredicto: Culpado ou inocente. Após ser julgada, a pessoa é sentenciada: A pessoa culpada é condenada (sentenciada ao castigo) e a inocente é liberta. O ponto é que julgar e condenar são duas coisas distintas, relacionadas, mas não idênticas. Tendo isso em mente, note que Jesus de fato julga esta mulher, mas não a condena. Ao dizer-lhe “vai e não peques mais”, Jesus indica que ela tinha pecado. Em si mesma, a acusação dos fariseus estava correta, e Jesus julgou o pecado como sendo pecado. 

Isto mostra intolerância pela ação pecaminosa! Seguindo o exemplo de Jesus, devemos dizer aos pecadores que mostrem arrependimento genuíno não mais cometendo pecado.Embora Jesus tenha julgado a mulher, ele não a condenou. Ela pode ir embora: ela não foi executada. O evangelho para o pecador penitente é:“Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.”Rm 8:1 Esta é a mensagem que Jesus dá à mulher; o próprio Jesus foi condenado por ela! Ele suportou o castigo que lhe era devido, para que ela pudesse ser livre!

A resposta de Jesus aos fariseus expõe o julgamento hipócrita deles no assunto (o propósito primário deles, certamente, não tinha nada a ver com a mulher; era pegar Jesus em suas próprias palavras. Todavia, Jesus sabia que os fariseus se orgulhavam da justiça própria deles, e respondeu à luz deste fato).

Os fariseus, Jesus recorda-os, também eram culpados de pecado, e especificamente de adultério, quer físico ou no coração. Porque também não eram livres de pecado, também eram dignos de morte como ela. Assim, ao desejar saber que julgamento ela deveria ter recebido, eles revelaram sua própria hipocrisia e motivação errônea.João 8:7 e 11 nos ensinam como tratar os que pecam. O versículo 11 diz que devemos desejar o arrependimento do pecador; o versículo 7 nos ensina que não devemos fazer isso hipocritamente, nem com motivos errôneos ou de uma maneira imprópria. Contudo, a passagem não quer dizer que nunca devemos considerar as pessoas responsáveis por seus pecados (isto é, julgar o pecado como sendo pecado).

Agora gostaria de colocar as passagens Bíblicas que nos ordenam julgar. 

João 7:24 “Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça”.Outras passagens na Escritura nos ordenam positivamente a julgar. Uma passagem que nos diz isso claramente é esta citada acima. Ela se encontra no contexto da discussão de Jesus com os judeus que questionaram sua doutrina, e tinham-no acusado de ter um diabo (Jo 7:20) e de quebrar o dia do Sábado curando um homem (Jo 5:1-16). A eles Jesus diz: “Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça”. Ao dizer “não julgueis”, Jesus não pretende proibir o julgamento como tal, mas proibir certo tipo de julgamento, como a parte positiva deste versículo deixa claro. Podemos julgar, mas quando o fizermos, devemos julgar justamente.O julgamento exterior e superficial – isto é, julgar simplesmente sobre base do que parece ser o caso, sem conhecer todos os fatos – é um julgamento imprudente, injusto e sem discernimento, que é contrário ao nono mandamento da lei de Deus. Deus odeia tal julgamento. O Julgamento justo é feito usando a lei de Deus como o padrão pelo qual discernimos se o que parece ser é o caso é realmente o caso.

1 Co 5 1 Coríntios 5 é um capítulo importante com respeito ao dever positivo de julgar. Primeiro, no versículo 3 Paulo declara, sob a inspiração do Espírito, que ele tinha julgado um membro da igreja em Corinto que estava vivendo no pecado da fornicação. Seu julgamento foi “seja entregue [tal pessoa] a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no Dia do Senhor Jesus”. Este é um julgamento ousado da sua parte.Segundo, nos versículos 9-13, Paulo lembra aos santos do seu dever de julgar as pessoas que estão dentro da igreja, quanto ao fato destes estarem, ou não, obedecendo a lei de Deus.Aqueles que alegam ser cristãos e são membros da igreja, mas que são julgados como sendo impenitentemente desobedientes a qualquer mandamento da lei de Deus (vs 9-10), devem ser excluídos da comunhão da Igreja. Paulo, sob a inspiração do Espírito, diz para a igreja não tolerar pecadores impertinentes! 

Outras passagens: Outras passagens também indicam que é nossa responsabilidade julgar. Jesus pergunta às pessoas em Lucas 12:57: “E por que não julgais também por vós mesmos o que é justo?”. Jesus repreende os escribas e fariseus em Mateus 23:23 e Lucas 11:23, dizendo: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém fazer essas coisas e não omitir aquelas”. Era o dever deles, de acordo com a lei, julgar – mas eles tinham falhado neste dever. Paulo orou para que o amor dos irmãos filipenses “aumentasse mais e mais em pleno conhecimento e toda a percepção”. (Fl 1:9). Ele diz aos de Corintos: “Falo como a criteriosos; julgai vós mesmos o que digo”. (1 Co 1:15).Os cristãos são solicitados a examinar tudo e reter o bem (1 Ts 5:21). Eles também são obrigados a provar se os espíritos são de Deus: "Irmãos, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas tem saído pelo mundo afora." (1 Jo 4:1)Mesmo nas reuniões cristãs eles devem "julgar" o que ouvem: "Tratando-se de profetas, falem apenas dois ou três, e os outros julguem." (1 Co 14:29).Os Crentes de Corinto receberam ordens para julgar imediatamente a imoralidade existente entre os seus membros (1 Co 5:1-8). Mesmo o estrangeiro de passagem não deve ser hospedado se for verificado que não se trata de uma pessoa alicerçada na verdadeira fé (2 Jo 10,11). E um anátema (maldição) deve ser proferido contra aqueles que apresentarem um tipo diferente de evangelho (Gl 1:9).Conclusão Algumas passagens da Escritura parecem proibir o julgamento, enquanto outras claramente exigem isso. Estudando os contextos daquelas que parecem proibir o julgamento, descobrimos que o que é proibido não é realmente o julgamento em si, mas sim um tipo errôneo de julgamento. Deus odeia o julgamento hipócrita! Mas Deus ama o julgamento justo da parte dos seus filhos. 

Portanto, é dever de todo Cristão julgar! “Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado.” Gl 6:1“Prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina, pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se a fábulas.” 2 Tm 4:2-3"


Seja um instrumento nas mãos de Deus! 
♫♫
│▌▌▌│▌▌│▌▌▌│▌▌│▌▌▌│▌▌│▌▌▌│▌▌│▌
└└└└└└└└
└└└└└└└└└└└└└└└└└└└└└

"COMPARTILHEM E CURTAM NOSSA PÁGINA"
⋙⋙⋙https://www.facebook.com/valni.borges⋘⋘⋘
(¯`v´¯) Ajude
`·.¸.·´ Nossa
☻/ Página
/▌ Deus os abençoe...
/ \ Blog: http://pastorvalniborges.blogspot.com.br/

Participe do Blog e receba atualizações muito edificantes para sua Vida...