domingo, 16 de junho de 2013

"...se não tivesse amor, eu nada seria".




Desde que ouvi a palavra sobre rigor ascético vinha meditando no que nos motiva e inspira a Servir ao Senhor. Se nossa motivação é o amor pelo nosso Deus, ou se nossa motivação está em agradar o homem? E nesse meditar no Senhor Ele me disse algo muito precioso que vou compartilhar mais adiante.  Ele compartilha seus segredos porque ama incondicionalmente o homem e quer vê-lo tendo vida em abundância e comendo o melhor desta terra.

Falamos muito no amor de Deus, mas qual o tamanho desse amor?
Podemos medir esse amor pensando dessa maneira, qual de nós daria o seu próprio filho por amor a alguém? E qual de nós daria esse filho pra morrer no lugar de alguém e ainda levando sobre si toda ignomínia e fazendo-o enfermar por amor da humanidade? É esse o tamanho do Seu amor.

E diante desse amor o que pode nos separar desse Deus?
"Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,
Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor". (Romanos 8: 38 e 39 )
O homem que ouve a voz do Senhor é como atalaia no período medieval em que ficava nas torres de vigia e quando via vir o inimigo tocava a trombeta, avisando assim todo o povo e exército que vinha aproximando o perigo.

Mas também temos a alegoria da Rebeca a escolhida para ser esposa de Isaque, que para ser confirmada como esposa , deveria pegar água do poço e dar aos camelos, teria que ter muita disposição, pois acredito que camelos bebem muita água; assim é a igreja do Senhor, precisa mostrar disposição para buscar água na fonte e dar água aos sedentos. E isso é prova de amor ao Noivo! E assim como Rebeca recebeu os adornos de prata e ouro, assim também a igreja certamente é adornada com a glória do Senhor.

E o que de precioso disse o Senhor? O Senhor disse á sua igreja, aos seus amados:
O homem precisa buscar intimidade com o Pai, precisa conhecê-lo e amá-lo para que esse homem possa andar num caminho reto e puro por AMOR ao Pai e não por outra motivação. Porque se o homem tenta obedecer por essa ser a regra ou preceito, ou ordenança ele está obedecendo por rigor ascético e não por amor. E sem amor nada adianta, podemos entregar nosso corpo para ser queimado, mas sem amor isso nada nos aproveita.

Temos que chegar á estatura de perfeição e obedecer declarando a Ele, Senhor eu não vou desobedecer por amor a Ti e não por homem, mulher, principado, potestade, ou coisa semelhante. Somente porque eu te amo Senhor!
O amor e entrega devem ser como a mulher em que lavou os pés do Senhor com suas lágrimas e os enxugou com seus cabelos, as lágrimas é quando viemos para os pés do Senhor em momentos de tribulação, dor, angústia, assim nos rendemos a Ele e nos prostamos diante de Sua grandeza e colocamos nossas lágrimas diante dEle. É também entregar a Ele o centro das nossas emoções e deixa-lo nos tratar, nos sarar, com o bálsamo de Gileade. E assim depois que nos aproximamos, que o conhecemos de perto, podemos então enxugar seus pés com os cabelos, os cabelos representam honra, ou seja, darmos a Ele toda honra e glória e amor que lhe é devido, para todo o sempre.

Na maioria das vezes chegamos até Deus como aqueles que contraíram lepra e viviam fora do arraial,ou os que padeciam de fluxo, separados da congregação, considerados imundos e sem posição de honra.
“Ordena aos filhos de Israel que lancem fora do arraial a todo o leproso, e a todo o que padece fluxo, e a todos os imundos por causa de contato com algum morto. Números 5:2

Ou até mesmo estamos justificados no sangue do Cordeiro, mas alguns nos consideram ainda imundos e nos impõem essa condição, de ficarmos separados, e dizem - Fique aí quieto, não incomode, pois tu és imundo!
Os que padecem desse mal na congregação sofrem e buscam ao Senhor para serem curados, e sua honra restaurada! E foi pra isso que Ele se entregou por nós, foi pra isso que Ele foi trespassado, para que nossos corações fossem descorbertos a Ele.
“(E uma espada traspassará também a tua própria alma); para que se manifestem os pensamentos de muitos corações.Lucas 2:35

 Chegamos a Ele como pessoas mimosas e delicadas, que não suportamos nada, não toleramos nada, que de tanto mimo parece que nem tocamos ao chão com os pés, levitamos na nossa insustentável “leveza”, não nos preocupamos com nada e com ninguém e com um único pensamento: “seja feito a MINHA vontade” nem somos desse mundo ou planeta, somos cheios de nós mesmos, egoístas e mesquinhos. 
“ E quanto à mulher mais mimosa e delicada no meio de ti, que de mimo e delicadeza nunca tentou pôr a planta de seu pé sobre a terra, será maligno o seu olho contra o homem de seu regaço, e contra seu filho, e contra sua filha”;  Deuteronômio 28:56
Muitos de nós pensamos que o mimo e a delicadeza é uma qualidade, uma virtude, na verdade isso é maldição, porque pessoas assim são impossibilitadas de ver a vida como ela é na realidade, não pisam com firmeza, não se firmam na Rocha, pessoas assim são mais frágeis e não compreendem o fogo consumidor, colocam o poder de Deus dentro do seu próprio entendimento e visão de mundo e vida. Mas o Senhor no momento em que transforma o homem e a mulher de Deus os faz duros como pederneira, destemido como leão e intrépidos como o cavalo preparado para a batalha.

A virtude é ter mansidão, paciência, longanimidade,amor ,que são os frutos do Espírito. A virtude é sermos fortes e corajosos, a virtude é sermos mansos como a pomba, mas também prudentes como a serpente. Mansos como o cordeiro, mas carregarmos as cargas uns dos outros como o touro.
Como podemos conhecer a tênue linha do equilíbrio, como podemos alcançar tamanha sabedoria? Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre nós e tenha misericórdia de nós, que o Senhor levante o teu rosto sobre nós e nos dê a paz.  ( Adap. Nm 6  24 )

 E Ele virá com o verbo, com a palavra, com a verdade, com sua forma de tratar o homem.Temos que ser sinceros com o Senhor em primeiro lugar e com os outros, falar a verdade e também sermos confrontados com ela, como uma espada que corta por um lado mas por outro repõe a VERDADE onde Deus habita. Jesus muitas vezes era duro e muitas vezes direto nas suas afirmações e observações, Ele era incisivo com as palavras, quando dizia sepulcros caiados, hipócritas, homens de pouca fé.
“ E Jesus, respondendo, disse: O geração incrédula e perversa! até quando estarei eu convosco, e até quando vos sofrerei?” ... Mateus 17:17

 E essa verdade doía aos que as ouviam, mas aquele que as aceitava era sarado de sua lepra na alma.
Quando o Senhor soprou nas narinas do homem o sopro de vida, na verdade Ele estava dando ao homem seu espírito, estabelecendo ali os oráculos de Deus.
Então o homem é corpo, que do pó veio e ao pó voltará, a alma que é o centro das emoções e o espírito que são os oráculos que nos dão acesso através do sangue de Jesus,  ao Pai.

Assim nos prostemos e adoremos com o corpo, alma e espírito, e busquemos de todo nosso coração, de toda nossa força, de todo nosso entendimento.  Mesmo que essa verdade doa e não nos agrade muito conhecer nossas cavernas tenebrosas, onde animais das trevas costumam ocultar, mas ainda que venhamos sentir dor como uma cirurgia, vale a pena, pois só assim a Luz pode penetrar e nos fazer conhecer, nossas máscaras,nosso mais profundo interior, nosso inconsciente.

A espada trepassou a alma de Jesus para que Ele pudesse entrar no nosso profundo ser e nos revelar quem Ele é, e quem somos nós, Ele vem e nos enche e nos capacita para suportarmos o processo de cura, milagre e salvação,e o Espírito Santo nos inspira e nos capacita para declarar: Jesus eu te adoro, eu te adoro, eu te adoro!!! Numa renúncia, numa entrega total de amor e dedicação.

E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá. 1 Pedro 5 :10