domingo, 25 de agosto de 2013

A VERDADEIRA IGREJA !!!

Hostilizados por não se conformarem com doutrinas antibíblicas aplicadas na maioria das instituições religiosas, os servos de Deus são tidos por hereges por anunciarem a essência da verdade expressa na Palavra e no Evangelho de Cristo, mas o que nos encoraja e fortalece a fé é a credibilidade na Palavra do Senhor pelos servos compromissados com a Verdade, como também o testemunho de irmãos - ainda que distantes - porque passam pela mesma opressão. Mas sentimo-nos seguros e na certeza que caminhamos no rumo certo, guardando a mensagem da cruz em verdadeira justiça, e a destra do Altíssimo nos sustenta e conforta.
Cremos nas promessas e virtudes do nosso Consolador, o Espírito Santo do Senhor, porém, não compartilhamos com esses movimentos intitulados “pentecostais”, como movimento celular G12, cair na unção, rê tê tê, e outras heresias praticada pelas instituições religiosas eclesiásticas que o homem apelidou de "igreja".

Também não contaminamos com doutrinas criadas pelo homem com fins lucrativos, como o evangelho da prosperidade, o dízimo, comércio envolvendo o nome do Senhor e outras falácias que vêm em decorrência do aparecimento degenerado de tantas vãs doutrinas e preceitos ilusórios sem fundamento no Evangelho de Cristo, porque a capitalização das instituições religiosas (igrejas) gera corrupção e distancia o servo do seu Senhor - mas não vos assusteis - é o cumprimento das profecias porque estamos vivendo os últimos dias da Igreja na Terra.

Observem que em II Pedro (2.1 a 3), relata que: "Assim como houve entre o povo falsos profetas, haverá também entre vós falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade; e, por avareza, farão comércio de vós com palavras fingidas; sobre os quais já de longo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dorme."

As profecias testificam os acontecimentos atuais nas igrejas denominacionais, o homem conclui um curso de teologia, toma sobre si a responsabilidade de apascentar um rebanho, e sai por aí negando a eficácia do amor anunciado por Cristo em todos os livros do Novo Testamento, ainda que isso resulte em prejuízo à salvação do seu próximo.

Optam sempre pelo modernismo do evangelho da prosperidade e outras distorções introduzidas na igreja por avareza do homem, mas o próprio Jesus alerta no livro de Mateus 7.15, dizendo: "Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores" (isso o faz lembrar-se de alguém?)

E em tudo isso há uma tragédia maior ainda: Erram por não conhecer as Escrituras, e nem o poder de Deus (Mateus 22.29); por essa razão é indispensável examinar tudo, e reter o bem (I Tessalonicenses 5.21).

E muitos pregadores tentarão justificar-se, alegando que as censuras e advertências proferidas por Jesus foram direcionadas especificamente aos Judeus, pois bem, primeiramente é preciso discernimento espiritual para entender que Cristo não veio ensinar os judeus a viverem bem a velha aliança, Ele veio justamente para nos libertar das obras da lei e resgatar o homem do pecado e da morte.

Então perguntamos: Qual a doutrina ordenada aos judeus, e qual a doutrina para os seguidores de Cristo? É óbvio que a doutrina para os judeus fora constituída pela lei de Moisés. No entanto, Jesus disse: Um Novo Mandamento vos dou (João 13.34), porque é pelo Evangelho do Senhor Jesus que virá a salvação (I Coríntios 15.1, 2 – Romanos 1.16).

A Palavra de Deus é viva e eficaz, e o Senhor é o mesmo ontem, hoje e será eternamente, assim também estejamos atentos à Palavra, comparando os ensinamentos da igreja moderna e verão a contradição com o Evangelho de Cristo.

O Senhor recomenda a permanecermos vigilantes, e alerta: "Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam" (João 5.39), e nos aconselha a não confiar em tudo o que o homem pregar concernente aos mandamentos, porque assim diz o Senhor: "Maldito o homem que confia no homem" (Jeremias 17.5), mas "Bem-aventurado o homem que põe a sua confiança no Senhor" (Salmos 40.4).

E um exemplo de vigilância a ser imitado consta em Atos capítulo 17, ocasião em que Paulo e Silas anunciavam a Cristo na cidade de Tessalônica, e sendo perseguidos por causa da inveja dos judeus obstinados foram para a cidade de Beréia, e o povo recebeu o Evangelho com alegria e perseverança, entretanto, esses foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a Palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim. 

Exatamente isso que a igreja de Cristo precisa, tomar o exemplo dos irmãos de Beréia e examinar nas escrituras se a doutrina da sua igreja e o ensinamento que tem recebido está em conformidade com o Evangelho de Cristo, conferir se a sua igreja está vivendo o tempo da graça, ou se ainda está na ordenança da Velha Aliança.

Jesus tomou sobre si toda responsabilidade indispensável para alcançarmos a vida eterna e manifestou toda a sua vontade nas Escrituras, por isso, quando o Senhor vier na sua glória, e encontrá-lo vivendo um evangelho fácil apenas de aparências, você não terá argumento para se justificar, sob alegação que foi enganado pelo líder da sua “igreja”, porque o Senhor irá separar os reprovados. Errou porque optou em crer na palavra do seu pastor, ao invés de buscar entendimento nas Escrituras. Errou porque se acomodou na facilidade em aceitar a doutrina imposta pelo homem.

"Nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo" (II Pedro 1.20 e 21).

Em João 14.26 há promessa do Senhor Jesus para não nos deixar órfão, o qual nos dará do seu Espírito Santo para nos ensinar todas as coisas fazendo-nos lembrar das suas Palavras e dos seus ensinamentos para andarmos segundo a sua vontade, vejamos: "Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito."

Portanto, aquele que tem o Espírito Santo do Senhor Jesus não anda na mentira e doutrinas vãs que não constam no Evangelho, antes guarda os Seus mandamentos e faz a Sua vontade porque tem discernimento das obras do pecado e da santidade recomendada por Jesus àqueles que O amam.

Como também II Pedro (3.15, 16), exorta dizendo: "O nosso amado irmão Paulo vos escreveu, falando disto, em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição."

Esta palavra é um alerta sobre o cuidado que precisamos exercer referente aos mandamentos de Cristo. Hoje existe uma avalanche de pregadores e dirigentes de igrejas torcendo a verdade de Jesus em mentira, beneficiando-se do sacrifício e do sangue de Jesus, que por muitos foi derramado, vislumbrando apenas as prosperidades materiais, buscando somente alegria momentânea nas instituições religiosas chamadas de “igrejas”. Crente só de aparência, brincando com o poder de Deus, porque não conseguem discernir os pontos difíceis da Palavra, os quais só podem ser distinguidos espiritualmente, através de uma busca sincera pela assistência do Espírito.

Disse Jesus: Eu testifico a todo aquele que ouvir as Palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;
E, se alguém tirar quaisquer Palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro (Apocalipse 22.18,19).
A verdadeira Igreja de Cristo é constituída por adoradores do Pai - em Espírito e em Verdade. São pessoas que não se sujeitam à servidão dos empresários da fé, para que possam anunciar o Evangelho livremente. A verdadeira Igreja não aceita ouro nem prata em detrimento ao sacrifício e ao sangue do Senhor Jesus. Esse pequeno rebanho é menosprezado e até perseguido por grupos chamados "evangélicos". É assim mesmo. A Igreja primitiva também foi perseguida (muito mais!) pelos grupos religiosos de sua época.