sexta-feira, 20 de março de 2015

Confiando em Deus...

“Em meados dos anos 80 eu estava igual pão quentinho, saído do forno. Me converterá há poucos dias, imagine então a alegria de uma nova vida com Deus, a vivacidade e o fogo do meu primeiro amor. Eu vinha de uma vida com um “deus” que nunca me respondia e resolvi logo testar o meu novo Deus. Eu estudava pela tarde e a minha turma treinava educação física pela manhã cedinho. Fui dormir, pedindo a Deus que me acordasse uma hora antes da física começar. Eu costumava me acordar de madrugada, mas nessa noite dormi um sono tão gostoso que só acordei com o sol alto. Espere sol alto? Fui até o relógio mais próximo: sete horas da manhã, duas horas depois da educação física. Nunca gostei de chegar atrasado a um compromisso, ajoelhei-me na cama, falei com o Senhor e reclamei muito com Ele por não ter me atendido e disse-lhe que estava com muita raiva, pois havia confiado nEle e nem pedi a minha mãe que me acordasse na hora que eu precisava. Levantei-me, passei toda a manhã triste, fui mais triste ainda à tarde para a escola, decepcionado e com raiva. No colégio, perguntei ao meu melhor amigo da classe: -Como foi a física? E o amigo me respondeu: - Você fez bem em não ter ido. Esperamos o professor mais de uma hora, ele não foi e não houve física. Eu disse: - Valeu! E sai dali de cabeça baixa, muito arrependido e com vontade enorme de chorar. Procurei um lugar solitário e pedi perdão a Deus. Ele me ensinou a confiar nEle e nunca mais duvidar. Hoje já com mais de trianta nos continuo confiando em Deus e por muitas vezes sem entender o seu querer realizando a sua vontade, muito ainda tenho chorado mas não choro de criança, pois com o tempo aprendemos a esperar o melhor de Deus em nossas vidas, naquele tempo eu esperava de Deus coisas muito simples e não tinha a noção da grandeza de Deus, hoje vejo os milagres de Deus em minha vida e na vida daqueles a quem ele nos envia. Muito obrigado, meu Deus!”