terça-feira, 7 de abril de 2015

A fé que gera multidões


E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.

“ E aconteceu depois destas coisas, que provou Deus a Abraão, e disse-lhe: Abraão! E ele disse: Eis-me aqui.

E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.

¶ Então se levantou Abraão pela manhã de madrugada, e albardou o seu jumento, e tomou consigo dois de seus moços e Isaque seu filho; e cortou lenha para o holocausto, e levantou-se, e foi ao lugar que Deus lhe dissera.

Ao terceiro dia levantou Abraão os seus olhos, e viu o lugar de longe.

E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e havendo adorado, tornaremos a vós.

E tomou Abraão a lenha do holocausto, e pô-la sobre Isaque seu filho; e ele tomou o fogo e o cutelo na sua mão, e foram ambos juntos.

Então falou Isaque a Abraão seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui, meu filho! E ele disse: Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto?

E disse Abraão: Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho. Assim caminharam ambos juntos.

E chegaram ao lugar que Deus lhe dissera, e edificou Abraão ali um altar e pôs em ordem a lenha, e amarrou a Isaque seu filho, e deitou-o sobre o altar em cima da lenha.

E estendeu Abraão a sua mão, e tomou o cutelo para imolar o seu filho;

¶ Mas o anjo do Senhor lhe bradou desde os céus, e disse: Abraão, Abraão! E ele disse: Eis-me aqui.

Então disse: Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único filho.

Então levantou Abraão os seus olhos e olhou; e eis um carneiro detrás dele, travado pelos seus chifres, num mato; e foi Abraão, e tomou o carneiro, e ofereceu-o em holocausto, em lugar de seu filho.” – Gênesis 22. 1-13.

Nessa passagem vemos uma das situações mais incomodas da Bíblia. Imagine a confusão de pensamentos de Abraão:

#Aos 99 anos de idade Deus lhe promete ser pai de numerosas nações 
#agora o Senhor pede seu filho como sacrifício, não parece confuso? 

Daqui tiro dois pontos:

1. O preço a ser pago para ouvir a voz de Deus.

Que para ele naquele momento foi seu filho Isaque, muitas vezes para você pode ser alguém, pode ser uma atitude que Deus pede de você e você vira as costas, ouvir a voz de Deus requer um preço a ser pago, a bíblia diz “Tome a sua cruz e siga-me” então assuma a responsabilidade que cabe a você, pois Abraão como Pai, a cada passo que se aproximava do monte para o sacrifício, mais seu coração ficava apreensivo, imagine a dor que ele sentia, tanto de perda da promessa quanto de seu filho. Jesus pagou um alto preço por você, preço alto demais para um pecador como eu e você virar as costas a primeira dificuldade. Muitos de nós no lugar de Abraão teriam sua fé abalada, mas se você ler com atenção verá que ele respondeu com prontidão a ordem do Senhor da mesma forma hoje Deus cobra de nós prontidão para responder ao seu pedido.

2. A promessa de Deus.

Lembrando que Isaque era o filho da promessa, nele se viam as chances de concretizar aquilo que o Senhor havia prometido, hoje em dia para nós isso é muito importante, nós sonhamos, Deus nos promete e acreditamos que ele irá cumprir, e então chega a pior parte: a espera, nós esperamos e o tempo parece que não passa, mas chega o dia e nossa promessa se concretiza, mas vem esse mesmo Deus, aquele que nos prometeu e pede aquela promessa tão desejada, pensando nisso agora te pergunto:

Você entregaria a Deus sua promessa? Talvez seja um carro, talvez a tão esperada faculdade, talvez o seu emprego. Provavelmente a resposta a essa pergunta seja não, porque nós esquecemos que temos a visão limitada das coisas, somente Deus tem a visão total, mas largamos nossa confiança de lado, colocando nosso pequeno entendimento a frente do entendimento de Deus.

Abraão não fez isso porque ele conhecia o poder de Deus porque já tinha vivido grandes coisas com Ele. Tanto é que a questão de Isaque e da promessa não o impediu de ser um exemplo de como confiar em Deus.

Porque ele tinha dois fatores importantes: Conhecimento e Intimidade.

· CONHECIMENTO + INTIMIDADE = CONFIANÇA E FÉ REDOBRADAS.

Por isso ele teve plena confiança em Deus em Hebreus 11. 17-19 diz:

“Pela fé Abraão, sendo provado, ofereceu Isaque; sim, ia oferecendo o seu unigênito aquele que recebera as promessas, e a quem se havia dito: Em Isaque será chamada a tua descendência,

julgando que Deus era poderoso para até dos mortos o ressuscitar; e daí também em figura o recobrou.”

Não é possível confiar ou ter fé assim em quem não se conhece. A fé que precisamos é uma fé que não está atrelada a promessa ou milagre, mas sim à aquele que prometeu, talvez se Abraão tivesse priorizado Isaque ele não teria se tornado o exemplo que é hoje.

Priorizar Deus não é só quando é fácil, ter Deus como prioridade é também escolher o Senhor mesmo quando é tão difícil. Nisso entro no próximo ponto que quero apresentar:

· A fé não é um sentimento, é uma convicção.

Convicção é aquilo que nos move. Por exemplo: quando você tem plena convicção que algo dará certo, é normal que você siga em frente com aquilo, da mesma forma se você tiver convicção de que dará errado, você vai parar por aí.

Neste caso Abraão teve convicção de que Deus era poderoso para fazer infinitamente mais do que ele havia pensado ou pedido, essa convicção que devemos nos espelhar.

O que você está esperando? Deus já não te deu motivos suficientes para confiar na obra dele? Se você ainda não o conhece totalmente a ponto de confiar e crer talvez seja hora de buscar mais do Senhor, ler sua palavra e meditar, o importante é não deixar que o sentimento mova sua fé, pois quando ele entra em cena nos voltamos para as circunstâncias e não para a grandeza do nosso Deus e aqueles que leem pelo menos um versículo ou uma passagem dessa bíblia aqui, sabem qual é a grandeza de Deus.

“Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.”

- Hebreus 11.1

A fé bem empregada não é movida por sentimento, sentimentos mudam devido o tempo e as circunstancias, num mesmo dia você pode estar triste e depois alegre mas não a Fe no verdadeiro sentido da palavra, como a parábola dos dois lavradores:

Os dois esperavam pela chuva que havia muito tempo não vinha, mas um deles preparou a terra para o momento que a chuva viesse, ele teve fé naquilo que a olhos humanos pudesse parecer impossível, mas fé é assim, ela:

· [A fé] Nos deixa ultrapassar uma barreira chamada: impossibilidade.

Pois seu alicerce é a palavra de Deus, a confiança, e não as circunstâncias.

Assim como Sadraque, Mesaque e Abde-Nego na fornalha ardente; como Pedro ao andar sobre as águas, e acho algo interessante nessa historia, na verdade um exemplo, pois Pedro estava indo bem firme e forte enquanto estava olhando para Jesus, só foi ele perder o foco e olhar para as circunstancias que o medo e a falta de fé o afundou, não foi o mar, mas a falta e fé.

Muitos homens e mulheres de Deus nos mostraram que ‘impossível’ não existe no vocabulário do nosso Deus, pois o homem é um ser que segue uma natureza, ou seja, é um ser natural, mas o nosso Deus é um ser SOBRENATURAL, SOBRE-HUMANO, ele faz, ele desfaz porque Ele é Deus, porque Ele é um Deus do impossível.

Nós temos que buscar a cada dia essa fé, a fé que ao tocar seja curado, que ao ver alguém perdido nas drogas temos a certeza de que há solução e a solução a Jesus, que não importa o que aconteça sempre há uma solução para nosso Deus, uma fé que vê além das circunstancias, uma fé que tenha como foco o Senhor.

Para finalizar queria resumir em algumas perguntas básicas:

· O que é uma fé que gera multidões?

É a fé regada no amor, como uma plantação, a plantação é cuidada, zela-da senão ela morre não se dá frutos, a fé que gera multidões é aquela que acredita na mudança, que cuida e se importa com o próximo, que se importa em olhar com olhos espirituais, vendo Deus ao invés das circunstancias.· 

Quem tem uma fé que gera multidões?

Aqueles que tem fé para interceder, uma fé que não é egoísta, aqueles que seguem a Cristo pois Jesus gerou muitas almas.

· Quando terei uma fé que gera multidões?

Quando Jesus acontecer na sua vida, quando além de convencido você estiver convertido.

· O que acontece quando você tem uma fé que gera multidões?

Você se torna um PAI DE MULTIDÕES e isso é uma responsabilidade, não brincadeira.

Não pense que ser pai de multidões é algo bonito e fácil, para Abraão nem sempre foi fácil, mas graças as atitudes e escolhas dele, até hoje é conhecido como pai na fé.

Responda para si mesmo a pergunta: Se você fosse citado na bíblia como exemplo para nós hoje, seria conhecido como pai de multidões ou homem/mulher de pouca fé? Quando os apóstolos estavam no barco, se eles tivessem focado ao fato de Jesus estar com ele invés da tempestade, não seriam taxados como homens de pouca fé, sorte que Deus nos dá uma nova chance todos os dias para mudar nossa postura. Isso só depende das nossas atitudes, das nossas escolhas, eu costumo dizer que se você quer ser grande, deve pensar como os grandes, se você quer ser chamado como pai de multidões pense como um, primeiro a carga depois o cargo, ame os perdidos e tome decisões que um pai de multidões tomaria.