segunda-feira, 16 de abril de 2012

Magno Malta quer embaixador do Irã explicando motivo da sentença de morte de pastor cristão


Senador Magno Malta vai lutar contra o enforcamento do pastor.
Senador Magno Malta vai lutar contra o enforcamento do pastor.
Senador Magno Malta (PR/ES) pediu no plenário para a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa que convide o embaixador do Irã no Brasil para explicar o motivo da condenação do pastor Youcef Nadarkhani, 34, que será enforcado a qualquer momento por negar a Cristo.

Senador Magno Malta marcou para esta quarta-feira, às 17 horas, reunião com lideranças da Frente Parlamentar da Família para defender o pastor Youcef, que foi preso acusado de tentar evangelizar, o que pode levar à pena de morte no país. “Respeitamos os islamismo e também queremos ser respeitados. O mundo não pode aceitar tamanha violação dos Direitos Humanos em pleno 2012”, disse Magno Malta.
Magno Malta pediu que o Irã cancele a sentença. "Eu repudio o fato de que Youcef Nadarkhani, um líder cristão, possa ser executado por se recusar a cumprir a ordem da Suprema Corte para que ele se convertesse ao islamismo. Isso demonstra que o regime iraniano continua não respeitando o direito à liberdade religiosa”. Frisou o senador.

Malta emocionou os parlamentares, ao lembrar trechos do livro Torturado por Amor a Cristo, narrativa dos sofrimentos e do testemunho nos países atrás da Cortina de Ferro, do autor Richard Wurmbrand. Trata-se do relato de um cristão que foi torturado ao extremo, até perto do filho para negar o cristianismo, mas não resistiu e resolveu falar, quando o filho pediu: “não negue o evangelho pai, não negue nossa terra”.

Youcef  Nadarkhani se recusou a cumprir uma ordem judicial que o obrigava a se converter novamente ao islamismo. A sentença foi proferida por uma corte na província de Gilan, na cidade de Rasht. “Peço ao senador Paulo Paim, presidente da Comissão de Direitos Humanos, que interceda em favor deste herói. Eu pessoalmente também faria o mesmo. Temos que ouvir o embaixador do Irã para esclarecer esta intolerância religiosa, este preconceito criminoso contra o cristianismo e tamanha discriminação religiosa re pudiada por todos os segmentos do mundo”, disse o senador, que marcou uma reunião com diversas lideranças para mais este enfrentamento.

Presente no plenário, senador Paulo Paim, imediatamente respondeu que vai acatar a solicitação do senador Magno Malta e convocar o embaixador do Irã no Brasil e também participará da campanha contra esta cruel sentença de enforcamento.


Autor: Servos do Senhor Inspirados pelo Espirito Santo de Deus.