segunda-feira, 16 de setembro de 2013

A boa semente de Deus


Sl 119. 57 - 64; Is 44. 6 - 8; Rm 8. 18 - 27; Mt 13. 24 – 30, 36 - 43

A modernidade e seus perigos. Entre tantos, quero citar o mais ardiloso de todos – o homem é levado a crer que o diabo, “nosso inimigo que anda em redor procurando alguém para devorar” (1Pe 5.8), não existe. Dizem por aí que é uma personificação do mal, sendo assim, o inferno é aqui na terra, em meio à violência, a corrupção, drogas, prostituição, etc. Milhares de pessoas estão vivendo suas vidas sem perceber a sua terrível situação, pecadores que necessitam da graça de Deus em Cristo Jesus, e que sem Jesus Cristo terão um triste fim, o inferno.
Olhemos a parábola do joio e do trigo. Após a leitura, (Mt 13. 24 – 30) qual é a impressão dessas palavras? Muitas vezes se diz, ou pensa que é dentro da igreja que o joio e o trigo permanecerão juntos até o fim dos tempos. Precisamos nos lembrar que Jesus se refere ao campo, ou seja, mundo. Claro que a igreja está dentro do mundo, mas Jesus está deixando claro que os cristãos vivendo no mundo, são a boa semente semeada para produzir bons frutos, ou seja, frutos que os diferenciem do joio. A questão é: Viver entre o joio, ou me afastar do joio e viver só entre o trigo? Diante dessa questão convido a reflexão no seguinte tema: A boa semente de Deus. Qual?

1 – Aquela que produz bons frutos;

Os servos chegaram ao dono do campo e perguntaram, “queres que arranquemos o joio?”. A resposta é surpreendente, NÃO. Espere a hora da colheita. Deixem os dois juntos.
Deixar viver junto: essa foi a resposta do dono. Ele sabia que as raízes estão entrelaçadas, e ao arrancar o joio, pode-se arrancar junto o trigo. Vivemos juntos, trigo e joio, no vasto campo do mundo. E há apenas uma diferença, os frutos. A presença do joio aparece mediante os frutos.
O trigo é usado para alimentar, o joio, ao contrário é venenoso e pode matar. Aparentemente são parecidos. A planta venenosa é traída pelos seus frutos, ela não pode enganar sempre, sua identidade é comprovada dia após dia.

O joio foi semeado entre o trigo, para estragar o trigo. Mas Deus em sua sabedoria nos dá meios, Palavra e Sacramentos para permanecermos boa semente. O inimigo do homem, o diabo, aproveita a escuridão para não ser visto e nem repelido.

Deus quer salvar o mundo, mas o inimigo, quer destruir. Faz isso através da permanência de muitos na escuridão. Disse Paulo aos coríntios: “nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus” (2Co 4.4). 

O nosso inimigo não se satisfaz somente com isso, tenta para que o trigo, a boa semente, murche e caia no sono espiritual. Estamos propensos a queda, precisamos ser despertados, assim como Jesus precisou despertar seus discípulos para a vigilância. Precisamos estar alertas, continuar sendo trigo, sendo a boa semente, porque vivemos junto com o joio. Compartilhamos idéias, projetos em comum, somos vizinhos, trabalhamos no mesmo lugar, temos sofrimentos e problemas comuns, nos ajudamos, colaboramos um com o outro. Mesmo em meio a tantas coisas comuns, apenas uma coisa nos distingue, os frutos. Somos filhos de Deus, pertencemos a Deus, sabemos e reconhecemos nosso estado deplorável como pecador, e em Jesus Cristo sabemos que somos amados e perdoados. 

O joio, a semente venosa, não reconhece sua situação e despreza aquilo que Deus em Jesus fez e faz a toda a humanidade, e por esse desprezo estão se deixando levar a perdição. Deus: “...deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Porquanto há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem, o qual a si mesmo se deu em resgate por todos: testemunho que se deve prestar em tempos oportunos” (1Tm 2.4-6).
Vivemos tempos conturbados, dias em que dúvidas surgem a todo instante, “vale a pena ser honesto?” “Vale a pena continuar sendo fiel?” “Não seria melhor fazer como muitos fazem, são corruptos e se dão bem?” O joio causa tristeza, desânimo, nos deixa abatidos, mas em nosso coração foi semeada a boa semente, nós agora somos as boas sementes. E para permanecermos boa semente, Deus na Palavra, no Corpo e no Sangue, continua nos alimentando para que através de nós, nossos frutos, outros sejam atraídos e se tornem trigo.

Nosso inimigo semeou e semeia o joio entre a boa semente. Precisamos reconhecer o perigo e o estrago que a semente venenosa é capaz de fazer. Fazemos parte do campo do mundo, e nesse enorme campo, as duas sementes não vivem separadas, estão misturadas, mas fica para cada um de nós a pergunta: Diante do joio qual é a minha reação? Indiferença, Satisfação, Acomodação, Negação. Estamos nós, sendo trigo, ou seja, transmitindo nossos valores? Ou estamos adotando o modelo do joio? Como boa semente, como filhos de Deus, discípulos de Jesus, somos enviados ao mundo, no meio de lobos, e como enviados de Deus, como boas sementes semeadas por Deus, estamos entre o joio para fazermos a diferença, para alimentarmos e não sermos envenenados.
Jesus nos enviou, e pediu ao Pai que nos livre do mal, e além de orar, nos prometeu que ficaria conosco todos os dias até o fim dos tempos. E até esse dia, nos convêm permanecer neste mundo, assim como somos, trigo, boa semente de Deus, semeada para produzir bons frutos.
A boa semente de Deus. Qual?

2 – Aquela que será ajuntada e levada ao seu celeiro;

Nós não podemos julgar nosso semelhante, esse é trigo, aquele é joio. Pois apenas vemos a cara, mas não conseguimos olhar o coração e ver se há ou não há fé. O julgamento não cabe a nós, será feito por Deus, no dia do julgamento. A nós cabe permanecer na Palavra, permanecer em Jesus, pois só ele é o caminho a verdade e a vida. E é nEle que veremos o Pai.

Deus em seu amor e misericórdia dá a cada um de nós e também aos joios espalhados pelo mundo a chance de se arrepender, e reconhecer que só em Cristo está o perdão, a salvação. E nesse perdão a exemplo do trigo produzir bons frutos. Todos nós estamos expostos a tentação, “vigiai, pois, a todo o tempo, orando, para que possais escapar de todas estas coisas que têm de suceder e estar em pé na presença do Filho do homem” (Lc 21.36). Não nos preocupemos em julgar, permaneçamos entre aqueles que no dia da separação serão separados em feixes e colocados no celeiro de Deus. E pela fé em Jesus eu faço parte desse grupo, além de me consolar com essa certeza, essa certeza precisa servir de estímulo a convidar outros, a chamar outros ao caminho verdadeiro, a Cristo. Permaneçamos produzindo o bom fruto, para que muitos se alimentem daquilo que nós somos alimentados.

O profeta Isaías nos transmite a mensagem de que o povo de Deus é chamado a servir de testemunha do Senhor no meio do povo. A semente de Deus é chamada a permanecer como boa semente entre as más sementes espalhadas ao nosso redor. A boa semente do evangelho no batismo nos libertou da condenação; a boa semente do evangelho nos alimenta, perdoa e capacita para permanecermos como trigo; a boa semente do evangelho no Corpo e Sangue de Jesus também nos alimenta, perdoa e capacita a permanecermos boa semente. Aproveitemos esses meios para que regados resistamos às tentações, principalmente a de deixar de ser boa semente.

Pela boa semente do evangelho, Deus nos fez e faz boa semente, semeada por Deus para fazermos a diferença, para que todos vejam em nós o bom fruto, para que todos vejam em nós o amor de Deus manifestado em Jesus. Que o nosso viver em meio ao joio, seja um viver de amor, compreensão, respeito e perdão.

Tenhamos paciência em viver entre o joio. Por que paciência? Primeiro: por não sermos capazes de distinguir entre joio e trigo; Segundo: Deus em seu amor deseja e faz todo o possível para que o joio se torne trigo e assim faça parte dos feixes que serão separados e guardados no celeiro de Deus.
A modernidade e seus perigos. A nós não cabe julgarmos quem é trigo, quem é joio, antes, nos cabe vigiar. Nos importa semear, e o restante fica com Deus. Deus sabe quem é joio, quem é trigo. Ele fará a separação. Que nós cristãos permaneçamos em Jesus para estarmos entre os feixes de trigo separados e guardados no celeiro celestial. 

Amém!