segunda-feira, 16 de julho de 2012

Cristão Vence a Ansiedade !!!








Título – Como o Cristão Vence a Ansiedade

Texto – Mateus 6:25-33

INTRODUÇÃO
1.    Somos uma geração atormentada pelo medo. A violência e a insegurança a cada dia tem se tornado algo natural. O conselho que podemos receber é: “Salve-se quem puder!”. Em meio a esse caos a nossa alma sofre as aflições da ansiedade. Podemos definir em termos da psicologia ansiedade como sendo: “uma sensação derivada de momentos de preocupação, tensão e apreensão, sentida como antecipação a problemas” (PEREIRA, 2010).

2.    No contexto cristão redefinimos ansiedade como: uma sensação decorrente da nossa falha percepção da realidade e da falta de confiança no Deus que sustenta a realidade.

3.    Jesus sendo o conhecedor das ansiedades humanas exortou os seus discípulos a como encarar a ansiedade e serem vitoriosos. É importante adiantar que a vitória que podemos ter sobre as nossas preocupações é resultado da nossa correta perspectiva da vida sob o governo de Deus.

a.    Jesus fala aos seus discípulos como aquele que conhece as suas ansiedades. Ele diz: “não andeis ansiosos pela vossa vida” (Mateus, 6: 25). O desejo dele era que os seus discípulos não deixassem a sua alma ser esmagada pelas preocupações acercas daquilo que todo homem precisa para sobreviver.
i.    Observe que Jesus não leva em consideração as coisas fúteis que poderia atormentar os seus discípulos. Ele não diz, por exemplo, para que não fiquem ansiosos por uma posição social respeitada, ou pelo luxo que desejavam ter em suas casas. Ele trata de coisas fundamentais à vida: a comida, a bebida e as vestes (v. 25). Pois a preocupação pelas futilidades da vida não é um sentimento cristão.

b.    Um dos questionamentos que emudeceu o seu auditório foi: “Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado (45 cm) ao curso de sua vida?” (Mateus, 6:27). Em outras palavras, o que pode produzir em vós as vossas preocupações? Podem elas dar uma vida mais longa? NÃO!. A ansiedade só tende a produzir tormenta e aflição, pois nunca resolverá um problema que ainda não aconteceu. E o epíteto que receberam de Jesus por causa de suas ansiedades foi: “homens de pequena fé” (v. Mateus 6:30)
i.    Jesus exortou em outro momento que “os cuidados desse mundo” sufocam a palavras que cai num coração ansioso (v. Mateus 13:22).

c.    Os gentios eram o povo que não conhecia o Deus de Israel e assim tinha motivos para viver preocupados com a vida. Segundo Jesus: “... os gentios é que procuram todas estas coisas; pois o vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas” (Mateus 6:32). Diferente daqueles que não conhecem o Deus todo-poderoso, os filhos de Deus podem descansar no seu Senhor. Eles sabem que o seu Senhor conhece as suas necessidades mais profundas. Por isso, o apóstolo Pedro nos exorta a lançar sobre Deus as nossas ansiedades (1 Pedro, 5:7); Paulo ordenou aos Filipenses: “Não andeis ansiosos de coisa alguma...” (Filipenses, 4:6).

Diante das palavras de Jesus, gostaria de expor o modo como o cristão vence as suas ansiedades.

I.  O CRISTÃOS VENCE AS SUAS ANSIEDADE JULGANDO CORRETAMENTE AS PRIORIDADES DA VIDA (v. 25b)

1. O juízo de valor que fazemos das coisas da vida são cruciais para vencermos as preocupações. Os discípulos de Jesus deveriam julgar o que era mais importante: a vida ou o alimento; o corpo ou as vestes (v. 25b). Eles precisavam entender que Deus conhece as necessidades dos seus filhos e não deixaria de suprir aquilo que era mais importante.

2. Segundo Jesus o que deve tomar o lugar de maior importância na vida do crente é o reino e a justiça de Deus (Mateus, 6:33). Quando não colocamos o reino e a justiça em primeiro lugar, nossos corações estão sujeitos ao domínio dos cuidados desse mundo. Cuidado estes que afligem a nossa alma com as preocupações que fogem do nosso controle. Todavia, sob o reino de Deus podemos descasar aliviados, pois ele cuida de nós.

3. Infelizmente são muitos os que valorizam demais as coisas dessa vida em detrimento do reino e da justiça de Deus. Se quisermos vencer a ansiedade precisamos reorganizar as nossas prioridades. Não podemos continuar encantados com os bens materiais, com as posições sociais colocando em segundo plano a vontade de Deus para nós.

II. O CRISTÃO VENCE AS SUAS ANSIEDADES CONFIANDO NO CUIDADO DO SEU SENHOR  (vv. 26,28)

1. Jesus ensina por meio de dois seres da natureza como Deus cuida dos seus filhos. O primeiro são as aves dos céus que não se preocupam com o alimento e nem por isso passam fome, pois o Senhor as alimenta (v. 26). Os lírios do campo não vivem tecendo a sua beleza, preocupados se no dia de amanhã terão a mesma beleza que hoje, todavia a cada dia são agraciados com a beleza que lhe é peculiar (v. 28). Ambos são efêmeros, logo passam por essa vida, porém Deus se ocupa com cada um deles, será que não há de se ocupar muito mais com as necessidades dos seus filhos?

2. Deus conhece todas as nossas necessidades. Pela sua provisão podemos descansar na certeza de que ele satisfaz as nossas vidas com as suas bênçãos. Por isso, Jesus nos ensina a entender que Deus o nosso Pai, sabe de que temos necessidades, antes que lhe peçamos (Mateus, 6:8). Do mesmo modo nos deu a segurança diante dos nossos anseios, dizendo: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á” (Mateus, 7:7-8; cf. Filipenses, 4:6).

3. Não nos deixemos vencer pelas preocupações dessa vida. Pois na falta podemos encontrar um Deus que está pronto a nos socorrer. A sua provisão não falha, e tudo faz para que possamos gozar dos seus cuidados. Confiemos no seu cuidado para conosco!

CONCLUSÃO

1.    A ansiedade vive a rondar as nossas vidas. Para vencê-las precisamos priorizar a vontade de Deus, colocando no lugar certo aquilo que é realmente importante. Assim como termos fé no Deus que conhece as nossas necessidades, apresentando a ele nossos anseios e aflições, sabendo que ele não desampara aqueles que o buscam.

2.    Portanto, derrote a ansiedade pela fé no Deus que não te desampara. Amém!


Referências:

BÍBLIA SAGRADA, Português. Tradução de João Ferreira de Almeida. Revista e Atualizada no Brasil. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 1993