quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

ORIGEM DA IGREJA CATÓLICA.



Ao lermos o livro de Atos, verificamos que os discípulos cumprindo determinações do Senhor Jesus Cristo (Atos 01.18), de não se ausentarem de Jerusalém até que do alto fossem revestidos de poder. Tiveram a magna experiência da descida do Espírito Santo, capacitando – os com o poder do alto (Atos 02. 01-13), a partir daquele momento, estava organizada a Igreja Cristã Primitiva, porque fizeram parte da mesma os apóstolos e todo o cristianismo hoje existente.
Essa Igreja originalmente pura, em termos doutrinários mereceu elogios de Paulo {Romanos 01.08}, todavia, como as demais, experimentou problemas doutrinários de várias ordens, bastamos mencionar os grupos heréticos que já permeavam as Igrejas daquela época, que são OS GNÓSTICOS, OS NICOLAITAS, OS JUDAISANTES, sem falar nos diversos grupos pagãos que "convertidos" exerceram forte influência sobre a Igreja e assim, aos poucos, a Igreja de Roma assimilou crenças alheias à Igreja Primitiva admitindo no seu seio membros que não confessavam a conversão. Começou a ensinar a salvação através das obras, do batismo, do batismo infantil etc, chegando até mesmo a aceitar o pagão Imperador Constantino como seu chefe supremo, no ano de 313 d.C. e assim agora associada ao Estado, cheia do Poder Temporal, estabeleceu uma forte aliança, tendo como cabeça o Papa.
OS DESVIOS DA IGREJA CATÓLICA- Esta nada tem a ver com a Igreja Cristã Primitiva. A hierarquia romana passou a ser exercida através do bispo Anacreto, entre 154-165 d.C. , a partir daí , possuidora do poder político-temporal, começou a subjugar as demais Igrejas que a ela se submetiam, porém existiam Igrejas que não permitiam esse domínio, ou seja , não se curvaram diante da toda "Poderosa Igreja Romana", por isso veio uma tremenda perseguição.

DATAS IMPORTANTES

180 d.C -, a Igreja Católica dispensou, como qualificação , para o batismo , a conversão.
197- começou um movimento herético, comandado pelo bispo de Roma, contra a Divindade de Cristo.
370- é quando Basílio de Cesaréia e Gregório de Nazianzo introduzem o culto aos santos.
400- é introduzida na Igreja , a oração pelos mortos e o sinal da cruz.
401- ano em que Maria foi proclamada a MÃE DE DEUS.
440- o bispo Leão I é considerado pelos historiadores como sendo o primeiro Papa.
600- o Papa Gregório I institui a missa e o latim como língua oficial nas missas.
609-começa o papado com poder central.
758-entra no oriente com dogma a confissão de pecados, conhecida como confissão Auricular.
789-neste ano o Concílio de Nicéia introduziu as imagens de escultura e relíquias religiosas.
819-ano da ascensão de Maria, isto é , Maria teria subido ao céu em forma corpórea.
880- ano da canonização
998- por decreto papal é estabelecido o dia de finados.
1000- é estabelecido o cânon da missa.
1074 – ano que o papa Gregório VII proíbe o casamento dos padres e o divórcio entre os casais.
1090 – ano que Pedro o Eremita encaixa o rosário.
1095 – o papa estabelece as indulgências, isto é, paga-se para ser perdoado.
1100 – o papa decreta a missa paga
1100 – o culto aos anjos.
1115 - a confissão auricular passa a ser artigo de fé.
1125 – surge a idéia da Imaculada Conceição de Maria pelos cônegos de Lion.
1186 – neste ano surgiu a maior aberração de toda História , a mal falada " Santa Inquisição", promovida pelo Concílio de Verona na Itália.
1200 – uso obrigatório do rosário , por São Domingos, chefe supremo da já denominada Santa Inquisição.
1215- Quarto Concílio de Latão , estabelecimento do dogma da transubstanciação.
1220 – surge a adoração à hóstia.
1229 – realiza-se o Concílio de Toloza e proíbem a leitura da Bíblia
1264 – foi implantado o Sagrado Coração de Jesus.
1303 –a Igreja Católica declara que somente nela há salvação.
1317- o papa João XXII ordena a oração da Ave Maria.
1414 – ano em que ficou definido que a hóstia seria para o povo e a partir daí o vinho ficou restrito aos sacerdotes.
1439 – ano que por decreto do papa o dogma do purgatório (criado em 696 pelo papa Gregório- O GRANDE) passa a ser artigo de fé.
1546 – o papa mais uma vez deixa a sua Igreja mais distante de Deus , conferindo a tradição a mesma autoridade da Bíblia.
1547 – o Concílio de Trento transforma em lei os setes sacramentos.
1562 – a missa é declarada propiciadora , ou seja , com o poder de perdoar.
1562 – o culto aos santos.
1563 – volta a se reunir o Concílio de Trento e confirma a doutrina do purgatório.
1573 – a Bíblia sofre outro ataque , acrescenta-lhes os livros Deuterocanônicos ou apócrifos , os quais são Tobias , Judite , Macabeus I , Macabeus II, Sabedoria , Eclesiástico e Baruque.
1854 – define-se o dogma da Imaculada Conceição de Maria.
1864 – em concílio realizado no Vaticano faz-se a declaração da autoridade papal sobre toda Igreja.
1870 – o papa torna-se infalível.
1950 – a Igreja transforma em artigo de fé a assunção de Maria.

" MARIOLOGIA" - Estudo sistemático sobre Maria, genitora de Jesus. Este estudo é desenvolvido principalmente pela Igreja Católica. Seu objetivo básico , no romanismo, é a divinização de Maria.
"MARIOLÁTRIA"- Literalmente culto a Maria.
ASSUNCÃO DE MARIA- dogma romano formalizado em 1950 pelo papa PIO XII .Segundo esta doutrina, a mãe de Jesus não morreu, ela foi arrebatada em corpo e alma, datado de primeiro de novembro de 1950.
ADORAÇÃO – o velho testamento faz significativas referências a uma entidade feminina (Semiramis) como rainha do céu segundo a concepção pagã – ler Jeremias 07.18 – " Quem é esta rainha do céu ? , Semiramis , Astarte , Astorete , Ísis , Isthar , Afrodite , Vênus, Diana etc... A imagem dessa última está em Efésios com a sua coroa de torres na cabeça, representava esta mesma mulher , e era adorada como deusa.
"CULTO À MARIA" (JEREMIAS 07.18)- Esse título honorífico de "deusa" romana até outubro de 1954 estava faltando, porém nesta data o mesmo foi inserido para coroar o ano do centenário da proclamação do dogma da Imaculada Conceição , o papa Pio XII instituiu a festa de coroação de Maria como rainha do céu para ser celebrada no dia 31 de maio , chamado o mês de Maria na carta encíclica. O sumo pontífice declara que desde o início o povo tem levado orações, súplicas e hinos de louvor e adoração a rainha do céu. O referido papa , por ocasião da coroação solene de uma imagem da virgem Roma, no dia primeiro de novembro de 1954 salientou que o seu desígnio era que o mundo buscasse remédio , alívio para suas angústias e orientações para as suas vidas. O fato de Maria receber todo o culto que antigamente era atribuído a Semiramis e a deusas correlatas, revela a força da maternidade, então nada melhor do que um símbolo de uma mulher para representar tal poder. O culto à Maria é o culto da virgem mãe filiado ao Paganismo corrente como um seguro a este, vindo das religiões antigas. Prende-se muito ao culto da dulia e hiperdulia , de virgem e de mãe , o seu protótipo, como mãe a temos em Cibele ou Rhea esposa de Saturno, filha do céu e da terra , a mãe dos deuses, a boa deusa , a rainha do céu mitologicamente representada pela própria Cibele . Eles criam que a perpétua virgindade manteria o fogo sagrado acesso. Embora Roma Papal não dê a Maria o título de deusa como fazia Roma Imperial, Maria no entanto tem sido a divindade mais invocada , amada , adorada, da que o próprio Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Muitos papas tem reconhecido em Maria poderes como onipresença , onisciência e onipresença, temos como exemplo o papa Gregório XVI que em 1841 , ensinou que a virgem visitava o purgatório todos os sábados, para livrar dele algumas almas.


AS COISAS QUE EM BREVE HÃO DE ACONTECER (Apocalipse 22.6)
     A Vinda de Jesus será precedida de sinais, como a Apostasia (I Timóteo 4.1-3, Gálatas 5.4, II Timóteo 2.18). Mas o que é Apostasia ? Apostatar é "abandonar, renegar, renunciar." Apostasia é o abandono da fé e da doutrina, só podendo acontecer entre cristãos, pois o mundo não tem do que apostatar. A frieza espiritual, o modernismo teológico, o materialismo filosófico, o conformismo e o desvio espiritual avolumam-se no meio do Cristianismo professo (e.g. A Igreja de Laodicéia, Apocalipse 3.14-18).
     Há no mundo um crescimento assustador das seitas e heresias que, juntamente aos apóstatas, formam o Movimento Ecumênico, sendo este um grande rio que deságua no oceano da Nova Era. A Bíblia fala do dragão, da besta e do falso profeta, que juntos formarão o trio satânico (anti-Deus, anti-Cristo e anti-Espírito Santo). Eles já estão presentes - nas seitas e heresias - e promoverão um incomparável movimento religioso mundial, unindo todos os credos religiosos, formando uma só Igreja Mundial. Farão muitos milagres e maravilhas, que até fogo farão cair e enganarão a muitos (I Timóteo 4.1; II Timóteo 3.13; II João 7; Efésios 4.14; II Tessalonicenses 2.7-12). Esses milagres serão pela eficácia de Satanás, serão poder, sinais e prodígios da mentira (II Tessalonicenses 2.9).
     No Cristianismo, há dois tipos de união:
1) União Cristã Bíblica, da qual somos entusiastas;
2) Fusão de denominações e religiões diversas, sem profissão de fé definida.
     Nessa fusão, tudo será permitido; não é uma Igreja como Jesus quer, e sim, como os homens querem (I Timóteo 4.1-3). É o mundo dentro da Igreja, e a Igreja dentro do mundo, formando uma união ilícita, de onde sairá filhos que, quando Jesus vier dirá que "não os conhece" (Mateus 25.12), pois não são filhos do Espírito, mas de uma união humanista e mundana. O Concílio Mundial de Igrejas, formado em 1948, em Amsterdã, Holanda, está aí à frente do Movimento Ecumênico Mundial, acenando para todos e levando muitos para si. O atual Movimento Carismático também inclina-se em direção a uma Igreja unificada, falando muito de união, sem considerar a sã doutrina bíblica, dando efusão ao fanatismo religioso, nas áreas das línguas estranhas, visões e revelações.
A Bíblia nos ensina que Jesus voltará (João 14.1-3; Apocalipse 3.11; Atos 1.11)
     Esses são alguns sinais que antecedem a volta de Jesus: O crescimento assustador das seitas e heresias (Mateus 24.23-28; Lucas 21.8), a apostasia corrompendo o mundo (II Tessalonicenses 2.1-12), a grande corrupção moral (II Timóteo 3.1-9), a manifestação dos escarnecedores ( II Pedro 3.3- 4, Judas 18), sinais entre as nações, perseguição aos fiéis, falta de amor, escândalos, crueldade entre os homens, o anúncio de um Governo Universal e o mundo preparando-se para recebê-lo, através da Nova Era e, o maior de todos os sinais, a Volta dos Judeus a sua terra!
     Virá o Arrebatamento da Igreja, que compreende a ressureição dos fiéis adormecidos e o rapto dos fiéis vivos, a recepção no Tribunal de Cristo ou as Bodas do Cordeiro, e o dia da ira do Grande Deus ( ou a Grande Tribulação). Mas, como acontecerá ? Num momento ( I Tessalonicenses 4.13-18, I Coríntios 15:51-54); será como um relâmpago (Mateus 24.27); estando dois no campo, um será tomado e outro deixado (Mateus 24.40); estando duas no moinho, uma será tomada, a outra deixada ( Mateus 24.41). Ele virá como um ladrão de noite ( ou seja, sem avisar a ninguém - I Tessalonicenses 5:1; Mateus 24.42-44). A Volta de Jesus se dará em duas fases:
1) Para a Igreja. (Mateus 24.27,36-44);
2) Com a Igreja. (Apocalipse 19.7,8,14).
O Senhor arrrebatará somente os fiéis
     Muitos sabem que Jesus vem, porém o descuido, o amor pelas coisas terrenas, os tem impedido de estarem prontos e por isso ficarão. Quando Jesus nasceu, somente os pastores o viram (estavam preparados para aquele evento - Lucas 2.8-16); quando Jesus ressuscitou, caminhou com seus discípulos durante 40 dias, mas só os seus discípulos o viram (Atos 1.3). A mesma coisa ocorrerá com a Vinda de Jesus: somente os fiéis subirão!
Como ressuscitarão os fiéis ? Em que corpos virão?
     Virão em corpo incorruptível (I Coríntios 15.25-54). Todos, tanto os fiéis adormecidos, como os arrebatados receberão o mesmo corpo, igual ao Corpo de Jesus (Filipenses 3.21). Alguém pode perguntar: Essa ressureição é como as de Lázaro (João 11.35-38), da filha de Jairo (Lucas 8.40-42,49-56) e do filho da viúva de Naim (Lucas 7.11-17)? Essas ressureições feitas por Jesus, foram sinais do seu poder, amor, graça, misericórdia e de sua soberania sobre a morte. Houve nesses casos um reestabelecimento, pois os ressuscitados não foram poupados de morrerem outra vez (João 12.10).
O Tribunal de Cristo
     Será o lugar onde Cristo recepcionará pessoalmente sua Igreja. Alí cada um receberá o seu galardão ou recompensa pelo trabalho prestado ao Senhor aqui na terra (Apocalipse 22.12). Esse tribunal não é para condenar, e sim, para recompensar ( I Coríntios 3.13-15).
Distribuição de Coroas
     A Coroa da Vida (Tiago 1.12; Apocalipse 2.10), Coroa da Justiça (II Timóteo 4.8), Coroa de Glória (I Pedro 5.1-4), o direito de morar em uma Nova Cidade (Hebreus 11.16; Filipenses 3.20; Apocalipse 21.1-7) e também, um Novo Nome (Apocalipse 2.17).
As Bodas do Cordeiro
     Enquanto o Espírito Santo de Deus e a Igreja estiverem no mundo, o mundo possui luz e está preservado de sua total deterioração (Mateus 5.13-14, II Tessalonicenses 2.6,7). A história de Isaque e Rebeca (Gênesis 24) serve de ilustração do encontro do Senhor com a sua Igreja amada. O Espírito Santo (simbolizado em Eliezer) veio até esta terra para levar a Noiva (a Igreja) ao Noivo (o Filho de Deus) - Lucas 22.30, Mateus 10.28, Apocalipse 19.7. O Espírito Santo é a Pessoa prometida pelo Pai (Lucas 24.49, Atos 2.1-13). Desde que aqui chegou, tem ataviado a Noiva com suas jóias (os Dons Espirituais) e permanece com a Igreja, guiando-a através dos caminhos escabrosos deste mundo (João 14.16,17; 15.13,14). Assim como Isaque que, depois que recebeu a sua noiva, levou-a à casa do pai, assim fará também Jesus; depois das núpcias, terminada a Festa dos Galardões, Cristo introduzirá a Igreja à Casa do Pai (Hebreus 2.13; Isaías 53.11). Será uma festa diferente das terrenas, um culto contínuo, com uma grande multidão de anjos de todas as míriades celestiais, patriarcas, apóstolos, profetas e todos que participaram da 1ª ressureição (Mateus 8.1;22.1-4;Lucas 14.15-24), juntamente com a Igreja, como esposa (II Coríntios 11.2), com os seus trajes característicos, adornada com o seu vestido de linho puro e resplandecente (Apocalipse 19.8). O Noivo Celestial deseja ver a sua Noiva irrepreensível, bem pronta e sem mácula.
A Chegada da Igreja
     João, o Apóstolo, testemunhou em visão a chegada da Igreja nas mansões celestiais, para a comemoração das Bodas. Ao penetrar nos umbrais celestiais, houve uma verdadeira proclamação de júbilo feita pelos habitantes do Céu, em homenagem à Noiva. Foi entoado um maravilhoso hino que bem expressa o contentamento que havia entre os santos anjos e todas as míriades celestiais, pela presença da Igreja. O hino tinha a seguinte letra: "Regozijemo- nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória, porque vindas são as Bodas do Cordeiro, e sua Esposa já se aprontou (Apocalipse 19.7)." Com o mesmo gesto de adoração, os remidos irrompem em um hino de louvor ao Cordeiro de Deus, com a seguinte letra: "Digno és de tomar o Livro, e abrir os seus selos, porque fostes morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação; (Apocalipse 5.9)"
A Igreja Glorificada
     Aqui temos representados os santos do Antigo e do Novo Testamentos, que juntos, perante o Trono do Cordeiro, integram um culto em que tomam parte, os fiéis adormecidos, que ressuscitaram, e os vivos que foram arrebatados, juntamente com todos os seres celestiais. Trata-se aqui da Igreja Glorificada após o seu arrebatamento.
A Grande Tribulação
     A Grande Tribulação será um período de aflição sem paralelo, que sobrevirá ao mundo após o Arrebatamento da Igreja. Não há palavras que possam descrever os horrores do sofrimento nesse período. (Apocalipse 7.14)
A Volta Pessoal de Jesus em Glória
     É a última fase da sua volta, sendo a primeira, o Arrebatamento da Igreja. No Arrebatamento, Jesus virá para os seus santos. Na sua volta em glória, Ele virá com os seus santos para livrar Israel, julgar as nações e estabelecer o Milênio.
O Milênio
O Milênio será o reinado de Cristo na terra, com os santos, durante mil anos, nos quais Satanás estará preso. Será um período de preparação para o Estado Eterno. (Apocalipse 20.1-6)
O Juízo Final
     O Juízo Final seguir-se-á ao Milênio, ocasião em que todos os homens e mulheres, quer mortos, quer vivos, comparecerão para serem julgados segundo as suas obras. (Apocalipse 20.11-15)
O Estado Eterno
     Aqui temos um quadro mostrando como serão todas as coisas depois que o pecado for banido do universo, juntamente com os ímpios e o diabo. Isto é, um quadro da terra e de seus ocupantes, quando Deus fizer novas, todas as coisas (Apocalipse 21) como eram no princípio (Gênesis 1.1-3)

 


OS IRMÃOS DE JESUS
     OBS: Estudo baseado em Bíblias de Edições Católicas.
     A palavra Irmão (homem ou mulher) significa "descendente do mesmo pai ou mãe".
     Em Marcos 6.3 diz : "não é Ele o carpinteiro, o filho de Maria, o irmão de Tiago, de José, de Judas e de Simão ? Não vivem aqui entre nós suas irmãs? E ficaram perplexos a seu respeito". (BÍBLIA CATÓLICA, EDITORA AVE MARIA)
     Em Mateus 13.55-56 diz : "não é Ele o filho do carpinteiro? Não se chama sua mãe Maria e seus irmãos Tiago, e José, Judas e Simão ? Suas irmãs não estão todas entre nós?" (BÍBLIA CATÓLICA, EDITORA VOZES)
     Em Mateus 12.46,47 diz : "Jesus ainda falava à multidão, quando veio sua mãe e seus irmãos, e esperavam do lado de fora a ocasião de lhe falar. Disse-lhe alguém: "Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar-te". (BÍBLIA CATÓLICA, EDITORA AVE MARIA)
     Em Lucas 8.19,20 diz : " E foram ter com Ele, sua mãe e seus irmãos e não podiam aproximar-se d'Ele por causa da multidão, e foram dizer-lhe: "Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem ver-te." (BÍBLIA CATÓLICA, EDIÇÕES PAULINAS, PADRE MATOS SOARES)
     Em I Coríntios 9.5 diz : " Acaso não temos nós direito de deixar que nos acompanhe uma mulher irmã a exemplo dos outros apóstolos e dos irmãos do Senhor e de Cefas?" Este trecho fala dos irmãos do Senhor, de suas esposas, de Pedro e de sua esposa. (Mateus 8.14-15)(BÍBLIA CATÓLICA, EDITORA AVE MARIA)
     Em Gálatas 1.19 diz: "E dos outros apóstolos não vi a nenhum, senão a Tiago, irmão do Senhor." (BÍBLIA CATÓLICA, TRADUÇÃO DA VULGATA PELO PADRE ANTONIO PEREIRA DE FIGUEIREDO)
     Ensina-se por aí que Tiago, José, Judas e Simão são primos de Jesus. A Escritura é explícita, irmão é irmão, primo é primo, parente é parente. Vejamos alguns exemplos:
     Em Colossenses 4.10 diz : " Saúdo-vos Aristarco, meu companheiro de prisão e Marcos, primo de Barnabé, sobre o qual recebestes recomendações; se ele for ter convosco, recebei-o". (BÍBLIA CATÓLICA, EDIÇÕES PAULINAS, PADRE MATOS SOARES)
     Em Lucas 1.36 diz: "Eis que Isabel, tua parenta, também ela concebeu um filho em sua velhice e este é o sexto mês daquela que é considerada estéril."(BÍBLIA CATÓLICA, EDITORA VOZES)
     Jesus era irmão de Tiago, José, Judas e Simão por parte de mãe, pois Jesus, o Filho de Deus, nasceu por obra e graça do Espírito Santo, por isso José não tocou Maria ou a conheceu até Jesus nascer, normal, como outra criança qualquer. Maria era virgem até o parto, não depois, por ser uma senhora casada.Em Mateus 1.25 diz: "E ele não a conheceu, enquanto ela não pariu (ou deu à luz) ao seu primogênito e lhe pôs por nome Jesus".(BÍBLIA CATÓLICA, TRADUÇÃO DA VULGATA PELO PADRE ANTONIO PEREIRA DE FIGUEIREDO)
     Com o nascimento de Jesus, cumpriu-se inúmeras profecias bíblicas. Em Isaías 7.14 diz: "Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal. Uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel (Deus Conosco)". (BÍBLIA CATÓLICA, EDITORA AVE MARIA)
     Maria achou graça diante de Deus, pela sua humildade, por ser da descendência de Davi. Pela sua fé, Maria foi a bem- aventurada entre as mulheres por ter sido a escolhida para ser a Mãe do Salvador do Mundo. Só que, a sua bem-aventurança não lhe dá o direito, a autoridade, ou o poder de salvar alguém, pois só Jesus pode salvar, pelo valor de sua morte, pelo Poder do seu Sangue. Em I Timóteo 2.5 diz: " Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, que é Jesus Cristo homem."(BÍBLIA CATÓLICA, EDIÇÕES PAULINAS, PADRE MATOS SOARES)
     Em Atos 4.11,12 diz: "Este Jesus é a pedra rejeitada por vós, construtores, mas que veio para ser a pedra principal. Em nenhum outro há salvação, pois nenhum outro Nome foi dado sob o céu aos homens, por quem possamos ser salvos". (BÍBLIA CATÓLICA, EDITORA VOZES)
     Vejamos ainda Lucas 11.27,28 : " E aconteceu que, enquanto Ele dizia estas palavras, uma mulher, levantando a voz do meio da multidão, disse-lhe: "Bem-aventurado o ventre que te trouxe, e os peitos a que foste amamentado". Mas Ele disse: "Antes bem-aventurados aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática". (BÍBLIA CATÓLICA, EDIÇÕES PAULINAS, PADRE MATOS SOARES)
     Ainda há dúvidas ? Em João 2.3,4 diz : " Faltando o vinho, a mãe de Jesus disse-lhe: "Não tem mais vinho", e Jesus disse- lhe: "Mulher, que nos importa a mim ou a ti isso? Ainda não chegou a minha hora". Disse sua mãe aos que o serviam: "FAZEI TUDO QUANTO ELE VOS DISSER" (BÍBLIA CATÓLICA, EDIÇÕES PAULINAS, PADRE MATOS SOARES)

 


BREVE HISTÓRIA DA ADORAÇÃO
O ser humano adora a Deus desde o início da História (Prova da assistência de Deus). Adão e Eva tinham comunhão regular com Deus no jardim do Éden - Gênesis 03.08.
FORMAS DE ADORAÇÃO
Caim e Abel trouxeram a Deus oferendas, tributo ou dádivas. Produtos do campo e animais. Noé construiu um altar ao Senhor para oferecer –lhe holocausto depois do dilúvio- Gênesis 08:20. Abraão assinalou a paisagem da terra prometida com altares para oferecer holocaustos ao Senhor- Gênesis 12:07e08. Pois somente depois do êxodo , quando o tabernáculo foi construído , é que a adoração tornou-se formal, a partir de então sacrifícios regulares passaram a ser oferecidos diariamente, uma vez que o tabernáculo representava : a porta, o altar do holocausto, o lavatório, a mesa dos pães, o candelabro de ouro, o altar do incenso, o lugar santíssimo , no qual estava a arca da aliança e o véu . Representando também a forma como Jesus se entregou, pois a morte de Cristo foi pré- determinada, a morte de Cristo foi voluntária, a morte de Cristo foi vicária , a morte de Cristo foi sacrificial, a morte de Cristo expiatória , a morte de Cristo foi propiciatória, a morte de Cristo foi redentora. Até que o templo foi construído e centralizado o culto em Jerusalém.
DOIS PRINCÍPIOS CHAVES
A verdadeira adoração é a que é prestada em espírito e em verdade – João 04: 23; esta adoração deve ser oferecida à altura da revelação que Deus faz de si mesmo quando deu seu filho. Esta adoração envolve não só a mente mas todo o ser , ou seja, espírito , alma e corpo.
O LOUVOR A DEUS
O primeiro cântico na Bíblia, entoado depois que os israelitas atravessaram o mar vermelho, foi em síntese, um hino de louvor e ação de graças a Deus- Êxodo 15:01à19. O cântico de Débora , por sua vez, congregou o povo para louvar ao Senhor- Juízes 05:09. A disposição de Davi em louvar a Deus está gravada, tanto na História da sua vida (II Samuel 22:01 à 04, ); como nos salmos que escreveu em número de 78. Os profetas do Antigo Testamento nos convida a louvarmos a Deus- Ísaias 42:10e12; Jeremias 20:13; Salmos 12:01; Joel 2:26 ; Habacuque 03:03. O chamado para louvar a Deus também ecoa por todo o Novo Testamento, o próprio Jesus louvou a Deus- Mateus 11:25 e Marcos 14:26. O quadro vislumbrado no apocalipse é de grande multidão de anjos e santos louvando a Deus continuamente- Apocalipse 07:09 à12 e Apocalipse 11:16 à 18. O louvor a Deus é uma das atribuições dos anjos - Salmos 103:20 e Salmos 148:02, sendo um grande privilégio dos seres humanos poderem louvar a Deus. Deus conclama a natureza inanimada a louvá-lo , como por exemplo o sol , a lua e as estrelas- Salmos 148:03 e 04 e Salmos 19:01 e 02; os raios, o graniso, a neve, o vento , as montanhas, as colinas, os rios e mares , as árvores e todos os vivos- Salmos 148:9 , Salmos 55:12 e Salmos 69:34.
CÂNTICOS DE ADORAÇÃO
Moisés , depois da memorável passagem pelas águas do mar vermelho- Êxodo 15:01 à 19. Cântico de Moisés depois de beberem muita água- Números 21:17. Cântico de Débora depois da batalha vencida - Juízes 05. Cântico de Ana depois de receber o seu filho - I Samuel 02. Cântico de Davi depois de vencer 4 vezes os filisteus- II Samuel 22. Cântico de Maria depois de receber de Deus o privilégio de ser mãe do Salvador do mundo - Lucas 01:46 à48. Cântico de Zacarias depois de ser pai do precursor do Messias- Lucas 01:67 à 80. Cântico dos anjos depois de constatar as profecias cumpridas- Lucas 02:13 à 19. Cântico de Simeão depois de ver o desejado de todas as nações- Lucas 02:25 à 32. Cânticos de Paulo e Silas - Atos 16:25 Cântico dos remidos depois de ver o Cordeiro que foi morto , mas que está vivo e bem vivo e tem as chaves da morte e do inferno para abrir o livro e desatar os seus sete selos - Apocalipse 5: 8 à 14. Cântico de Moisés e do Cordeiro depois de uma grande ceifa na terra - Apocalipse 15:03.
O CÂNTICO DA IGREJA AREBATADA
João , o apóstolo, viu a chegada da Igreja nas mansões celestiais para a comemoração das bodas. Ao penetrar nos umbrais celestiais houve uma verdadeira proclamação de júbilo feita pelos habitantes do céu, em homenagem à noiva; foi entoado um maravilhoso hino que bem expressa o contentamento que havia entre os santos anjos e todas as miríades celestiais, pela presença da Igreja. O hino tinha a seguinte letra: " Regozijemo-nos, e alegremo-nos , e demostremo-lhe glória, porque vindas são as bodas do cordeiro, e já sua esposa se aprontou" (Apocalipse 19: 07), e com o mesmo gesto de adoração, os remidos irrompem em um hino de louvor ao Cordeiro de Deus, com a seguinte letra: "Digno és, de tomar o livro, e abrir os seus sete selos, porque fostes morto, e com o teu sangue comprastes para Deus, homens de toda tribo, língua e nação (Apocalipse 05:09)
 


A Semana da Paixão de Cristo
1. CHEGADA A BETÂNIA
SEXTA-FEIRA
João 12.1

Jesus chegou a Betânia seis dias antes da Páscoa, para passar algum tempo com seus amigos, Maria, Marta e Lázaro. Aqui, Maria, num gesto de humanidade, ungiu os pés de Jesus com um precioso perfume. Esta atitude carinhosa indica a devoção de Maria por Ele e sua disposição em servi-lo.

2. DIA DE REPOUSO
SÁBADO
Não mencionado nos Evangelhos

Como era dia de repouso, o Senhor passou todo o tempo com seus amigos, como era o costume.

3. A ENTRADA TRIUNFAL
DOMINGO
Mat. 21.1-11; Mc 11.1-11; Lc 19.28-44; Jo 12.12-19.

No primeiro dia da semana, Jesus entrou em Jerusalém montado num jumentinho, cumprindo-se, assim, uma antiga profecia (Zac 9.9). A multidão o saudava, gritando: "Hosana!" e as palavras de Salmos 118.25,26. Atribuía-lhe, desta forma, um título messiânico, como enviado do Senhor, o Rei de Israel.

4. PURIFICAÇÃO DO TEMPLO
SEGUNDA-FEIRA
Mt 21.10-17; Mc 11.15-18; Lc 19.45-48

Neste dia Ele voltou ao Templo e encontrou o átrio dos gentios cheio de mercadores e cambistas que levavam vantagem na troca de moeda judia por "moedas pagãs". Jesus expulsou-os do templo e virou suas mesas.

5. DIA DE PARÁBOLAS
TERÇA-FEIRA
Mt 21.23,24; Mc 11.27; 13.37; Lc 20.1-21.36

Em Jerusalém, Jesus escapa das ciladas teológicas armadas pelos sacerdotes. No monte das Oliveiras, e contemplando Jerusalém, ensinou e advertiu aos seus ouvintes, por meio de parábolas, contra os fariseus. Predisse a destruição do grande templo de Herodes, e falou aos seus discípulos acerca dos acontecimentos futuros, inclusive sua segunda vinda.

6. DIA DE REPOUSO
QUARTA-FEIRA
Não mencionado nos Evangelhos

As Escrituras não mencionam esta quarta-feira, porém a contagem dos dias (Mc 14.1; Jo 12.1) parece indicar um outro dia a respeito do qual os evangelhos nada registram.

7. A ÚLTIMA CEIA
QUINTA-FEIRA
Mt 26.17-30; Mc 14.12-26; Lc 22.7-23; Jo 13.1-30

Num aposento de primeiro andar Jesus preparou a si mesmo e aos seus discípulos para a sua morte. Ele deu à ceia pascal um novo significado. O pedaço de pão e o cálice de vinho representavam o seu corpo a ser sacrificado e o seu sangue, que muito em breve se derramaria. Instituiu, assim, a Ceia do Senhor. Depois de cantar um hino, saíram Ele e seus discípulos ao horto do Getsêmani, onde Jesus orou em agonia, ciente do que estava por suceder.

8. CRUCIFICAÇÃO
SEXTA-FEIRA
Mt 27.1-66; Mc 15.1-47; Lc 22.66-23.56; Jo 18.28-19.37

Depois da traição, da prisão, da deserção, dos falsos testemunhos, da condenação, dos açoites e zombarias, exigiram que Jesus carregasse a cruz até o lugar chamado Caveira, onde o crucificaram com outros presos.

9. SEPULTAMENTO
SÁBADO
Mt 27.57-61; Mc 15.42-47; Lc 23.50-56; Jo 19.38-42

O corpo de Jesus foi colocado no sepulcro antes das seis da tarde de sexta-feira, quando começava o dia de repouso e cessava todo trabalho, e ali permaneceu todo o sábado.

10. RESSUREIÇÃO
DOMINGO
Mt 28.1-13; Mc 16.1-20; Lc 24.1-49; Jo 20.1-31

Cedo pela manhã, as mulheres foram ao sepulcro, e encontraram removida a pedra que fechava a entrada. Um anjo informou-lhes que Jesus estava vivo, e entregou-lhes uma mensagem. Jesus apareceu a Maria Madalena, a Pedro a dois discípulos no caminho de Emaús e, mais tarde, no mesmo dia, a todos os discípulos, exceto Tomé. Deste modo estabeleceu-se o fato histórico da ressureição.