terça-feira, 24 de julho de 2012

A PLENITUDE DOS TEMPOS !!!




Gálatas 4:4

Podemos compreender melhor esta preparação do mundo para o advento do cristianismo, considerando, primeiramente, a contribuição de três grandes povos.

ROMANOS
 
 A) Unidade dos povos
 Os romanos, como nenhum outro povo até então, desenvolveram um sentido da unidade da espécie sob uma lei universal .  Quando o Cristianismo surgiu e durante os primeiros séculos de sua existência, os romanos eram os senhores do mundo.  Não era somente pela força que os romanos dominavam todas essas regiões; eles as governavam efetiva e inteligentemente.  Com o seu império, os romanos se tornaram os mais úteis instrumentos de Deus no preparo do mundo para o advento do Cristianismo.  Com o império romano, os  povos se unificaram, no sentido em que todos os governos tinham sido derrubados e um poder único dominava em toda a parte. Para o Cristianismo a preparação mais valiosa foi a unificação de todos os povos sob o poder político de Roma.

B) Paz universal
      As guerras entre as nações tornaram-se quase impossíveis sob o governo desse poderoso império.
C) O Progresso
       
A movimentação livre em torno do mundo mediterrâneo teria sido mais difícil para os mensageiros do Evangelho antes de César Augusto (27 a.C. - 14 d.C). Os romanos criaram um ótimo sistema de estradas que iam a todas as regiões do Império.     A administração romana tornou fáceis e seguras as viagens e comunicações entre as diferentes partes do mundo. Os piratas, que estorvavam a navegação, foram varridos dos mares. Teria sido impossível ao apóstolo Paulo realizar sua carreira missionária sem essa liberdade e facilidade de trânsito possibilitadas pelo império romano.
D) Organização
     O papel do exército romano no desenvolvimento do ideal de uma organização   universal e na propagação do Evangelho não pode ser ignorado. Os romanos adotavam a prática de usar  habitantes das províncias no exército como forma de suprir a falta de cidadãos romanos atingidos pelas guerras e pelo conforto da vida


E)  Vazio espiritual

       As conquistas romanas levaram muitos povos à falta de fé em seus deuses, uma vez que eles não foram capazes de protegê-los dos romanos. Tais povos foram deixados num vácuo espiritual que não estava sendo satisfeito pelas religiões de então.  Quando muitos descobriram que os sacrifícios de sangue dessas religiões nada podiam fazer por eles, foram guiados pelo Espírito Santo a aceitar a realidade oferecida a eles no Cristianismo.

A CONTRIBUIÇÃO DOS GREGOS
   Tão poderosa foi a influência dos gregos que denominamos greco-romano este mundo antigo.        A cidade de Roma pode ser identificada com o ambiente político do cristianismo, mas foi Atenas que ajudou a criar um ambiente intelectual propício à propagação do Evangelho.
A) Os filósofos gregos incentivaram as atividades intelectuais
Por muitos séculos antes da era cristã os gregos eram detentores da vida intelectual mais vigorosa, mais desenvolvida no mundo. Do sexto ao terceiro século antes de Cristo, um grande movimento intelectual sobre assuntos filosóficos e teológicos ocorreu entre os gregos.


B) A influência dos gregos leva outros povos a pensar
 A curiosidade intelectual e esta prontidão de raciocínio prevaleciam nos centros principais do mundo greco-romano
C) Os gregos espalharam uma lingua universal
O Evangelho universal precisava de uma língua universal para poder exercer um impacto real sobre o mundo.

D) Contribuição da filosofia grega
O cristianismo, com sua oferta de um relacionamento pessoal, forneceu aquilo para o que a cultura grega, em função de sua própria inadequação, tinha produzido muitos corações famintos.
A CONTRIBUIÇÃO DOS JUDEUS

O Judaísmo pode ser considerado como o botão do qual a rosa do cristianismo abriu-se em flor.
Os judeus  foram os mordomos da verdadeira religião Rreceberam
uma revelação especial (progressiva) a respeito do próprio Deus e da Sua vontade
 Preservaram tais ensinos na sua pureza e integridade. Característicos essenciais eram dois: a mais alta concepção de Deus conhecida entre os homens. O mais alto ideal de vida moral que se conhecia resultante dessa sublime concepção de Deus.  Jerusalém tornou-se o símbolo de uma preparação religiosa positiva para a vinda do cristianismo
a) MONOTEÍSMO
O Judaísmo contrastava flagrantemente com a maioria das religiões pagãs, ao fundamentar-se num sólido monoteísmo espiritual.  

b) OS JUDEUS AGUARDAVAM A VINDA DE UM SALVADOR
Os judeus se constituíram uma raça que aguardava o que o Cristianismo oferecia: um Salvador divino.

c)SISTEMA ÉTICO
Na parte moral da lei judaica, o judaísmo também ofereceu ao mundo o mais puro sistema ético de então.
d) OS JUDEUS DERAM AO CRISTIANISMO O V.T
O povo judeu, ademais, preparou o caminho para a vinda do cristianismo ao deixar à Igreja em formação um livro sagrado, o Velho Testamento, que foi por eles entesourado    como um relato da manifestação do próprio Deus na sua vida nacional.

e) DISPERSÃO
Trata-se dos judeus que foram espalhados em virtude dos cativeiros que sofreram.

Em qualquer parte onde estivessem, conservavam a sua religião e mantinham as suas sinagogas.
f) AS SINAGOGAS
Nascida da necessidade decorrente da ausência dos judeus do templo de Jerusalém durante o cativeiro babilônico, a sinagoga se tornou parte integrante da vida judaica.
Em nenhum outro lugar na história do mundo antes da vinda de Cristo houve uma região tão grande sob uma mesma lei e um mesmo governo.

O AVANÇO DO CRISTIANISMO NO PRIMEIRO SÉCULO

1- Jesus funda a sua Igreja

Objetivo: Propagar o Reino de Deus

 - Deixou a Igreja livre para escolher as formas de organização e de culto

-Apenas 2 ritos simples: o batismo e a ceia

A IGREJA APOSTÓLICA (ATÉ 100 A.D)

1- O Começo
- Quando Jesus chamou Seus primeiros discípulos
- Pentecostes
- Tornaram-se testemunhas intrépidas

2- A EXTENSÃO DA IGREJA

Nos primeiros anos as missões cristãs eram limitadas aos judeus.

A FUNDAÇÃO DA IGREJA EM JERUSALÉM

- Foi o principal centro de inimizade contra Cristo
- Manteve uma posição de liderança na comunidade cristã
Função do Espírito Santo na Igreja

- Capacitador e Guia

- Agente da Trindade na mediação da obra de redenção dos homens

-Pedro profere o sermão mais fecundo

- O crescimento foi rápido

-Crescimento e Perseguição

Autoridades reúnem forças para combater o Cristianismo: Sinédrio e Estado

- O Cristianismo tem seu primeiro mártir

- A perseguição que se seguiu foi mais dura e a Igreja sai para levar a mensagem a outras partes do mundo
O Cristianismo promove grande mudança social

- importância das mulheres
- Diáconos
- Liberdade para liderança espiritual
-Multiplicação de ofícios e oficiais
-Emancipação espiritual das Igrejas gentílicas
Centralização da liderança espiritual em Antioquia

A IGREJA NA PALESTINA

O cristianismo foi levado aos povos de outras raças. O verdadeiro cristianismo sempre tem sido de orientação missionária.
-
Filipe em Samaria (At. 8:5-25)
-Filipe e o Eunuco
-Pedro e Cornélio

O PRIMEIRO SÉCULO DO CRISTIANISMO

- O Cristianismo se espalha
Paulo foi naturalmente o missionário que mais contribuiu para esse resultado

Cada crente era um missionário ansioso por oferecer a alegria de que gozava em Cristo

A Vida da Igreja

Naquele tempo uma igreja cristã era comumente um pequeno grupo de crentes vivendo numa grande comunidade
pagã

A Igreja primitiva não tinha uma organização de benemerência para ajudar aos pobres e doentes. Cada igreja tomava sobre si esta responsabilidade

As coletas e a administração dos fundos de caridade constituíam uma das partes mais importantes da vida dessas igrejas primitivas.

Dentro da Igreja todas as distinções foram abolidas

Distinguiam-se também os cristãos por um fervor e pureza moral jamais conhecidos em qualquer parte

Esses característicos dos cristãos primitivos constituíam uma poderosa recomendação para o Cristianismo, promovendo o seu desenvolvimento.

- A Igreja primitiva insistia na separação das práticas pagãs da sociedade romana, mas não insistia na separação dos vizinhos pagãos em relações sociais que não fossem prejudiciais

- Estes princípios proibiam a frequência a teatros, estádios, jogos ou templos pagãos.


-
Eles eram excelentes cidadãos, desde que não fossem incitados a violar os preceitos de Deus, a maior autoridade a quem deviam obediência absoluta.