terça-feira, 9 de outubro de 2012

O DIVÓRCIO - Em Mateus capitulo 19: 3-9






O DIVÓRCIO

Em Mateus capitulo 19: 3-9

Está escrito que em certo momento os fariseus se aproximam de Jesus com uma questão para ser resolvida, entretanto o objetivo dos fariseus era experimentar a Jesus. Eles perguntaram a Jesus se era licito se divorciar por qualquer motivo; na ocasião Jesus explica que o casamento foi gerado para permanecer até a morte, ou seja, o casamento é uma instituição indissolúvel, note isto na seguinte afirmação de Jesus, contida nos versículos 4, 5, 6

Então, respondeu ele: não tendes lido que o criador desde o princípio os fez homem e mulher.

E disse: por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Portanto o que Deus uniu não separe o homem.

Todavia esta resposta dada por Jesus suscitou uma replicação por parte dos fariseus, pois nos versículos sucessivos está escrito o seguinte.

Replicaram-lhe: porque então, mandou Moisés da carta de divórcio e repudiar? 

Jesus responde com bastante clareza explicando a origem do divórcio, e porque o divórcio foi permitido em Israel. Respondeu-lhes Jesus: por causa da dureza do vosso coração é que Moisés vos permitiu repudiar vossa mulher; entretanto não foi assim desde o princípio.

Eu, porém vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de (PORNEIA) e casar com outra comete adultério, e o que casar com a repudiada comete adultério.

A ORIGEM DO DIVÓRCIO

O divórcio de fato resulta da dureza do coração do homem, Mateus 19:8 quando Jesus explica o motivo pelo qual Moisés autorizou o divórcio, Jesus enfatizar o endurecimento do coração de algumas pessoas.

Pois bem na época em que o legislador Moisés, estava com a incumbência de orientar o povo nos estatutos de Deus; estava ocorrendo de maneira descontrolada separações entre casais por quaisquer motivos.

É por isso que Moisés resolve estabelecer certos critérios a cerca de motivos pelo qual se poderiam divorciar-se, as instruções escritas por Moisés no capitulo 24:1-4 de deuteronômio, foram instruções dadas por Deus para regularizar o divórcio no Israel antigo.

Observe o seguinte nesses versículos: o termo coisa feia provavelmente se referia a certa conduta vergonhosa e imoral, por exemplo: quando uma moça casava sem ser virgem, isso era muito vergonhoso, e às vezes o marido endurecia o coração para com sua esposa, por lembra que se casou com uma mulher que não era virgem, e também alguns homens após estarem casados descobriam que suas mulheres eram estéril, e com isso resolviam se divorciar de tal mulher. Porém estas vergonhas não eram tão graves quanto o adultério. Certamente não se tratava de adultério, pois a penalidade deste era a morte, e não o divórcio (Dt 22:22, Lv 20:10 ) o escrito de repúdio era um documento legal entregue à mulher, para protegê-la e liberá-la de todas as obrigações para com seu ex-marido. Depois de receber o escrito de divórcio, a mulher estava livre para casar-se novamente. Nunca poderia porém, voltar para seu primeiro marido, se o segundo casamento se dissolvesse.

A INICIATIVA DE DIVORCIAR-SE

É preciso ser mencionado o comportamento cultural de Israel em relação à iniciativa de casar e divorciar.

Tanto a iniciativa de casar como a de divorciar-se, iniciava da parte do homem; era o homem que solicitava o casamento e também era o homem que solicitava o divórcio. No contrato de casamento havia uma espécie de tradição de garantia de financias, ou seja, quando um homem queria se casar com alguma moça, ele deveria ter condições suficiente para cobrir o dote exigido pelo pai da moça, e ter condições suficiente para sustentá-la o resto da vida, e também nos contratos sempre constava que o marido deveria respeitar a esposa e amá-la, se houvesse em algum momento agressão do marido para com a esposa, leia Gn 31:49, 50, ou houvesse algumas ações que ele praticava que estava em desacordo com o contrato de casamento, exemplo: se ele resolvesse praticar sodomia com ela, ou tivesse outras mulheres, ou desce sua esposa para outro homem e.t.c, ela deveria comunicar aos familiares tudo o que estava acontecendo, e os familiares iriam ter uma conversar com o marido dela para saber se tudo era conforme ela tinha dito, caso fosse verdade, haveria um julgamento sobre o caso e a família solicitaria o divórcio diante das autoridades jurídicas daquela época, entretanto era raro isso ocorrer, pois na maioria das vezes o marido era bem aconselhado e mudava seu comportamento para com sua esposa, caso contrário a relação deles resultaria em divórcio

O ADULTÉRIO

O adultério é uma ação pecaminosa de alta gravidade; e era uma pratica cotidiana entre diversas nações, entretanto quando Deus resolveu estabelecer um mandamento contra o adultério Êxodo 20:14, e determinou a penalidade de morte para os adúlteros, e a morte era realizada à pedradas. Deuteronômio 22:22 e Levítico 20:10, então quando um dos cônjuges era surpreendido em flagrante adulterando, ele era culpados e em seguida morto a pedrada, somente assim a honra do cônjuge ofendido era preservada, e ele se tornava viúvo, e ficava livre para casar-se novamente

A VIRGEM

As leis acerca da castidade das virgens em Israel eram bem justas, e deveriam ser aplicada, caso houvesse violações de castidades.

Por exemplo, em Deuteronômio 22:13, 14, 20, 21 é dito que quando um homem se casava com uma mulher, e ela afirmava ser virgem, porém não era, e mentiu, a mesma seria morta a pedrada por ter violado a castidade e ter mentido afirmando ser virgem

O DIVÓRCIO NA ATUALIDADE

Entre as igrejas da atualidade, há diversas teses acerca do divórcio, e todas foram geradas da mesma raiz de interpretações de leis, já na época de Jesus havia duas escolas de ensinamentos teológicos, que discutiam de maneiras antagônicas acerca de quando era possível ocorrer o divórcio, é por isso que os fariseus que eram da tese de que se podia divorciar por quaisquer motivos, indagaram a Jesus com a seguinte questão.

Por que então, mandou Moisés da carta de divorcio e repudiar? Os fariseus de fato por diversas vezes meditaram nesta afirmação acerca do divórcio, que fora escrita por Moisés, e eles já tinham uma interpretação acerca do divórcio, todavia nesta ocasião o objetivo dos fariseus não era conhecer a verdadeira interpretação, e sim experimentar a Jesus, para ver se o apanhava em algum erro doutrinário.

Observe o que Jesus disse:

Eu, porém vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de PORNEIA e casar com outra comete adultério, e o que casar com a repudiada comete adultério.

Para se entender corretamente o que Jesus disse neste versículo acima, é preciso saber o que significa o termo PORNEIA do grego, pois Jesus afirmou que somente poderia haver o divórcio caso ocorresse PORNEIA por parte de um dos cônjuges.

Há diversas interpretações errôneas deste versículo devido os interpretes não compreenderem corretamente o termo PORNEIA, e muitas traduções interpretam erroneamente o termo PORNEIA.

Vejamos o que significa de fato o termo PORNEIA e, porque Jesus afirmou que o divórcio só pode ocorrer caso houvesse a pratica da PORNEIA por parte de um dos cônjuges.

Por exemplo, em nosso idioma a palavra PORNOGRAFIA é oriunda de PORNEIA do grego, entretanto o termo grego PORNEIA, tem uma série de significado no grego, todavia PORNEIA se ressume em, (relações ilícitas e explorativas do próprio corpo, ou de outro corpo humano.) 

veja a seguir alguns significados.

.homossexual.......................Levitico 22:19 e 18:23

.homicídio.............................Êxodo 20:13 e 21:14 

.sexo com animais................Êxodo 22:19 e Lv 18:23

.adultério..............................Êxodo 20:14 e Lv 20:10

.estupro................................ter relação a força

.incesto................................relação entre parentes

.aborto proposital............ ......Matar um feto

.sodomia..............................relação anal, dentro ou fora do casamento

.incontinência forçada............Marido não querer mais ter relação sexual, ou vice-versa

.meretrício.............................prostitutas, aluguel do corpo 

.Fornicação........................... Relação sexual sem ser casados

.pedofilia............................... Abuso sexual de crianças

.lesbianismo...........................relação sexual entre mulheres

.agressão física

E.T.C

A maioria dessas relações eram penalizadas com a morte do praticante, caso ele fosse pego em flagrante.

A INTERPRETAÇÃO

Eu, porém vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de (adultério) e casar com outra comete adultério, e o que casar com a repudiada comete adultério.

Preste bem atenção na palavra que está em (parênteses), diversas traduções empregam a palavra adultério, para afirmar que Jesus disse que o único motivo pelo qual poderia haver divórcio, era se ocorresse adultério, por parte de um dos cônjuges, entretanto não é coerente colocar a palavra adultério na afirmação dita por Jesus, pois nos levará a diversos questionamentos doutrinários.

Por exemplo, se Jesus tivesse dito especificamente que o divórcio só pode ocorrer, em caso somente de adultério; ele estaria entrando em contradição, pois a pergunta dos fariseus era relacionada ao divórcio.

Os fariseus queriam saber quais seriam os motivos apropriados que desse direito ao divórcio, e Jesus afirmou os motivos deveriam ser somente em caso de PORNEIA, pois a pergunta não era relacionada ao adultério, porque os fariseus já conheciam muito bem o que ocorreria com alguém caso adulterasse, na lei constava de maneira bem clara, que tal indivíduo seria apedrejado, Lv 20:10. 

Em joão 8:3-5 está estampado que os fariseus conheciam a penalidade para o adultério.

E também se Jesus tivesse afirmando que o divórcio é licito somente quando ocorrer o adultério, então isso significaria que as outras praticas poderia ser admitida no casamento, e essas praticas são gravíssimas, por exemplo: sodomia, agressão física e.t.c

A palavra grega que consta neste versículo no original grego, é PORNEIA, já palavra adultério no grego é MOCHEIA, e elas são bem distintas uma da outra. 

Observe novamente o versículo: 

Eu, porém vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de PORNEIA e casar com outra comete adultério, e o que casar com a repudiada comete adultério.

Note que Jesus afirma que quando uma pessoa de divorcia por motivos banais, e se casa novamente, esta pessoa está adulterando, pois para Deus tal divórcio foi invalido, porém se tais pessoas se divorciarem por motivos bíblicos, os tais podem se casarem novamente com outras pessoas em cristo, e não estarão adulterando, pois os mesmos se divorciaram por motivos bíblicos, ambos podem se casar novamente.